Questões na prática

Cirurgia

Dermatologia

Dermatologia

Um paciente de 75 anos foi internado devido a um quadro de AVC isquêmico, apresentando afasia, hemiplegia à esquerda. Está apático e com a mobilidade muito limitada, no leito. Tem história de ser hipertenso sem tratamento e tabagista de longa data. Familiares negam que o paciente tenha outras comorbidades. Durante sua evolução na enfermaria, observou-se, após 48 horas de internação, a presença de uma úlcera de decúbito em região sacral, com necrose de tecido subcutâneo que se estende em direção à fáscia subjacente sem atravessá-la. Podemos afirmar que se trata de:

A
uma úlcera de decúbito estágio I.
B
uma úlcera de decúbito estágio II.
C
uma úlcera de decúbito estágio II A.
D
uma úlcera de decúbito estágio III.
E
uma úlcera de decúbito estágio IV.
Criança de cinco meses de idade iniciou quadro de coriza, febre de 38ºC e tosse seca há 48 horas. No terceiro dia de doença, piorou da tosse, ficou bastante dispneica e apresentou vômitos. Ao exame físico, encontramos tiragem subcostal, irritabilidade, ausência de toxemia, taquipneia, AP: sibilos difusos e algumas crepitações. O diagnóstico mais provável é:
Na fase ativa do trabalho de parto, quando é observada no toque vaginal a sutura sagital da cabeça fetal próxima ao sacro materno, faz-se o diagnóstico de:
Mulher, 56 anos de idade, será submetida à laparotomia exploradora para ressecção de neoplasia maligna de cabeça do pâncreas, prevendo-se realizar uma antroduodenopancreatectomia. Qual a classificação do risco de Tromboembolismo Venoso (TEV) e a conduta?
Um paciente de 75 anos, sexo feminino, obesa, no 3º dia de pós-operatório de artroplastia de quadril, iniciou quadro de dispneia, o murmúrio vesicular encontrava-se totalmente abolido à direita, macicez à percussão. Sua gasometria arterial mostrava PaO2 de 52 mmHg. Radiografia de tórax evidenciava velamento de todo o hemitórax direito com desvio do mediastino para o lado comprometido. Marque a opção que aponta a causa principal da hipoxemia.
Compartilhar