Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Um paciente do sexo masculino com 37 anos, com história clínica compatível com doença do refluxo gastro-esofágico, sintomático há vários anos. É submetido a endoscopia digestiva alta, que evidencia alterações esofágicas compatíveis com Esôfago de Barret. Em relação a esta enfermidade, assinale a alternativa correta.

A
É conhecido precursor de câncer epidermoide de esôfago, devendo proceder-se a esofagectomia em 3 tempos na vigência do mesmo.
B
É conhecido fator de risco de adenocarcinoma de esôfago, estando indicada a esofagectomia trans-hiatal à Pinotti no momento do diagnóstico endoscópico.
C
Não tem relação direta com nenhum tipo de neoplasia, devendo o seu tratamento ser através de acompanhamento clínico bianual.
D
É definida como substituição do epitélio escamoso de esôfago pelo epitélio colunar tipo intestinal, estando a conduta na dependência do grau de displasia.
E
A esofagectomia do segmento afetado é tratamento indicado quando a displasia for de baixo grau por 3 anos seguidos.
Apontar o padrão hidroeletrolítico mais frequentemente encontrado na desidratação em pacientes desnutridos graves:
Lactente de dois meses apresenta história de constipação desde o nascimento. A hipótese diagnóstica de megacólon agangliônico (Doença de Hirschprung) se justifica devido ao exame físico apresentar:
Paciente, 22 anos, portador de diabetes tipo 1 há 6 anos, dá entrada em serviço de emergência, queixando-se de dor abdominal e vômitos. Ao exame físico: paciente afebril, desidratado; RCR, FC 108bpm; ausculta pulmonar normal e frequência respiratória de 40 irpm; ao exame do abdome, dor intensa à palpação profunda e à descompressão brusca, sugerindo irritação peritoneal. Exames laboratoriais iniciais: leucocitose (15.600 leucócitos/mm3) com desvio à esquerda (10% de bastonetes); amilase= 250U/L (VR: 28-100); TGO= 92 U/L (VR: até 37); TGP=108 U/L (VR: até 41); glicemia= 440 mg/dl; creatinina=1,6 mg/dl (VR: 0,7-1,3); ureia=84 mg/dl (VR: 10-50); potássio sérico= 5,7 mEq/L (VR: 3,6-5,1); pH sanguíneo=7,1. Sobre este paciente: I. o paciente deve ser avaliado por um cirurgião. II. antibioticoterapia de amplo espectro deve ser administrada devido ao aparente grave quadro infeccioso. III. insulina regular ou de ação ultra-rápida por via endovenosa e hidratação devem ser iniciadas de imediato. IV. bicarbonato de sódio se faz necessário para reverter a acidose metabólica.
Considerando que o tratamento da hiponatremia aguda é consideravelmente diferente do tratamento da hiponatremia crônica, responda: a partir de quanto tempo a hiponatremia é considerada crônica?
Compartilhar