Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Um paciente jovem do sexo masculino chega ao hospital com um quadro de hemorragia digestiva alta, vomitando sangue vivo, em choque hipovolêmico. Relata que não faz uso de anti-inflamatórios, nega dor epigástrica, e relata que bebe socialmente uma ou duas latinhas de cerveja em finais de semana. Depois de fazer dois acessos venosos calibrosos e tipar o sangue, você liga para o endoscopista que lhe pergunta: Qual a causa MAIS PROVÁVEL para esta hemorragia?

A
Varizes de esôfago.
B
Úlcera gástrica.
C
Câncer gástrico.
D
Úlcera duodenal.
E
Síndrome de Mallory-Weiss.
Fabiana, 14 anos, veio acompanhada com a mãe à consulta com seu médico de família. Fabiana queixa-se de “espinhas” e muito preocupada, pois ainda “não ficou menstruada e todas as amigas já ficaram”. Ao examinar Fabiana, o médico avaliou de acordo com a classificação de Tanner, que Fabiana se encontrava nos estádios M3, P3. Peso: 46Kg e Estatura: 1,55 m. Ao examinar Fabiana em posição ortostática, tronco ereto e face posterior do tronco para o examinador, percebeu discreta assimetria dos ombros e escápula direita proeminente. Ao solicitar que Fabiana realiza-se uma inclinação toracoabdominal no sentido anterior, verificou discreta assimetria na parede torácica. Fabiana não referiu dor lombar ou em qualquer ponto da coluna vertebral. O MFC solicitou RX da coluna (ântero-posterior e perfil) tendo como resultado: ângulo de Cobb igual a 10°. Qual a principal hipótese diagnóstica e conduta mais adequada?
De acordo com a classificação de Bismuth para o colangiocarcinoma, aquele que tem localização alta, comprometendo o ducto direito e não infiltrando o ducto esquerdo é o tipo:
Paciente de 42 anos, com queixa de fogachos intensos e frequentes, irritabilidade, nervosismo e sudorese excessiva. Apresenta ciclos menstruais normais. Para esclarecimento diagnóstico, deve-se solicitar dosagem de:
Assinale a alternativa INCORRETA quanto à diarreia na infância.
Compartilhar