Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Um pré-escolar com 3 anos de vida é levado à consulta numa emergência pediátrica com queixa de vômitos e diarreia há 2 dias. Segundo os pais, o pré-escolar iniciou com vômitos, evoluindo com diarreia líquida (cerca de 6×/dia), sem produtos patológicos, além de inapetência. Ao exame físico a criança apresenta-se com bom estado geral, alerta, contactuante, mucosas úmidas, pulsos amplos, perfusão periférica e pressão arterial normais para a idade. Neste momento, a conduta terapêutica mais apropriada será:

A
Iniciar a terapia de reidratação oral, com solução de reidratação oral, 50 ml/kg em duas horas, manutenção da dieta normal para a idade.
B
Iniciar reidratação com hidratação endovenosa, após prescrever a terapia de reidratação oral e manutenção da dieta normal para a idade.
C
Iniciar a terapia de reidratação oral, com solução de reidratação, e orientar dieta hipofermentativa, retirando o leite de vaca da dieta da criança.
D
Iniciar a terapia de reidratação oral, com solução de reidratação, 10 ml/kg após cada evacuação diarreica ou vômito, além da manutenção da dieta normal para a idade.
E
Iniciar a terapia de reidratação oral, com solução de reidratação oral ou água de coco, orientar dieta hipofermentativa com substituição do leite de vaca por leite com baixo teor de lactose.
A violência doméstica é considerada um grave problema de saúde pública. O atendimento destas crianças deve ser uma equipe interdisciplinar, composta por profissionais qualificados e sensibilizados com o tema. Em relação ao diagnóstico e ao manejo de maus-tratos contra crianças e adolescentes, está correto afirmar que:
Paciente com quadro de dor de início súbito em abdômen superior, irradiada para o dorso. Procura serviço de emergência de hospital geral, onde realiza ecografia abdominal, que diagnostica pancreatite aguda edematosa com presença de cálculos em vias biliares. O manejo inicial deverá ser:
Um menino de 11 dias de vida, nascido de parto cesáreo a termo, foi levado à emergência devido à diarreia, pobre sucção, edema e vermelhidão palpebral bilateral. A secreção ocular surgiu dois dias após o parto e foi tratada com tobramicina colírio. Com cinco dias de vida, foi levado ao seu pediatra, devido à persistência da secreção ocular, temperatura de 39°C, diarreia e pobre sucção. O hemograma nesta ocasião mostrou valores normais e proteína C reativa elevada de 1,7 mg% (valor normal 1,2 mg%). Ele recebeu hidratação oral, colírio de tobramicina e gemidos e choro fraco, fontanela normotensa e não abaulada, edema e pequena lesão violácea bilateral na região Periorbitária associada a uma secreção amarelada sem cheiro, abdome flácido e ausência de hepatoesplenomegalia. A pele mostrava perda do turgor e elasticidade, sem evidências de petéquias ou rash; a criança foi submetida a uma completa avaliação para sepsis e foi iniciado o tratamento com ampicilina e ceftaxime. Um swab ocular e a hemocultura revelaram o agente etiológico. Um exame oftalmológico mostrou córnea e retinas intactas bilateralmente. Qual é o diagnóstico mais provável?
Uma paciente de 36 anos apresenta dor abdominal e diarreia crônica associada à enterorragias paroxísticas. Durante a entrevista médica, os dados obtidos à anamnese e ao exame físico permitiram formular a hipótese diagnóstica de uma doença inflamatória intestinal. Os dados abaixo anotados foram assinalados pelo médico assistente. Todos sugeriam como mais provável o diagnóstico de doença de Crohn, EXCETO (mais sugestivo de retocolite ulcerativa):
Compartilhar