Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Um recém-nascido a termo vigoroso, adequado para a idade gestacional e nascido de parto vaginal eutócico, apresentou icterícia até a raiz das coxas 24 horas após o nascimento. Revendo-se a história clínica desse paciente, observou-se que a tipagem sanguínea e o fator Rh da mãe era O positivo e a do bebê A positivo. O exame de Coombs direto no neonato foi negativo e o exame clínico mostrou apenas icterícia 2+/4 da cabeça até a raiz dos braços e das coxas. Acerca dessa situação clínica, assinale a opção incorreta.

A
A icterícia, quanto ao tempo de aparecimento, deve ser classificada como precoce porque surgiu nas primeiras 24 horas de vida pós-natal.
B
O diagnóstico de certeza da causa de icterícia é doença hemolítica perinatal ABO.
C
Quanto à zona dérmica de progressão craniocaudal da icterícia, é correto considerar como zona III de Kramer.
D
O nível de bilirrubinemia é esperado em torno de 12 mg/dl.
E
Como medida terapêutica inicial, está indicada a fototerapia intensiva.
A hipertermia maligna é caracterizada por estado hipermetabólico desencadeado pela exposição a certos agentes inalatórios, ou à succinilcolina. Sobre o tratamento é verdadeiro afirmar que:
Paciente 65 anos, sexo masculino, apresentou dor epigástrica inicial localizando-se posteriormente em fossa ilíaca direita. Ao exame físico, mostrava dor à descompressão brusca na fossa ilíaca D. Foi submetido a apendicectomia clássica, e o laudo histopatológico revelou tratar-se de adenocarcinoma invasivo mucinoso do apêndice. A conduta mais adequada, neste caso, é:
Paciente de 15 anos de idade, sexo masculino, durante uma evacuação na escola, notou sangramento retal. A colonoscopia revelou incontáveis pólipos no cólon e no reto e o laudo histopatológico da biopsia de um destes pólipos confirmou pólipo adenomatoso. O pai dele morrera aos 54 anos devido a um sangramento retal. A conduta mais apropriada, neste caso, é:
Paciente de 62 anos de idade, sexo feminino apresentou prurido intenso na região perianal há seis meses. Procurou o serviço público de saúde não sendo atendida por diversas vezes. No momento, refere hematoquesia de repetição e dor na região perineal com perdas espontâneas de fezes nas vestes. Ao exame físico, encontramos extensa lesão ulcero-infiltrativa do canal anal e incontinência fecal e o laudo histopatológico confirmou carcinoma espinocelular. A melhor conduta, neste caso, é:
Compartilhar