Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Pediatria

Ortopedia

Uma criança do sexo feminino, com dois anos de idade, primogênita, gerada em apresentação pélvica e nascida de parto cesária, é trazida à consulta com história de retardo da marcha e claudicação às custas do membro inferior esquerdo. Ao exame físico, apresenta sinal de Hart positivo. O diagnóstico provável, neste caso, é:

A
epifisiólise proximal do fêmur.
B
doença de Legg Calvé Perthes.
C
displasia do desenvolvimento do quadril.
D
osteogênese imperfecta.
No manejo de uma criança com diagnóstico de miocardite aguda, não estaria indicada a utilização de:
Qual o achado semiológico mais característico encontraríamos no paciente com uma massa hípofisaria e hipotalâmica?
Lactente de 1 ano e 6 meses, com diagnóstico de Tetralogia de Fallot há um mês por sopro, em uso de propranolol. Trazido ao PS pela mãe pois ficou roxinho após aplicação da vacina BCG no posto de saúde. Chegou cianótico 3+/4+, agitado, chorando e foi colocado em oxigenoterapia. FC = 176 bpm, pulsos fortes e perfusão limítrofe. O sopro era sistólico, 3+/6+ em segundo espaço intercostal esquerdo em diamante e ejetivo, irradiando para ponta do coração. FR = 36 irpm, esforço leve a moderado, pulmões limpos. O fígado não era palpável e o abdômen era flácido. Referente ao caso, estará CORRETA a seguinte afirmativa:
Após avaliação clínica de risco cardíaco pré-operatório, um paciente portador de neoplasia prostática, 70 anos, hipertenso, com insuficiência cardíaca compensada, será submetido à prostatectomia. O paciente realiza suas atividades normalmente, sem sintomatologia ao subir escadas ou caminhar durante uma hora diariamente. Apresenta PA = 110 x 70 mmHg, eletrocardiograma sem anormalidades e ecocardiografia, feita há um mês, com fração de ejeção de 54%. Qual deve ser sua conduta?
Compartilhar