Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Pediatria

Ortopedia

Uma criança do sexo feminino, com dois anos de idade, primogênita, gerada em apresentação pélvica e nascida de parto cesária, é trazida à consulta com história de retardo da marcha e claudicação às custas do membro inferior esquerdo. Ao exame físico, apresenta sinal de Hart positivo. O diagnóstico provável, neste caso, é:

A
epifisiólise proximal do fêmur.
B
doença de Legg Calvé Perthes.
C
displasia do desenvolvimento do quadril.
D
osteogênese imperfecta.
Menina de 13 anos de idade ainda não teve menarca e está preocupada em saber se irá crescer mais. Ao exame encontrava-se com estadiamento puberal M3P3. Sabe-se que, com a menarca, o crescimento:
Criança, 4 meses de idade, sexo masculino, cor parda, em consulta de rotina apresentava-se pálida, sem outras alterações. Antecedentes pessoais: parto normal, 36 semanas, peso ao nascimento 2,7 kg, estatura 46 cm. Amamentou no seio materno exclusivo até 2 meses. Peso e estatura percentil 25 para a idade. Solicitando hemograma que evidenciou: Hb = 8,2 g/dl, VCM = 68, HCM = 25, RDW = 23, GB = 9.600/mm³ (segm = 40%, linf = 58%, monócitos = 2%), plaquetas 480.000/mm3. Reticulócitos 1%. Bilirrubina total: 0,9 mg/dl. Saturação de transferrina: 8%. A conduta é:
Adolescente é adequadamente vacinado para hepatite B. O perfil sorológico anti-HBs, anti-HBc e anti-Hbe esperado é, respectivamente:
Uma senhora de 63 anos foi admitida no PAM após ter sido encontrada caída em sua residência. Ao exame físico nota-se nível de consciência rebaixado (Glasgow 11), ausculta cardíaca irregular e desvio conjugado do olhar para a esquerda. ECG compatível com fibrilação atrial. TC mostra hipodensidade acometendo todo o território da artéria cerebral média esquerda, apagamento de sulcos corticais e discreto desvio de linha média. Das medidas abaixo qual deverá ser evitada inicialmente:
Compartilhar