Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Psiquiatria

Uma idosa é admitida em função de desidratação decorrente de sua recusa em aceitar alimentação e líquidos, associada a úlcera de pressão por imobilidade no leito. O quadro evolui a cerca de 3 semanas, com relato do cuidador de retraimento social importante, mantendo-se a paciente permanentemente de olhos fechados e sem qualquer interação com o meio. Seus sinais vitais, após reposição volêmica inicial, estão normais, seu ritmo cardíaco mantêm-se regular em 2 tempos, o murmúrio vesicular é universalmente audível, sem adventícios pulmonares, nada digno de nota sendo detectado ao exame do abdome. Indique, dentre as citadas, a hipótese diagnóstica mais provável.

A
Estado confusional.
B
Estado pós-comicial.
C
Hematoma sub-dural crônico.
D
Catatonia.
E
Parkinsonismo.
Paciente do sexo feminino, com 35 anos de idade, com cálculo coraliforme de 3,5 cm no rim direito. Qual a composição mais provável do cálculo e a melhor opção terapêutica?
Qual o músculo intrínseco da laringe que é inervado pelo nervo laríngeo superior?
Homem, com 45 anos de idade, apresenta-se em consulta ambulatorial com miocardiopatia dilatada idiopática, insuficiência cardíaca em classe funcional II e fração de ejeção de VE estimada em 30% por ecocardiograma recente. Faz uso regular de digoxina, enalapril e diuréticos. Devido a sintomas de palpitações, exame de Holter é realizado e demonstra a presença de 22.000 extrassístoles ventriculares em 24 horas. Também ocorreram 4 salvas de taquicardia ventricular não sustentada (com até 6 batimentos de duração). Qual a sua recomendação para o tratamento deste paciente?
Mulher, com 30 anos de idade, há 2 meses apresenta quadro de palpitações, insônia, irritabilidade, aumento do número de evacuações e perda de peso. Ao exame físico: bom estado geral, descorada +/4+, tiroide aumentada 3 vezes, sem nódulo palpável. Tem hiperemia conjuntival, edema e retração de pálpebras. Ausculta cardíaca normal, frequência cardíaca de 116 bpm e PA 135 x 85 mmHg. Tremor de extremidades presente. Exames laboratoriais: TSH < 0,03 µm/l (VN: 0,5 a 4,5); t4 livre 4,2 ng/dl (VN: 0,7 a 1,5). Hemoglobina 11,2 g%, leucócitos 6200, plaquetas 180.000. Cintilografia de tireoide com captação difusamente aumentada. Qual a hipótese diagnóstica e a conduta neste momento?
Compartilhar