Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Dermatologia

Uma jovem é encontrada na sua casa desacordada e é levada para um Pronto Atendimento. Ao exame, apresenta-se com febre (T axilar 38,5°C), confusa, desorientada, com pupilas isocóricas e fotorreagentes, sem rigidez de nuca, e com hemiparesia desproporcional direita. Foi realizado um exame de tomografia computadorizada de crânio que observou lesão hiperdensa em região do lobo temporal esquerdo sem desvio da linha média. Foi realizada uma punção liquórica que evidenciou os seguintes achados em líquido cefalorraquidiano (LCR): celularidade 120 leucócitos, 80% linfócitos, 0 hemácias, 20% neutrófilos, proteína de 50 mg/dl, glicose 88 mg/dl, Pandy negativo, bacterioscopia negativa. Frente a estes achados a conduta CORRETA é:

A
Iniciar ceftriaxona + ampicilina e aguardar as culturas do LCR.
B
Solicitar cultura para micobactérias no LCR e iniciar esquema I para tuberculose.
C
Solicitar PCR para Herpes simples tipo I no LCR e iniciar aciclovir.
D
Solicitar reação sorológica para enterovírus e prescrever dexametasona.
E
Solicitar reação imunológica para pneumococo no LCR e prescrever ampicilina.
Lactente de 4 meses vai ao Posto de Saúde para aplicar as vacinas de rotina. A mãe informa à técnica que não formou a cicatriz da BCG. A conduta a ser seguida é:
Homem de 35 anos, auxiliar geral, refere há 5 dias dor na região lombar baixa, sem irradiação que piora com a movimentação da coluna e que melhora com o repouso. Nega trauma local e outras queixas. A dor é considerada de média intensidade, melhorando com o uso de analgésicos e relaxantes musculares. Ao exame físico, há dor na região lombar baixa, à flexão e extensão máxima da coluna. Qual exame subsidiário você solicitaria para este caso?
Criança com 5 anos de idade, irmão de paciente com Tuberculose pulmonar bacilífera, foi ao Posto de Saúde para exame de comunicante. A criança não foi vacinada com BCG. Não apresentava queixas gerais ou respiratórias. O exame físico estava sem alterações. PPD: 11 mm. A Radiografia de tórax mostrou um nódulo calcificado de 6 mm no terço médio do pulmão direito. Qual a conduta?
Atualmente, a denominação de úlcera de Marjolin é usada quando neoplasias malignas se desenvolvem sobre úlceras, fístulas e cicatrizes de diversas etiologias e é caracterizada anatomopatologicamente como:
Compartilhar