Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Pneumologia

Dermatologia

Doenças Respiratórias

Um recém nascido de 7 dias é trazido pela mãe à consulta de caso novo. Ela conta que o pai está com tuberculose “ativa” e que iniciou tratamento há 1 semana. Dormem em um quarto único. O RN nasceu no interior de São Paulo e não tomou nenhuma vacina na maternidade. A medida mais eficaz para protegê-lo da tuberculose é:

A
administrar isoniazida por 6 meses. Após esse período, fazer PPD e se não for reator, vacinar com BCG-ID.
B
administrar isoniazida por 3 meses. Após esse período, vacinar com BCG-ID.
C
administrar isoniazida por 6 meses. Após esse período, vacinar com BCG-ID.
D
fazer PPD e se não for reator, vacinar com BCG-ID.
E
administrar isoniazida por 3 meses. Após esse período, fazer PPD e se não for reator, vacinar com BCG-ID.
Jovem de 17 anos, com 38 semanas de gestação, foi internada no centro obstétrico por encontrar-se na fase ativa do trabalho de parto sem comorbidades ou intercorrências. Feito o bloqueio peridural para analgesia, a paciente sofreu parada cardiorrespiratória, que não reverteu após as manobras de ressuscitação realizadas durante 5 minutos. Qual a próxima conduta a ser adotada?
Puérpera submetida a cesariana há 7 dias vem apresentando picos febris diários. No 2° dia pós-operatório, iniciou tratamento para endometrite com gentamicina e clindamicina. No 4° dia, foi adicionada ampicilina. Há 48 horas, o esquema antibiótico foi substituído por cefoxitina associada a metronidazol. O estado geral é bom e os lóquios não estão mais fétidos desde o segundo dia do primeiro esquema antibiótico. A paciente vem amamentando sem dor. A ferida operatória não está alterada, e a ultrassonografia abdominal é normal. Qual a próxima conduta?
Em relação ao câncer inicial de mama, assinale a assertiva correta:
Qual a causa mais comum de infiltrado pulmonar em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico?
Compartilhar