Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

RN com peso de nascimento de 2.200g, apgar de 7 e 9, mãe não fez pré-natal. Nas sorologias colhidas do RN, logo após o nascimento, observou-se o VDRL positivo (1/64), e o anti-HIV negativo. Qual seria a melhor conduta a esse RN?

A
Tratar com benzetacil 50 000 UI.IM, dose única e acompanhar no ambulatório com sorologia seriada (VDRL).
B
Considerar que a sorologia do RN é um falso positivo e não tem necessidade de tratamento.
C
Colher sorologia da mãe e repetir a do RN e, confirmado a sorologia positiva da mãe e RN, tratar com penicilina procaína IM, por 7 dias.
D
Colher sorologia da mãe e, confirmado VDRL positivo, tratar o RN com eritromicina, por 7 dias.
E
Colher sorologia da mãe e do RN, solicitar líquor (LCR), hemograma e raio-x de ossos longos e já iniciar tratamento com penicilina cristalina EV.
Em relação ao diagnóstico do aneurisma da aorta abdominal (AAA), analisar a alternativa CORRETA.
Lactente de 45 dias de vida é atendido no pronto-socorro com história de ter evacuado fezes com sangue vivo há cerca de 3 horas. Estava irritado, chorando muito há 48 horas. Não relata febre. Ao exame, a criança está chorando, irritada, o abdome está distendido e tenso à palpação. O exame da genitália revela aumento de volume em região inguinal direita. Baseado no mais provável diagnóstico, qual deve ser a conduta para este caso?
Qual o tipo mais frequente de câncer de tireoide?
MAC, sexo masculino, 34 anos, pardo, casado, auxiliar de pedreiro, residente em Cariacica (ES). Há 2 meses evolui com tosse, inicialmente seca, passando a produtiva de expectoração amarelada, medicado com xaropes caseiros, sem melhora. Há 3 semanas passou a apresentar episódios de febre baixa, intermitente, adinamia, cansaço, dificuldade para tolerar esforço no trabalho, e notou emagrecimento. Feito exame médico, apresentava-se febril, eupneico, levemente hipocorado, linfonodos não palpáveis, discretos estertores audíveis na região interescapular à direita, demais dados do exame físico normais; diagnosticada infecção respiratória, sendo prescrito azitromicina/5 dias e xarope antitussígeno. Evoluiu sem melhora, vindo a apresentar hemoptóicos. Retornou ao médico sendo então solicitado exame de escarro que foi positivo para BAAR em duas amostras consecutivas. O paciente é tabagista há 15 anos, nega antecedentes de pneumopatias ou outras doenças, e desconhece contato com portadores de tuberculose. Com relação ao caso acima você afirmaria que:
Compartilhar