Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Uma menina de 8 meses tem febre há 4 horas. Ao exame físico, está ativa e não há nenhuma anormalidade digna de nota. É feita coleta de urina para realização de urina tipo I e urocultura (URC) por sondagem vesical. A urina tipo I é sugestiva de infecção do trato urinário. A conduta mais correta é:

A
iniciar antibioticoterapia por via oral. Caso a URC seja positiva, fazer USG dos rins e das vias urinárias, 24 a 48 horas após o diagnóstico. Tratar durante 10 dias. Suspender a ATB e fazer (UCM) de forma eletiva.
B
aguardar a URC antes de iniciar a antibioticoterapia (ATB), pois não há toxemia. Caso a URC seja positiva, tratar durante 10 dias. A criança deverá fazer (USG) de rins e vias urinárias para investigação de possíveis malformações do trato urinário.
C
iniciar ATB por via oral. Caso a URC seja positiva, tratar por, no mínimo 10 dias. Realizar ultrassonografia (USG) de rins e vias urinárias. Após 48 horas do término do tratamento realizar URC de controle, se negativa, agendar eletivamente uretrocistografia miccional (UCM). Até a realização da UCM, a criança deve ser mantida em uso de antibiótico.
D
internar a criança para ATB intravenosa. Caso a URC seja positiva, solicitar USG de rins e vias urinárias e UCM. Ela poderá receber alta 48 horas depois, porém deve ser mantida a ATB por via oral até completar 10 dias.
E
iniciar ATB por via oral. Caso a URC seja positiva solicitar USG de rins e vias urinárias e UCM. Manter a ATB por 10 dias. Se UCM for positiva para refluxo vesicoureteral, encaminhar para cirurgia. Manter ATB por via oral até a cirurgia.
João, 35 anos de idade, procura um centro de saúde por uma dor lombar, de leve intensidade, há três dias. Não estava usando nenhum analgésico. Seu médico prescreveu paracetamol 500 mg a cada seis horas se houvesse dor. Em relação à prescrição de analgésicos para dor em adultos, é CORRETO afirmar que:
Assinale a alternativa que responde CORRETAMENTE à pergunta a seguir. Paciente do sexo masculino, 55 anos de idade, portador de hipertensão arterial (enalapril 10 mg/dia), diabetes melito (glimepirida 2 mg/dia) e transtorno bipolar (lítio 300 mg/dia e imipramina 100 mg/dia), é trazido por familiares à emergência hospitalar devido a agitação, alucinações, tremores, rubor, mioclonias e taquipneia. Qual o diagnóstico mais provável?
Homem de 65 anos, diabético tipo I, apresenta história de piora da lombalgia que vem tendo há 06 meses. A dor se inicia ao deambular, com irradiação para ambas as pernas e nádegas, exacerbada também durante a ortostase prolongada. Relata que a dor é aliviada quando sentado ou inclinando a coluna para frente. Sinal de Lasègue negativo. Baseando-se nesse conjunto de dados, o diagnóstico mais provável e o exame subsidiário recomendado para investigação diagnóstica são:
Um paciente masculino de 54 anos, comparece ao ambulatório apresentando nódulo em topografia de parótida esquerda. Ao exame trata-se de um nódulo sólido à palpação, medindo aproximadamente 2,5 cm, móvel e elástico. Não apresenta déficit motor facial. Também já havia realizado alguns exames complementares: - Ultrassonografia: Nódulo sólido, algo heterogênio, bem delimitado, na topografia da glândula parótida esquerda. - PAAF: amostra paucicelular, inapropriada para análise. - Cintilografia com tecnésio: Imagem nodular, captante do radioisótopo, na topografia da glândula parótida esquerda. Com base nesses dados, o diagnóstico mais provável é:
Compartilhar