Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hepatologia

Uma mulher branca de 20 anos de idade vai ao pronto-socorro apresentando icterícia e mal-estar há duas semanas. Ela observou que a urina está escurecida há vários dias e recentemente um amigo notou que suas escleróticas estavam discretamente amareladas. Alguns meses antes, seu namorado teve algum tipo de hepatite. A paciente não está em uso de medicamentos nem possui história clínica significativa. Seu exame físico é normal, exceto pela esclerótica e pela pele ictéricas. Ela está consciente e orientada. Os estudos laboratoriais iniciais revelam os seguintes resultados: ALT 1.206; AST 983; Fosfatase alcalina (normal < 120 u/I) 183 u/I; Bilirrubina 8,6 mg/dl; TP 12,2 segundos; Hematócrito 39%; Contagem de leucócitos 8.900/mI. Os resultados dos estudos sorológicos para hepatite estão sendo aguardados. Sobre esse quadro clínico, assinale a alternativa correta:

A
Nesse quadro, é necessário hospitalização devido ao perigo de insuficiência hepática fulminante.
B
Estudo de imageamento (ultrassonografia ou TC) é indicado para excluir dilatação dos ductos intra-hepáticos.
C
Embora não seja necessária, uma biópsia hepática forneceria informações etiológicas e prognósticas úteis.
D
Hepatite viral aguda é a condição mais provável. A paciente pode fazer acompanhamento ambulatorial enquanto aguarda os resultados sorológicos.
E
O diagnóstico é cirrose hepática descompensada.
Paciente masculino de 35 anos admitido no PS, deambulando com dificuldade, confuso, sem familiares para relatar sobre medicações, drogas ilícitas e doenças prévias. Na avaliação inicial apresentou Glasgow 13, LCR normal, RX de tórax e tomografia de abdome sem alterações. Sem lesões em pele e sem sinais de emagrecimento. PA 140/80 mmHg, FC 135 bpm, temp. 40,5ºC, FR 20 ipm. Hemograma e PCR normais. Dentre as possíveis causas desse quadro, NÃO é compatível com a clínica do paciente:
Leia o caso clínico a seguir. Um paciente do sexo masculino de 45 anos, com antecedentes de alcoolismo e diagnóstico prévio de cirrose hepática, é internado na enfermaria com história de aumento progressivo do volume abdominal nos últimos 60 dias e edema de membros inferiores. Há três dias, passou a apresentar sonolência e dislalia. Ao exame físico, paciente apresentava-se sonolento, ictérico (++/4+), aranhas vasculares no tronco, hipotrofia muscular em mmss, ginecomastia, presença de flapping, abdome globoso, com sinal do piparote presente, edema de mmii (2+/4+). Exames laboratoriais revelaram: hemograma: Hem - 3,5 x 10 (elevado a 6), Hto: 34%, Hgb: 10,6 g/dl; leucócitos: 3000/mm3 (2-60-03-35-03-02), plaquetas: 80.000/ml; albumina sérica de 2,6 g/dl; sódio sérico de 129 mEq/l; creatinina sérica de 1,5 mg/dl; bilirrubina total de 4,5 mg/dl; atividade de prototrombina de 30% (> 6 seg acima do controle). Conforme a classificação de Child-Turcotte-Pugh, esse paciente pode ser considerado como Child:
Lactente de 45 dias de vida é internado com história de tosse há três dias e dificuldade para respirar notada no dia anterior. A mãe nega febre, diz que não há pessoas doentes no domicílio e refere que a criança apresentou conjuntivite no período neonatal. Ao exame físico, a criança apresenta-se ativa, com taquidispneia leve e tiragem intercostal. Foi realizada radiografia de tórax, o que mostrou infiltrado intersticial leve em bases pulmonares. Assinale qual o provável diagnóstico e a terapêutica de eleição, respectivamente, para o caso. (NELSON TRATADO DE PEDIATRIA)
Um adolescente de 16 anos procura a emergência de um hospital referindo febre intermitente, associado à dores lombares e nas grandes articulações de forma migratória. História de amigdalite há cerca de 3 meses. Apresenta VHS elevada e titulação elevada de antiestreptolisina A. Neste caso, deve-se tratar inicialmente com:
Compartilhar