Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Uma mulher de 28 anos de idade procurou o ambulatório de clínica médica, relatando que há um mês vem apresentando fadiga e fraqueza. Seu exame clínico estava nos limites normais. Nos exames laboratoriais realizados destacaram-se: cálcio sérico ionizado de 8,2 mg/dL (valores de referência: entre 4,6 mg/dL e 5,0 mg/dL); paratormônio = 96 pg/mL (valores de referência: entre 11 pg/mL e 54 pg/mL) e albumina sérica normal. Com base nesses dados, julgue o item a seguir. Nessa paciente, deve ser possível provocar facilmente a flexão do punho, a extensão das articulações interfalangianas e a adução do polegar pela manutenção da insuflação do manguito de um esfigmomanômetro (colocado no braço homolateral) e mantido cerca de 10 mmHg acima da pressão arterial diastólica, por cerca de 3 a 10 minutos.

A
CERTO
B
ERRADO
Uma mulher de 40 anos de idade é avaliada por hipocalemia, expansão do volume do espaço extracelular, hipertensão arterial sistêmica e alcalose metabólica. O diagnóstico mais provável é:
Uma paciente de 25 anos vem à consulta médica com queixa de nefrolitíase de repetição. O exame físico é normal. O peso corporal é de 60 kg. São requisitados os seguintes exames complementares: raios X de abdome – concreções radiopacas em topografia renal bilateralmente + áreas de nefrocalcinose; citrato urinário – 60 mg/dia (valor de referência: maior que 320 mg/dia); cálcio sérico – 10 mg/dl; cálcio urinário – 480 mg/dia; pH sangue – 7,28; pH urinário – 6,5; potássio sérico – 2,8 mEq/L; raios X mãos – sinais de osteomalácia. O diagnóstico clínico é de:
Em um paciente com manifestações compatíveis com acidente vascular encefálico isquêmico (sinais focais), NÃO deve ser excluído o seguinte diagnóstico:
Qual o exame mais adequado na investigação diagnóstica de uma jovem usuária de anticoncepcional com critérios de Wells de baixa a moderada probabilidade clínica, D-dímero positivo e radiografia de tórax alterada?
Compartilhar