Questões na prática

Clínica Médica

Hematologia

Hepatologia

Uma mulher de 42 anos chega ao consultório com uma ultrassonografia mostrando cálculos na vesícula biliar. Ela nega sintomas. Sobre cálculos na vesícula biliar, podem ser considerados fatores etiológicos e complicações, respectivamente:

A
câncer de vesícula biliar e anemia falciforme; complicações podem ser colecistite aguda, hepatite e obstrução do intestino delgado.
B
anemia falciforme e esferocitose congênita; câncer de vesícula, hepatite e pancreatite.
C
esferocitose congênita e anemias hemolíticas; colecistite aguda, pancreatite e obstrução do intestino delgado.
D
anticoncepcional oral e anemias ferroprivas; colecistite aguda, pancreatite e obstrução do intestino delgado.
E
câncer de vesícula e anemias ferroprivas; coledocolitíase, colangite e carcinoma de vias biliares.
Quando comparamos a prostatectomia aberta (PA) com ressecção endoscópica da próstata RTU no tratamento da hiperplasia prostática benigna, podemos afirmar que:
Um lactente de 10 meses de idade, sem antecedentes de doença respiratória, é levado ao pronto socorro com história de febre e tosse há 72 horas. Ao exame físico apresenta-se em regular estado geral, febril (38,5°C); FR = 55 rpm; FC: 110 bpm. À inspeção do tórax observam-se discretas tiragens intercostais. De acordo com as Normas de Assistência e Controle de Infecções Respiratórias Agudas do Ministério da Saúde, o dado clínico sugestivo de pneumonia nesse caso é:
Hematúria é:
Em relação à Doença Trofoblástica Gestacional (DTG):
Compartilhar