Questões na prática

Clínica Médica

Hematologia

Hepatologia

Uma mulher de 42 anos chega ao consultório com uma ultrassonografia mostrando cálculos na vesícula biliar. Ela nega sintomas. Sobre cálculos na vesícula biliar, podem ser considerados fatores etiológicos e complicações, respectivamente:

A
câncer de vesícula biliar e anemia falciforme; complicações podem ser colecistite aguda, hepatite e obstrução do intestino delgado.
B
anemia falciforme e esferocitose congênita; câncer de vesícula, hepatite e pancreatite.
C
esferocitose congênita e anemias hemolíticas; colecistite aguda, pancreatite e obstrução do intestino delgado.
D
anticoncepcional oral e anemias ferroprivas; colecistite aguda, pancreatite e obstrução do intestino delgado.
E
câncer de vesícula e anemias ferroprivas; coledocolitíase, colangite e carcinoma de vias biliares.
Um menino de nove anos apresenta baixa estatura, pregas em epicantos oculares, fissuras palpebrais desviadas para baixo, ptose palpebral bilateral, ponte nasal achatada, pescoço curto, baixa implantação posterior dos cabelos, tórax em escudo, um sopro cardíaco sistólico em foco pulmonar e pênis pequeno. Foi submetido à cirurgia para criptorquidia bilateral com um ano de idade. É fisicamente muito parecido com seu pai, que também é baixo e tem o diagnóstico de estenose da válvula pulmonar. A criança tem como principal hipótese diagnóstica:
Paciente com 30 anos de idade, nulípara, relata aumento do volume abdominal, dismenorreia e hipermenorreia. No exame ginecológico observa-se abdome assimétrico, tumor bocelado palpável no hipogástrio e, no toque vaginal, os movimentos realizados no colo são transmitidos para o tumor abdominal. A hipotése mais provável entre as abaixo é:
A contração de detrusor é inibida por drogas:
Pré-escolar, 4 anos de idade, apresentou resfriado comum há 8 dias, há 24 horas o pai notou "manchas vermelhas pequenas" no tronco e na face. A diurese está normal. Não há história de uso de drogas, imunizações recentes ou distúrbios hematológicos na família. Ao exame a criança está ativa, eupneica, hidratada, sem sangramento nas mucosas, hepatoesplenomegalia ou linfoadenopatia. O único dado positivo é a presença de petéquias no tronco e na face. Solicitado hemograma que evidenciou: Hb 12,0 g/dl (11,0 a 14,5), Ht = 34 ml, eritro/dl (33,0 a 43,0), leucograma = 8.000 (diferencial normal), Plaquetas 80.000/mm3 (150.000 a 450.000). Qual a principal hipótese diagnóstica?
Compartilhar