Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Uma paciente com 50 anos vem para resultado de mamografia de rastreamento, mas refere ter percebido um nódulo em seu autoexame de rotina há uma semana. Ela foi orientada a levar seu exame do ano anterior para comparação. Os laudos observados são: Exame atual: BIRADS II pela presença de calcificações de aspecto arredondado. Exame do ano anterior: BIRADS I. A melhor orientação após o exame clínico, no qual foi confirmada a presença de um nódulo palpável, é:

A
Orientá-la a procurar um mastologista devido à progressão da categoria I para II de BIRADS em apenas um ano.
B
Orientá-la a procurar um especialista, pois a categoria BIRADS II recomenda controle anual, mas fica insuficiente na presença de um nódulo palpável.
C
Tranquilizá-la, pois a categoria II refere-se a um achado benigno.
D
Tranquilizá-la, pois o nódulo apareceu há pouco tempo e pode ser observado.
E
Realizar apenas uma punção com agulha fina e encaminhar uma citologia do líquido aspirado.
Homem de 48 anos procura atendimento com relato de desconforto em hipocôndrio direito, escurecimento da urina e progressiva coloração da pele e dos olhos. Vem notando também insônia, sonolência diurna e tremores. Ao exame nota-se icterícia e fígado palpável a 4 cm do rebordo costal direito. Admite-se ser um bebedor crônico de alcoólicos e que na ultima semana vem fazendo uso de volumes muito superiores aos costumeiros. Refere diagnóstico anterior de colelitíase e uso atual de “remédio de ervas chinesas”. A avaliação laboratorial revelou bilirrubina total de 8,7mg% com bilirrubina direta de 6,8mg%, TGO de 320U/L e TGP de 140U/L, gama GT de 391U/L e RNI de 1,4. Com estes exames iniciais, que diagnóstico pode ser descartado com maior grau de certeza?
Sobre os tumores ósseos malignos, é CORRETO afirmar que:
São fatores contribuintes na infecção pelo HPV:
Mulher de 58 anos, menopausa cirúrgica aos 48 anos por endometriose, fez uso de Terapia de Reposição Hormonal (TRH) por dois anos logo após a cirurgia. Atualmente, sem sintomas climatéricos, apresenta densitometria óssea de rotina com T-score de -2,68 desvios-padrão na coluna lombar. Faz caminhadas três vezes por semana, toma uma xícara de leite ao dia e come queijo regularmente. O diagnóstico e conduta são:
Compartilhar