Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Uma paciente de 35 anos encontra-se em pós-operatório imediato de laparotomia por abdômen agudo perfurativo iatrigênico durante um procedimento urológico, com laceração do cólon ascendente e peritonite fecal, tendo sido realizada lavagem peritoneal exaustiva e colostomia no ato cirúrgico. Na UTI evoluiu com comprometimento do estado geral, temperatura axilar: 35,3°, pulso: 100bpm rítmico, PA: 80x35 mmHg, frequência respiratória 23 rpm, perfusão periférica ruim, coração sem sopros, pulmões limpos à ausculta, abdômen distendido com ruídos hidroaéreos diminuídos. O Rx de tórax no leito revelou apenas elevação de cúpulas. O ECG mostrou taquicardia sinusal. Laboratório: Hb:11g/dl, Htc: 33%, Leucócitos:15.000/ml (85% neutrófilos), plaquetas 120.000, creatinina: 1.0 mg/dl, K:3,7 mEq, TGO, TGP e Tempo de Protrombina normais. O ecocardiograma demonstrou função contrátil ventricular esquerda hiperdinâmica sem lesões valvares. Feita coleta de hemoculturas. Qual das alternativas abaixo é a correta a respeito desse caso?

A
A gasometria arterial provavelmente irá revelar acidose respiratória, e o nível de lactado será baixo.
B
O tratamento inicial deverá ser infusão contínua de dobutamina associada à administração de vancomicina EV.
C
A opção terapêutica inicial devera ser reposição volêmica vigorosa, monitorizada pela pressão venosa central e pressão arterial média, associada à administração de ceftriaxona e clindamicina, com uso de noradrenalina se necessário.
D
A entubação traqueal com ventilação mecânica assistida deverá ser a primeira medida, antes do controle da coleta da gasometria arterial.
E
A medida isolada prioritária neste caso que efetivamente melhora o prognóstico é o uso precoce do anticorpo monoclonal anti-TNF alfa.
No tratamento da crise asmática, as drogas com ação anti-inflamatória mais tardia e uma ação broncodilatadora mais precoce por promover aumento do número e na afinidade dos receptores beta agonistas são pertencentes ao grupo dos:
Recém-nascido a termo, filho de mãe com DHEG, nascido de parto cesárea com apgar de 8 e 9 e peso de nascimento de 1.790 gramas, é liberado ao alojamento conjunto logo após o nascimento, ativo, já tendo sugado ao seio. Com 14 horas de vida, apresenta-se hipoativo, hipotônico, com sucção débil e tremores. O provável diagnóstico é:
Paciente de quatro anos é trazido pela mãe para consulta com o pediatra. A genitora relata que a criança tem contato com o adulto bacilífero em tratamento irregular, porém não apresenta sinais ou sintomas de febre, tosse ou perda de peso. No exame físico, evidenciou-se ausência de cicatriz da BCG, peso e estatura adequados, sem adenomegalias, e ausculta pulmonar sem alterações. Investigação inicial: PPD 15 mm, e radiografia de tórax dentro do limite da normalidade. A conduta adequada para o paciente é:
Homem de 75 anos, portador de demência por doença de Alzheimer há seis anos, é levado ao consultório médico por apresentar choro incontido, agitação psicomotora, confusão mental, alteração do ciclo sono-vigília, desorientação temporal e hiporexia há uma semana. O paciente faz uso apenas do ginkgo biloba, 80 mg ao dia. Ao exame físico, apresentava-se vígil e inquieto, desatento, com discurso sem nexo, desidratato ++/4, normotenso e eupneico, sem outras alterações. Em relação a este caso, pode-se afirmar que:
Compartilhar