Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Reumatologia

Uma paciente de 45 anos apresenta-se com quadro de dores em todo o corpo, de evolução gradual há seis meses, mas que parece ter aparecido após o falecimento da sua mãe. Refere sono não reparador, fadiga intensa, insônia terminal e ansiedade. Nega rigidez matinal e emagrecimento, mas refere que as articulações lhe parecem inchadas. Ao exame físico, não há sinais de sinovite. A musculatura é dolorosa em diversos locais à palpação, mas não há fraqueza muscular. A paciente traz exames: hemograma normal, uma velocidade de hemossedimentação de 11 mm na primeira hora, uma proteína C reativa de 0,2 (para um normal de 0,5) e TSH dentro dos valores normais. Creatinofosfoquinase e aldolase também são normais. Um FAN (fator antinuclear) mostrou-se positivo, com padrão nuclear pontilhado fino denso e titulação de 1:80. Com relação a essa paciente, é INCORRETO afirmar:

A
O diagnóstico de fibromialgia deve ser considerado somente após afastadas outras causas de dor crônica.
B
Medicações que podem ser usadas para melhorar o sono desse tipo de paciente incluem a amitriptilina, a ciclobenzaprina e a nortriptilina.
C
Medicações analgésicas que podem ser consideradas incluem o tramadol e a gabapentina.
D
A polissonografia indica, na maioria desses pacientes, intrusão de ondas alfa na fase quatro do sono.
E
Não há a necessidade de se solicitar os testes de anti-dsDNA, anti-Sm, anti-Ro, anti-La e anti-RNP.
Com relação a cardiopatias na infância, julgue o item a seguir. A transposição das grandes artérias é uma das cardiopatias congênitas que se manifestam com cianose. Para diagnosticá-la, recomenda-se a realização de ecocardiograma, por meio do qual é possível observar praticamente todos os detalhes anatômicos da doença.
A respeito de crises convulsivas na infância, julgue o próximo item. Considere a seguinte situação hipotética. Uma mãe relatou que sua filha de 1 ano de idade sofrera convulsão generalizada de curta duração em vigência de um quadro febril (temperatura axilar de 39ºC). No momento do exame clínico, a menina não apresentou mais o quadro descrito pela mãe, que consistiu no primeiro episódio de convulsão da criança. Nesse caso clínico, é indicado o tratamento profilático com benzodiazepínicos até os cinco anos de idade.
Mulher, 23a, refere cardiopatia congênita diagnosticada na infância, porém sem acompanhamento médico. Apresenta dispneia aos pequenos esforços, anasarca e cianose apenas em membros inferiores. AS HIPÓTESES DIAGNÓSTICAS SÃO:
Homem, 40a, vítima de acidente automobilístico há 30 minutos, foi trazido pelo SAMU à unidade de emergência. Exame físico: descorado 3+/4+, consciente, Glasgow = 15, PA = 70 x 40 mmHg, FC = 140 bpm. Abdome: dor à palpação profunda, sem irritação peritoneal. Bacia: dor à mobilização, com sinal de instabilidade. Exames complementares: Hb = 6 mg/dl, tomografia computadorizada: hematoma retroperitoneal e disjunção do anel pélvico com fratura fechada da diáfise do fêmur esquerdo. Após infusão de 2.000 ml de cristaloide: FC = 150 bpm e PA = 65 x 35 mmHg. ALÉM DA REPOSIÇÃO VOLÊMICA, A CONDUTA É:
Compartilhar