Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Reumatologia

Uma paciente de 45 anos apresenta-se com quadro de dores em todo o corpo, de evolução gradual há seis meses, mas que parece ter aparecido após o falecimento da sua mãe. Refere sono não reparador, fadiga intensa, insônia terminal e ansiedade. Nega rigidez matinal e emagrecimento, mas refere que as articulações lhe parecem inchadas. Ao exame físico, não há sinais de sinovite. A musculatura é dolorosa em diversos locais à palpação, mas não há fraqueza muscular. A paciente traz exames: hemograma normal, uma velocidade de hemossedimentação de 11 mm na primeira hora, uma proteína C reativa de 0,2 (para um normal de 0,5) e TSH dentro dos valores normais. Creatinofosfoquinase e aldolase também são normais. Um FAN (fator antinuclear) mostrou-se positivo, com padrão nuclear pontilhado fino denso e titulação de 1:80. Com relação a essa paciente, é INCORRETO afirmar:

A
O diagnóstico de fibromialgia deve ser considerado somente após afastadas outras causas de dor crônica.
B
Medicações que podem ser usadas para melhorar o sono desse tipo de paciente incluem a amitriptilina, a ciclobenzaprina e a nortriptilina.
C
Medicações analgésicas que podem ser consideradas incluem o tramadol e a gabapentina.
D
A polissonografia indica, na maioria desses pacientes, intrusão de ondas alfa na fase quatro do sono.
E
Não há a necessidade de se solicitar os testes de anti-dsDNA, anti-Sm, anti-Ro, anti-La e anti-RNP.
Paciente sofreu queda de motocicleta e apresenta no 1/3 inferior da perna perda de partes moles de cerca de 15 cm de comprimento e fratura exposta já fixada. A conduta mais apropriada para o fechamento da ferida é:
Quais são as patologias que devem estar incluídas obrigatoriamente, seguindo as evidências científicas atuais, em todos os protocolos de triagem neonatal?
Quanto ao diagnóstico de atraso do crescimento, podemos afirmar:
Paciente, 36 anos de idade, lavradora, procedente da zona rural, cursa com diarreia há três meses com perda ponderal de 5 kg, além de dor abdominal. Nega história familiar de câncer. Tem dieta rica em frutas e legumes. O quadro se caracteriza por 8 dejeções/dia com fezes amolecidas, sem muco ou sangue visíveis. Traz exame protoparasitológico de fezes, em uma amostra, negativo. Ao exame físico, se apresenta com hipocromia de mucosas ++/4, IMC: 23 kg/cm², abdome sem visceromegalias. Os exames de laboratório evidenciam Hb: 8 g/dl, VHS: 54 mm na 1ª hora, leucograma: 14,3 mil com 76% segmentados. A colonoscopia revelou úlceras de aspecto serpiginoso em ceco e íleo terminal, com mucosa de permeio normal. O tratamento mais adequado é:
Compartilhar