Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Geral

Uma paciente de 56 anos é submetida a uma ileocolectomia direita devido à adenocarcinoma apendicular por uma incisão mediana infraumbilical, com anastomose íleo-cólica latero-lateral por sutura manual. Profilaxia de trombose venosa é instituída com heparina de baixo peso via subcutânea e antibioticoprofilaxia parenteral é iniciada na indução anestésica. No segundo dia de pós-operatório ela apresenta febre baixa e dispneia em seu quarto e a oximetria mostra uma saturação de 85%. Sua ausculta pulmonar revela creptação em base pulmonar direita, associada à hipoventilação desta área. Uma radiografia de tórax revela então uma hipotransparência em terço inferior de hemitórax direito, com retração ipsilateral da cúpula diafragmática. Face a este quadro pulmonar, pode-se afirmar que:

A
A terapia mais efetiva é a fisioterapia respiratória com manobras respiratórias que promovam profundas e mantidas inspirações.
B
A mobilização do leito deve ser evitada para evitar-se embolização pulmonar, uma vez que o quadro respiratório já se iniciou.
C
O início de antibioticoterapia de espectro específico pulmonar é necessário, uma vez que já existe febre associada.
D
Uma broncoscopia deve ser feita para confirmação diagnóstica e possível tratamento imediato.
Para o dono de um bar suburbano, a saúde estava sempre em segundo plano. Ele ficava de pé por horas, estava acima do peso ideal e era constipado crônico. Em um domingo, suas hemorroidas internas causaram-lhe inabitual incômodo e algo constrangedor. Ele foi à clínica perto de sua casa. O chefe do plantão escreveu na papeleta que se tratava de um caso em grau ll, o que denota a (s) seguinte (s) característica (s) para os vasos hemorroidários:
Hepatopata, com grave comprometimento da qualidade de vida é candidato ao transplante hepático, uma vez que esgotadas outras formas de tratamento clínico. São indicadores de alerta para necessidade de realização do transplante:
Leila, 39 anos, notou aumento da mama, com endurecimento focal, calor e rubor há 4 meses. Automedicou- se com pomadas, sem melhora. Há 2 semanas surgiram febre e ulceração em mama, com saída de secreção purulenta. A mamografia revela "classificação de Bi-rads IV". Foi ao médico com amiga e, por insistência dela. Leila relata que vem sendo acometida por “pensamentos desagradáveis’’ sobre sexualidade. Reconhece estes pensamentos como seus, eles a constrangem e a fazem se afastar das pessoas, e a única forma que encontrou para tentar se livrar da ansiedade que lhe provocam é lavando as mãos várias vezes ao dia. Com estas informações, a principal hipótese diagnóstica é:
Paciente masculino, 68 anos, apresenta episódios intermitentes de enterorragia misturada com as fezes. Há dois meses refere desconforto abdominal, nega puxo e tenesmo. Quais as hipóteses diagnósticas mais prováveis a investigar?
Compartilhar