Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Uma paciente de 60 anos, diabética, estava em casa apresentando dor em hipocôndrio direito há 15 dias e febre. Há 3 dias queixa-se de distensão abdominal progressiva, dor em cólica e vômitos. Foi admitida no hospital em caráter de urgência bastante desidratada e com distensão abdominal marcante. Realizou ultrassom que demonstrou aerobilia e distensão intestinal por gás. Radiografia simples de abdome mostrou imagem de moeda empilhada e ausência de gás no reto. Qual a conduta?

A
Internamento clínico para hidratação e dieta zero.
B
CPRE e papilotomia.
C
Colecistectomia de urgência.
D
Laparotomia para lise de aderências.
E
Laparotomia para enterotomia.
Na visão analítica, o sofrimento mental que pode ser prevenido na vida adulta do concepto por meio do planejamento familiar, de cuidados afetivos à gestante, de assistência afetiva ao parto, ao puerpério e à relação mãe-bebê nas primeiras semanas de vida, refere-se à:
Tercigesta, 26 anos, primeira gestação com pré-eclâmpsia leve, trabalho de parto prolongado e macrossomia fetal. Na 26ª semana da gestação atual, apresentou glicemia de jejum = 98 mg/dl. Foi feito teste de sobrecarga com 75 g de glicose, que revelou glicemia de 208 mg/dl após 2 horas. Trata-se de um caso de:
A epidemia de uso de crack que se apresenta no país preocupa toda a sociedade brasileira. A estimativa, segundo a OMS, é que existam cerca de 3% de usuários, aproximadamente 6 milhões de brasileiros. Em estudo recente feito na Unifesp revelou que cerca de um terço morre, um terço mantém o uso e outro terço encontra a cura. Sobre o uso e dependência dessa droga podemos afirmar, EXCETO:
O câncer gástrico é o segundo tumor mais frequente em todo o mundo. O tratamento de escolha é a gastrectomia e o prognóstico de sobrevida é significativamente pior naqueles que têm metástases linfonodais. A linfadenectomia preconizada em nosso meio é chamada de “D2” por quê:
Compartilhar