Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

Uma paciente do sexo feminino, 70 anos, foi atendida com quadro de dor constante em hipocôndrio direito há 8 horas. O exame físico revelou dor à palpação com defesa em hipocôndrio direito. Temperatura = 37º C; FC = 96. Ultrassonografia evidenciou uma vesícula biliar distendida com um cálculo de 2 cm no infundíbulo e hepatocolédoco de 8 mm. O PROVÁVEL diagnóstico e a conduta mais adequada são:

A
Colecistite aguda; antibioticoterapia e colecistectomia laparoscópica nas primeiras 24 horas.
B
Colecistite aguda; antibioticoterapia e colecistectomia laparoscópica após 4 a 6 semanas.
C
Colangite aguda; antibioticoterapia e papilotomia endoscópica.
D
Colecistite aguda; antibioticoterapia e colecistectomia aberta.
Pré-escolar de cinco anos é levado a atendimento médico com história de cefaleia, vômitos e alteração do comportamento, caracterizada por irritabilidade e hiperatividade, há dois meses. Exame físico: paciente pouco cooperativo, hiperpneico, FC: 60 bpm, PA: 130X90 mmHg. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Mulher de 63 anos com quadro de melancolia, crises de ansiedade, choro fácil, perda do interesse pelas atividades do dia-a-dia e insônia terminal há dois meses, vai ao consultório médico referindo perda de apetite e dores musculares difusas. Seu exame físico é normal. Ela relata que, há 40 dias, faz uso de bromazepan 3 mg à noite. A melhor opção de tratamento para essa paciente é:
O transplante de fígado é a única opção curativa para pacientes com doença hepática descompensada. São indicações de transplante de fígado no Brasil, EXCETO:
São característicos da fibromialgia, EXCETO:
Compartilhar