Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Ginecologia

Uma paciente procura um pronto socorro, em 8/11/08, com queixa de dor em cólica em hipogástrio e sangramento transvaginal. Na história, encontra-se DUM em 10/09/08, Gesta I, para I e aborto 0. Nega método contraceptivo. Vida sexual ativa. Sem antecedentes pessoais e familiares, informa que já tinha feito teste de gravidez há 2 dias (?-HCG 10.200 mUI/mL). Ao exame físico: colo fechado, levemente doloroso, sangramento de pequena quantidade, útero amolecido, palpa-se no toque bimanual em fundo de saco lateral esquerdo uma massa de consistência “borrachosa”, sensível no local, em torno de 2 cm. Lado direito livre. É realizada uma ultrassonografia transvaginal e apresenta laudo: Útero com miométrio homogêneo, eco endometrial espesso e complexo, volume uterino de 81 cm³, massa heterogênea 2 cm em anexo esquerdo, ovário direito de textura habitual medindo 3 cm³, fundo de saco livre. Exames laboratoriais: ?-HCG 6.800 mUI/mL, progesterona sérica 15ng/mL, hematócrito 38% hemoglobina 12g/dL, leucócitos 6.800 mm³ (sem desvio para a esquerda). Qual o seu diagnóstico e conduta?

A
Aborto incompleto e cisto de ovário. Fazer curetagem e acompanhar níveis de ß-HCG até negativar e controle ultrassonográfico do cisto.
B
Mola hidatiforme e cisto de ovário. Fazer curetagem e acompanhar níveis de ß-HCG até negativar e controle ultrassonográfico do cisto.
C
Espessamento endometrial e cisto de ovário. Fazer aspiração manual intra-uterina (AMU) diagnóstica, repouso e acompanhar níveis de ß-HCG em 48 horas.
D
Prenhez ectópica. Conduta expectante, repouso e acompanhar níveis de ß-HCG em 48 horas. Se continuarem em níveis decrescentes, fazer controle até sua negativação.
E
Prenhez ectópica. Fazer laparotomia para explorar massa anexial e acompanhar níveis de ß-HCG até sua negativação.
O tromboembolismo pulmonar (TEP) agudo é situação clínica comum associada à alta morbidade e mortalidade, quando o tratamento não é instituído de forma adequada. Como a sua apresentação clínica é variável, estima-se que 50% dos casos de TEP agudo não são diagnosticados; portanto, é fundamental identificar os doentes em risco, seguir investigação diagnóstica e iniciar o tratamento recomendado. Dado esse contexto, assinale a alternativa INCORRETA:
Presença de hipercelularidade mesangial e endotelial, infiltrado glomerular polimorfonuclear, depósitos imunes, granulares, subendoteliais de IgG, IgM, C3 e depósitos subepiteliais em forma de corcovas (humps) caracterizam anatomopatologicamente a:
Paciente de 80 anos, com arterioesclerose generalizada, interna com quadro de insuficiência renal aguda (IRA), 4 dias após realização de aortografia. Ao exame físico, notava-se livedo reticularis em membros inferiores, dedos dos pés azulados, hipocomplementenemia e eosinofilúria. O diagnóstico mais provável é:
Com relação à pneumonia por hipersensibilidade, assinale a alternativa CORRETA:
Compartilhar