Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Ginecologia

Uma paciente procura um pronto socorro, em 8/11/08, com queixa de dor em cólica em hipogástrio e sangramento transvaginal. Na história, encontra-se DUM em 10/09/08, Gesta I, para I e aborto 0. Nega método contraceptivo. Vida sexual ativa. Sem antecedentes pessoais e familiares, informa que já tinha feito teste de gravidez há 2 dias (?-HCG 10.200 mUI/mL). Ao exame físico: colo fechado, levemente doloroso, sangramento de pequena quantidade, útero amolecido, palpa-se no toque bimanual em fundo de saco lateral esquerdo uma massa de consistência “borrachosa”, sensível no local, em torno de 2 cm. Lado direito livre. É realizada uma ultrassonografia transvaginal e apresenta laudo: Útero com miométrio homogêneo, eco endometrial espesso e complexo, volume uterino de 81 cm³, massa heterogênea 2 cm em anexo esquerdo, ovário direito de textura habitual medindo 3 cm³, fundo de saco livre. Exames laboratoriais: ?-HCG 6.800 mUI/mL, progesterona sérica 15ng/mL, hematócrito 38% hemoglobina 12g/dL, leucócitos 6.800 mm³ (sem desvio para a esquerda). Qual o seu diagnóstico e conduta?

A
Aborto incompleto e cisto de ovário. Fazer curetagem e acompanhar níveis de ß-HCG até negativar e controle ultrassonográfico do cisto.
B
Mola hidatiforme e cisto de ovário. Fazer curetagem e acompanhar níveis de ß-HCG até negativar e controle ultrassonográfico do cisto.
C
Espessamento endometrial e cisto de ovário. Fazer aspiração manual intra-uterina (AMU) diagnóstica, repouso e acompanhar níveis de ß-HCG em 48 horas.
D
Prenhez ectópica. Conduta expectante, repouso e acompanhar níveis de ß-HCG em 48 horas. Se continuarem em níveis decrescentes, fazer controle até sua negativação.
E
Prenhez ectópica. Fazer laparotomia para explorar massa anexial e acompanhar níveis de ß-HCG até sua negativação.
Em 2009, vimos crescer, entre os salões de beleza, a preocupação com os cuidados de higiene e a prevenção de doenças transmissíveis, fruto de um trabalho educativo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Em uma conversa num salão carioca, você escuta que todos os tipos de hepatite infecciosa podem ser evitados com os cuidados de autoclavagem para esterilização do material. Você esclarece, então, que esta iniciativa é adequada para evitar a transmissão do vírus causador da hepatite:
Uma paciente de diabetes tipo 2, de 68 anos, chega ao posto de saúde queixando-se de dor em queimação intensa e uma lesão avermelhada, mal definida, quente, com bolhas, ao redor de uma pequena ferida localizada na região pré-tibial inferior esquerda. Dos antimicrobianos abaixo, o mais apropriado para o tratamento dessa paciente seria:
Em relação à Febre Reumática, assinale a alternativa correta:
Pedro Paulo, 32 anos, casado, engenheiro agrônomo, residente em Sobral, procura seu médico de família com queixa de lesão eritematoescamosa com bordas nítidas em região inguinal, extensa, acometendo o períneo e a região glútea, bilateral. Referiu prurido intenso que provocou liquenificação e escurecimento da área. Baseando-se no caso acima e em seus conhecimentos, assinale a alternativa CORRETA:
Compartilhar