Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Uma primigesta de 23 anos em trabalho de parto no pré-parto de uma maternidade apresenta, ao exame de toque vaginal, colo uterino 100% apagado, dilatado de 6 cm, feto em apresentação cefálica e membranas amnióticas íntegras. No exame de cardiotocografia intra-parto o padrão é reativo e os batimentos cardiofetais estão a uma frequência de 144 batimentos por minuto. A atividade uterina em 10 minutos é de 6 contrações, com intensidade de 50 mmHg, duração de 60 segundos e com tônus uterino normal. Dentre as medidas maternas iniciais, a mais indicada a ser adotada pelo obstetra é:

A
Administrar uterolítico.
B
Estimular a deambulação.
C
Administrar misoprostol.
D
Orientar o decúbito lateral.
Com relação ao exame neurológico da criança podemos afirmar que:
Tipo de carcinoma basocelular mais propenso a dar metástases linfonodais:
RN com 37 semanas apresentando logo após nascimento um quadro clínico de desconforto respiratório leve (predominando taquipnéia = 100 ipm), e no rx tórax é visto infiltrado bilateral difuso com aumento da trama broncovascular (imagem conhecida como "coração cabeludo"). Com tratamento adequado houve melhora dos sintomas em 48h. Esse quadro clínico é compatível com:
Paciente de 45 anos, com história de icterícia há um ano. Refere perda de 9kg nos últimos 8 meses. Ao exame, icterícia (++/4+), abdômen flácido não doloroso à palpação, sem massas palpáveis ou visceromegalias. Bilirrubinas totais: 12mg/dl com predomínio de diretas; fosfatase alcalina, Gama G T e transaminase muito aumentadas. A CPRE revelou colédoco sem cálculos com boa passagem do contraste para o duodeno. Via biliar intrahepática irregular, com áreas de dilatação segmentar. O diagnóstico provável é:
Compartilhar