Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Endocrinologia

Nefrologia

Hepatologia

Varizes esofagianas são dilatações das veias da submucosa esofágica e, quando rotas, causam hemorragias digestivas muito graves. Neste contexto, analise as informações a seguir e assinale a correta.

A
Fístulas arteriovenosas traumáticas podem ser a causa, pois o fígado é irrigado pela artéria hepática e a veia porta e, além disso, T.I.P.S (transjugular intrahepatic portalsystemic shunt) é uma das formas de tratamento endovascular da hipertensão portal.
B
Podem ser tratadas por técnicas de esclerose das varizes, embora o tratamento cirúrgico deva ser prioritário.
C
Representam 2/3 das hemorragias digestivas altas graves e o diagnóstico diferencial deve ser feito com úlcera péptica hemorrágica, sobretudo duodenal.
D
São causadas por síndrome de hipertensão portal com ou sem comprometimento sistemático da célula hepática e o Balão de Sengstaken-Blackmore deve ser abandonado, pois além da possível lesão das asas do nariz, com frequência favorece a aspiração respiratória e infecção pulmonar.
E
Estão associadas a uma maior produção de gastrina, devido ao desvio do sangue portal, razão de maior incidência de úlceras gástricas gigantes que podem ser a causa do sangramento e não a ruptura das varizes.
Em um paciente idoso com hipotensão arterial postural sintomática idiopática, qual medicamento poderá ser empregado?
Recém-nascido, 37 semanas de idade gestacional, peso de nascimento = 2570 g, com exame físico inicial normal, com 40 horas de vida, evoluiu com tremores, irritação e temperatura de 38°C. Fontanela normotensa. FR = 70 mpm. FC = 150 bpm. Urinou 3 vezes desde o nascimento e perdeu 9% do peso. Quer mamar a toda hora. Quais são as hipóteses diagnósticas mais prováveis?
Apesar dos grandes avanços na cirurgia e medicina intensiva, a pancreatite aguda continua sendo um dos maiores desafios, principalmente pela evolução muito desfavorável de alguns pacientes. Sobre o manejo da pancreatite aguda, assinale a alternativa incorreta:
Mulher, 66 anos, sabidamente diabética tipo 2 há mais de 10 anos, sem controle satisfatório, hipertensa em uso irregular de anti-hipertensivos, tabagista 30 anos/maço, assintomática, comparece à consulta para avaliação clínica de rotina. Ao exame físico, IMC: 40 kg/m², PA: 212x114 mmHG, FC: 99 bpm. Ausculta cardíaca: Bulhas cardíacas sem sopros. Ausculta respiratória: MV presente sem RA. Abdome e extremidades sem alterações. O eletrocardiograma revela hipertrofia ventricular esquerda. Nesse caso, quais as metas preconizadas para glicemia de jejum, HDL, LDL, triglicérides e PA?
Compartilhar