Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Pneumologia

No quarto dia de internação, na unidade coronariana, Carlos apresenta dispneia de decúbito. Exame físico: FR 35 irpm, oximetria de pulso SaO2 89%, estertores crepitantes até 1/3 médio de ambos os pulmões, pressão venosa da jugular aumentada, presença de B3, sopro holossistólico (3+/6) em ápice, com irradiação para o bordo esternal esquerdo. A colocação de máscara de oxigênio com reservatório fez a SaO2 aumentar para 91%. O paciente mantém-se desperto cianótico e com pulsos arteriais periféricos de baixa amplitude; FR 35 irpm, PA 125 x 90 mmHg. O traçado do ECG no monitor cardíaco não mostra arritmias. Diante desta situação deve-se, inicialmente:

A
instituir ventilação com pressão positiva.
B
passar balão intra-aórtico.
C
iniciar heparinização plena.
D
administrar inibidor de enzima de conversão.
Criança com 2 anos e cinco meses chega ao Pronto-Socorro de Pediatria. Mãe relata que há 15 dias iniciou com tosse e coriza hialina. Há 3 dias iniciou com febre e piora da tosse, que se intensificava à noite. Refere também obstrução nasal e crostas em narinas pela manhã. Ao exame a criança mantinha-se em bom estado geral, eupneica com ausculta pulmonar normal. Oroscopia mostrava discreta hiperemia de orofaringe e gotejamento retronasal de secreção amarelada. Mãe negava passado de asma. Peso: 13kg. Qual a conduta mais adequada?
Juliano, vítima de trauma torácico, apresenta fratura de 4 arcos costais e é levado ao pronto-socorro. Ao exame está estável,corado, eupneico com frequência respiratória de 26 irpm, frequência cardíaca de 90bpm. À ausculta pulmonar tem murmúrio vesicular normal bilateralmente. O radiografia de tórax evidencia um mínimo pneumotórax em ápice de pulmão direito. Os pais de Juliano, preocupados, decidem levá-lo para São Paulo de avião. Qual a medida mais apropriada para o caso?
Geraldo, 68 anos de idade, vítima de atropelamento, dá entrada em choque hipovolêmico grave que não responde a infusão de 4000ml de Ringer Lactato. É iniciada a infusão de concentrado de hemácias e levado a laparotomia exploradora. Durante a cirurgia são infundidas mais de 8 bolsas de concentrado de hemácias e o paciente continua sangrando com grande laceração hepática. O cirurgião decide então a aplicar o controle do dano. Em relação à cirurgia de controle de dano pós-traumatismo, assinale a afirmativa CORRETA:
Paciente do sexo masculino com 25 anos de idade e diabético deu entrada no serviço de pronto atendimento com queixas de dor abdominal, febre e vômitos há 48 horas. Ao exame físico, o paciente estava desidratado. Considerando esse caso clínico, julgue o seguinte item: A dosagem sérica de sódio nesse paciente estará provavelmente elevada, devido à perda volêmica sem reposição adequada.
Compartilhar