Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Vinicius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame, físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnóstica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinicius está assintomático após um mês de tratamento diário com IBP. A endoscopia digestiva mostra esôfago de Barret e a histopatologia afasta displasia. A esofagomanometria revela pressão normal do esfíncter esofagiano inferior e ausência de distúrbios motores. Em relação ao diagnóstico de Barrett deve-se recomendar:

A
terapia endoscópica ablativa.
B
vigilância ativa com biópsias endoscópicas sequenciais.
C
cirurgia antirrefluxo.
D
esofagectomia.
Existe uma síndrome que ocasiona pequenos abscessos na superfície hepática. Na fase aguda, forma um exsudato purulento na cápsula de Glisson. Na forma crônica, forma aderências do tipo "corda de violino" entre a superfície hepática e a parede abdominal anterior. A síndrome acima descrita pode ser causada por duas espécies bacterianas, denominadas:
Gestante em período expulsivo, com feto macrossômico, uma vez liberado o polo cefálico, apresenta encravamento da cintura escapular (distócia de ombro) com consequente dificuldade para extração fetal. Considerando esse contexto, qual é a primeira manobra a ser realizada para resolução da distócia?
Uma mulher de 42 anos é trazida à sala de emergências médicas devido a um quadro clínico caracterizado por Hipotensão Arterial, pele fria e esturpor. Os exames acusam Glicemia: 60 mg/dl; Sódio sérico: 112 mEq/l e Potássio sérico: 6,0 mEq/l. Dado esse quadro, qual das causas abaixo NÃO é compatível com uma das causas da patologia que acomete essa paciente?
Com relação à Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), correlacione as colunas abaixo e assinale a alternativa CORRETA: I. VEF1/CVF<70%; VEF1 entre 50 e 79% previsto; com ou sem sintomas. II. VEF1/CVF<70%; VEF1 "Maior ou Igual a" 80% previsto; com ou sem sintomas. III. PaO2 "Menor ou Igual a" 60mmHg; Sat.O2 "Menor ou Igual a" 90%; com falência cardíaca direita. IV. Broncodilatadores de longa duração + corticosteroides inalados + reabilitação, sem necessidade de O2 domiciliar. V. Corticosteroides sistêmicos + Oxigenoterapia. ( ) DPOC muito grave (grau IV). ( ) DPOC grave (grau III). ( ) DPOC moderado (grau II). ( ) DPOC exacerbado. ( ) DPOC leve (grau I).
Compartilhar