Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Vinicius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame, físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnóstica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinicius está assintomático após um mês de tratamento diário com IBP. A endoscopia digestiva mostra esôfago de Barret e a histopatologia afasta displasia. A esofagomanometria revela pressão normal do esfíncter esofagiano inferior e ausência de distúrbios motores. Em relação ao diagnóstico de Barrett deve-se recomendar:

A
terapia endoscópica ablativa.
B
vigilância ativa com biópsias endoscópicas sequenciais.
C
cirurgia antirrefluxo.
D
esofagectomia.
Paciente do sexo masculino, 48 anos, com índice de massa corpórea (IMC) = 34 kg m2, circunferência abdominal = 106 cm e glicemia de jejum = 115 mg/dl. Com base nos dados e nos conhecimentos sobre o tema, é correto a?rmar:
Num paciente com trauma torácico e pulso paradoxal, a suspeita é de que o paciente apresente:
Um paciente apresenta episódios repetidos de sangramento anal. O exame proctológico revela a presença de hemorroida com prolapso e redução espontânea, situada acima da linha denteada, com sinais recentes de sangramento. O tratamento mais adequado para este caso deve ser:
Os tipos de bacia que se encontram mais frequentemente associados às variedades de posição posteriores e transversas, respectivamente, são:
Compartilhar