Questões na prática

Clínica Médica

Reumatologia

Vinícius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época, foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnóstica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinícius permaneceu 4 meses em viagem e retorna antecipadamente com fadiga, febre elevada e dor articular intensa, calor e edema em joelho direito, tornozelo direito, dorso do pé e punho esquerdo, além de lombalgia, há 1 semana. Deambulava com grande dificuldade e havia recebido diagnóstico de tendinite do Aquileu bilateral. Ao retornar, revela ao médico ter tido relações sexuais sem preservativos com uma colega de trabalho, durante a viagem, seguida, algumas semanas após, de disúria autolimitada. O achado radiológico que pode ser compatível com o quadro descrito é:

A
lesões líticas no corpo vertebral
B
sacroileíte
C
periostite
D
necrose asséptica femoral
Assinale a alternativa correta sobre a doença pilonidal intreglútea:
Homem de 29 anos de idade, com história de etilismo pesado, foi trazido pela família ao pronto-socorro porque estava muito sonolento e agitado há 2 dias. Ao exame, o paciente alternava agitação psicomotora com sonolência; estava desorientado; desatento; taquicárdico (102 bpm) e apresentava sudorese; tremores de mãos; PA: 150 x 105 mmHg. Após instituir hidratação intravenosa e iniciar investigação da causa do quadro de delirium, qual é o medicamento prioritário neste caso?
Mulher, 45a, obesa, refere dor no pé há 4 meses com piora progressiva. No momento apresenta dificuldade para caminhar, principalmente no período da manhã quando acorda. Parou de fazer caminhadas devido à dor. Exame físico: dor à palpação da face medial do calcanhar. O DIAGNÓSTICO E A CONDUTA SÃO:
ID: Mulher, 58 anos de idade, portadora de fibrilação atrial diagnosticada há dois anos, HMA: iniciou há 8 horas com dor, frialdade e cianose fixa no pé esquerdo. Nega história prévia de claudicação intermitente em membros inferiores (MMIIs). EF: não apresenta os pulsos distais palpáveis no MIE e o exame do MID encontra-se normal, com todos os pulsos palpáveis. INR= 1,8. A conduta imediata mais apropriada é:
Compartilhar