Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Pneumologia

Dermatologia

Pediatria Geral

Doenças Respiratórias

Você atende um escolar de 7 anos com história de 10 dias de tosse inicialmente seca, que progride para tosse em acessos com expectoração esbranquiçada. É acompanhada, ainda, de febre persistente, anorexia e astenia nos últimos 4 dias. No primeiro dia de febre, por conta própria, a genitora iniciou amoxacilina em doses habituais. Como a febre e tosse persistiram, a mãe resolveu procurar atenção médica. É uma criança previamente hígida, sem antecedentes pessoais dignos de nota. Tem um irmão que apresentou quadro semelhante há 1 mês. Ao exame, estado geral regular, discretamente dispneico, febril, hidratado, acianótico, ausculta cardíaca normal, respiratória com MV diminuído em 1/3 inferior direito com estertores finos, tiragem intercostal discreta e FR = 32 ipm. Ainda há discreto exantema macular em tronco. Qual a conduta correta para esse caso?

A
Manter a amoxacilina, dobrando a dose, pois se trata de um escolar, e o agente mais provável é um S. pneumoniae resistente.
B
Reinvestigar: solicitar radiografia de tórax, se constatar que não há derrame pleural, trocar o antibiótico para amoxacilina com clavulanato de potássio, pois o agente provável deve ser o H. influenzae tipo B.
C
Reinvestigar: solicitar radiografia de tórax, se constatar que não há derrame pleural; solicitar também hemograma, hemocultura; pesquisa para Mycoplasma pneumoniae e trocar antibiótico para um macrolídeo.
D
Reinvestigar: solicitar radiografia de tórax e teste tuberculínico devido à possibilidade de tuberculose pulmonar, uma vez que há irmão com história semelhante.
E
Manter a conduta, pois, devido à presença do exantema, a pneumonia deve estar associada a um agente viral.
Das alternativas abaixo, uma não apresenta critérios diagnósticos para a síndrome de secreção inapropriada de ADH (hormônio antidiurético):
Sobre o sangramento dos tumores colorretais, pode-se afirmar que:
Vinicius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame, físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnóstica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinicius está assintomático após um mês de tratamento diário com IBP. A endoscopia digestiva mostra esôfago de Barret e a histopatologia afasta displasia. A esofagomanometria revela pressão normal do esfíncter esofagiano inferior e ausência de distúrbios motores. Em relação ao diagnóstico de Barrett deve-se recomendar:
Vinícius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época, foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnóstica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinícius permaneceu 4 meses em viagem e retorna antecipadamente com fadiga, febre elevada e dor articular intensa, calor e edema em joelho direito, tornozelo direito, dorso do pé e punho esquerdo, além de lombalgia, há 1 semana. Deambulava com grande dificuldade e havia recebido diagnóstico de tendinite do Aquileu bilateral. Ao retornar, revela ao médico ter tido relações sexuais sem preservativos com uma colega de trabalho, durante a viagem, seguida, algumas semanas após, de disúria autolimitada. O achado radiológico que pode ser compatível com o quadro descrito é:
Compartilhar