Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Você avalia um paciente na sala de emergência e conclui que este é portador de uma ferida transfixante de mediastino. Sua conduta deverá ser:

A
Fazer uma toracotomia lateral esquerda, independente da condição clínica após breve ressuscitação.
B
Fazer uma ressuscitação agressiva e só operar após obter ótimos níveis pressóricos.
C
Manter, se o paciente estiver estável, uma observação clínica rigorosa e só fazer exames se houver mudança no quadro clínico.
D
Realizar, se o paciente estiver estável, uma videotoracoscopia e uma mediastinoscopia de rotina.
E
Avaliar, se o paciente estiver estável, com sintomas ou não, as vias respiratórias (com broncoscopia), o esôfago (com endoscopia), o coração e grandes vasos (com arteriografia ou TC) e realizar toracotomia de urgência, de acordo com os exames, se houver necessidade.
Duas semanas após a realização de uma colecistectomia laparoscópica, uma paciente de 30 anos apresenta-se ictérica. O exame ultrassonográfico do abdome revela leve dilatação das vias biliares intra e extra-hepáticas com imagem ecogênica produzindo sombra acústica localizada no colédoco distal. A melhor conduta nesse caso é:
Em quais das situações abaixo o recém-nascido (RN) deve ser avaliado para hipoglicemia?
Marisa, 24 anos, obesa mórbida, foi submetida a cirurgia de redução gástrica por pela técnica de Fobbi-Capella. No 3° dia de pós-operatório apresentou taquicardia e desconforto abdominal e, no dia seguinte, observou-se drenagem de secreção biliosa pela ferida operatória. Este quadro sugere:
Quais dos sinais abaixo caracterizam, segundo os critérios de Jones, o diagnóstico de febre reumática, numa criança com infecção estreptocócica prévia?
Compartilhar