Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Você é chamado para atender na sala de parto a um recém-nascido a termo, cuja mãe foi submetida à cesárea de emergência após diagnóstico de desproporção céfalo-pélvica. O recém-nascido nasceu hipotônico, cianótico, em apneia e com frequência cardíaca de 40 bpm, e necessitou de intubação traqueal, massagem cardíaca e 1 dose de adrenalina endovenosa para recuperar-se na sala de reanimação. Recebeu escore de Apgar de 1, 3 e 5, respectivamente no 1º, 5º e 10º minutos. Sobre o manejo terapêutico adequado desse recém-nascido na unidade de terapia intensiva neonatal, é correto afirmar:

A
A hiperventilação está formalmente indicada, a fim de reduzir o edema cerebral e melhorar o prognóstico da lesão cerebral no recém-nascido.
B
A infusão de bicarbonato para correção de acidose metabólica deve ser feita de modo criterioso, pelo risco de hipercapnia e de acidose intracelular.
C
A oferta hídrica deve ser liberal, a fim de reduzir o risco de insuficiência renal pré-renal.
D
Se indicado, o anticonvulsivante de primeira escolha para o caso é o diazepam.
E
A oferta de glicose deve ser ajustada, com o objetivo de manter uma glicemia acima de 150 mg/dL, a fim de evitar o risco de hipoglicemia e consequente dano cerebral adicional.
Julgue o item que se segue, relativo ao caso clínico de uma paciente de 40 anos de idade portadora de litíase biliar sintomática. Não pode ser excluído o diagnóstico de coledocolitíase, caso as dosagens de enzimas hepáticas dessa paciente sejam normais.
Julgue o item que se segue, relativo ao caso clínico de uma paciente de 40 anos de idade portadora de litíase biliar sintomática. Se a paciente referir dor no hipocôndrio direito há mais de 24 horas, febre, e o exame físico evidenciar sinal de Murphy, a colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) estará indicada.
Julgue o item que se segue, relativo ao caso clínico de uma paciente de 40 anos de idade portadora de litíase biliar sintomática. Se a paciente apresentar quadro de pancreatite biliar leve, é indicada a extração de cálculos por CPRE.
Durante consulta ambulatorial, um homem de 40 anos de idade relatou episódios recorrentes de dor intensa na região periorbitária direita, associados a hiperemia conjuntival, lacrimejamento, rinorreia e ptose palpebral que também ocorrem no lado direito; esses eventos têm duração de uma hora (dois episódios diários, geralmente noturnos e que acordam o paciente). Ele informou também que fica até duas semanas sem cefaleia. No exame clínico, constataram-se ptose palpebral, miose e ausência de sudorese na hemiface direita. Considerando as informações acima, julgue o item que se segue. A principal hipótese diagnóstica é cefaleia por arterite temporal (de células gigantes).
Compartilhar