Colunistas

Reabilitação pós COVID-19 | Colunistas

Reabilitação pós COVID-19 | Colunistas

Compartilhar

Matheus Carvalho

8 min há 161 dias

A reabilitação tem como objetivo ajudar os pacientes a se recuperarem e a manterem a funcionalidade normal tanto fisicamente quanto psicossocialmente. Em um momento de recuperação global da pandemia, a reabilitação pós COVID-19 ganha um destaque muito importante quando se trata de medidas públicas e privadas na atenção à saúde, principalmente em nível de prevenção terciária. Equipes de reabilitação multidisciplinares têm se empenhado em lidar com as sequelas do COVID-19, sejam elas físicas ou psicossociais, preferencialmente de maneira telepresencial,porém não exclusivamente. Independentemente do método escolhido para a reabilitação, a segurança e os cuidados devem seguir recomendações de diretrizes elaboradas especificamente para o Covid-19, como uso de EPIs e entre outras.

Equipe Multidisciplinar

 Figura 1 – Equipe multidisciplinar de reabilitação pós covid. ( https://cutt.ly/5kYcaGN )

Um dos princípios amplamente adotados pelo  SUS, tanto na atenção à saúde pública quanto na privada, é a integralidade, contemplando o paciente como um ser biopsicossocial. É necessária uma equipe multiprofissional onde o paciente será investigado com especialidades e percepções diferentes, elevando o tratamento para além de uma assistência meramente curativa, mas estabelecendo uma reabilitação consistente e contínua ao paciente.

Essa equipe é constituída pelos seguintes profissionais: médico, enfermeiro de reabilitação, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, nutricionista (dependendo da instituição), fonoaudiólogos e psicólogos.

Indicação e avaliação

A reabilitação é indicada a todo paciente que evoluiu com dificuldades ou limitações cognitivas, psíquicas ou físicas após a fase aguda do Covid-19, independentemente da idade do paciente.

A avaliação é feita pelo médico juntamente com a  equipe multiprofissional de reabilitação, havendo a possibilidade de tirar dúvidas sobre essa fase com os profissionais através de teleconsultas. Nessa etapa, são investigadas as capacidades funcionais e outros aspectos como: condições nutricionais, grau de fadiga, qualidade de vida, capacidades cognitivas e psíquicas, tudo isso nas 48 horas que precedem a alta, podendo dar início a reabilitação até mesmo durante os sintomas, para maior adesão do paciente. Após a avaliação do paciente, ocorre a classificação do mesmo como leve, moderado ou grave.

Figura 2- Sintomatologia das classificações do paciente com covid-19. (Adaptado de BRASIL. Ministério da Saúde, 2020.)

Telereabilitação

Essa nova modalidade de reabilitação (telereabilitação) tem sido uma solução para os problemas que o isolamento causado pela pandemia do Covid-19 proporcionou, sendo inserida a distância ou, em alguns casos, desde o começo do tratamento e perdurando após a alta hospitalar para uma melhor adesão da tecnologia que tem se mostrado eficiente e segura.

As telereabilitação ocorrem da seguinte forma:

Pacientes em estados leves: O paciente será orientado e receberá uma apostila com exercícios para serem realizados em casa.

Pacientes em estados moderados: Através de plataformas de tratamento online, o paciente terá 12 sessões de terapia com a equipe multidisciplinar de reabilitação.

Pacientes em estados graves: O paciente em estado grave receberá atendimento presencial quando apresentar 2 testes negativos ao Covid-19, já para os que ainda não apresentaram 2 testes negativos, o atendimento será a distância, sendo um total de 20 sessões de terapia com a equipe.

Reabilitação presencial

Sendo utilizada principalmente em doenças pulmonares crônicas como DPOC, esta reabilitação é aplicada  em pacientes considerados em estado grave pelo Covid-19, no entanto o paciente deve apresentar 2 testes negativos ao vírus para realizar a reabilitação de modo presencial. As terapias são através de drenagem postural, atividades aeróbicas e atividades que promovem desenvolvimento muscular específicos, como os músculos responsáveis pela respiração.

Por motivos de isolamento social e preservação da saúde em tempos de pandemia, a reabilitação presencial está gradualmente sendo substituída pela telereabilitação.

Segurança e cuidados

Os equipamentos dos profissionais da área da saúde são potenciais reservatórios para micro-organismos, e muitas vezes,infecções são levadas de um paciente a outro pelo próprio profissional, um problema já existente antes da pandemia, mas com muita relevância quando pensamos em COVID-19. Os EPIs (equipamentos de proteção individual) são de extrema importância nesse quadro, assim como regras e diretrizes a serem seguidas pelos profissionais a fim de não se tornarem fômites para o Covid-19.

Algumas regras de segurança foram estabelecidas e amplamente adotadas em relação a reabilitação pós Covid, dentre elas podemos citar:

1°. A visita domiciliar para paciente emsuspeita de covid deve ser evitada, assim como a infectados, havendo algumas possibilidades: acompanhamento por telefone e/ou vídeo chamadas, disponibilização de folders, cartilhas, boletins informativos, podcasts, áudios de orientação e outros recursos que estiverem disponíveis a distância a fim de conscientizar e educar o paciente.

2°. Caso haja necessidade de visitas domiciliares, os profissionais devem se paramentar com todos os EPIs necessários, assim como os pacientes e seus familiares.

3°. Pacientes em suspeita ou infectados só devem ser assistidos presencialmente caso tenham a documentação da cura da infecção.

4°. O NASF (Núcleo Ampliado de Saúde da Família) tem direito de operar com equipes multidisciplinares itinerantes para pacientes em reabilitação pós covid-19, dentro dos territórios de sua responsabilidade.

5°. As equipes devem apoiar as transições entre hospital e domicílio nos casos complicados que requerem maior acompanhamento, como doenças crônicas, deficiências, idosos, pacientes em oxigenoterapia.

. Parcerias devem ser estabelecidas com os equipamentos sociais do território, utilizando a infraestrutura, recursos materiais e equipe profissional contribuintes para a ampliação do acesso à reabilitação.

Que resultado esperar após a reabilitação?

Ao fim da reabilitação pós Covid, feita com auxílio das equipes multiprofissionais, alguns resultados como a melhora total ou parcial das sequelas causadas pela infecção do Covid-19 são esperados, tendo a possibilidade de extensão da reabilitação caso não haja sinais de melhora.

Muitas instituições brasileiras oferecem programas e/ou auxílios, informativos ou sociais, para a reabilitação pós covid-19, alguns exemplos são: UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul); Hospital Israelita Albert Einstein; PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul); Secretaria Municipal de Saúde de São Caetano do Sul/SP: NASF; Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis.

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Referências:

BRAGA, Dr. Fabrício; MORAES, Dr. Gabriel O.M. Reabilitação cardiopulmonar após covid-19. MedScape, [s. l.], 15 jul. 2020. Disponível em: https://portugues.medscape.com/verartigo/6505052. Acesso em: 10 fev. 2021.

CLINICAL management of patients with COVID-19 – General considerations. World Health Organization, [s. l.], 2020. Disponível em: https://openwho.org/courses/clinical-management-COVID-19-general-considerations/items/1aHv4CZZEjz7akeiCFoWNO. Acesso em: 11 fev. 2021.

FILHO, Airton dos Santos; DOURADO, Péricles; LIMA, Alessandra; VIEIRA, Luciana. REABILITAÇÃO PÓS COVID-19. Subsecretaria de Saúde Gerência de Informações Estratégicas em Saúde CONECTA-SUS, [s. l.], 17 nov. 2020. Disponível em: https://www.saude.go.gov.br/files//banner_coronavirus/protocolos-notas/8%20-%20S%C3%ADnteses%20de%20Evid%C3%AAncias/S%C3%ADndrome%20P%C3%B3s%20COVID-19%20-%20Reabilita%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

FRASER, Emily. Long term respiratory complications of covid-19. The BMJ, [s. l.], 20 ago. 2020. DOI https://doi.org/10.1136/bmj.m3001. Disponível em: https://www.bmj.com/content/370/bmj.m3001. Acesso em: 11 fev. 2021.

OLIVEIRA, Adriana Cristina de; SILVA, Marlene das Dores Medeiros; GARBACCIO, Juliana Ladeira. Vestuário de profissionais de saúde como potenciais reservatórios de microrganismos: uma revisão integrativa. Texto contexto – enferm.Florianópolis ,  v. 21, n. 3, p. 684-691,  Set.  2012.   Disponível em: . Acessado em: 11Fev.  2021.  https://doi.org/10.1590/S0104-07072012000300025.

ORIENTAÇÕES PARA MANEJO DE PACIENTES COM COVID-19. Portal de Boas Práticas: Ministério da Saúde, [s. l.], 2020. Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wp-content/uploads/2020/06/Covid19-Orienta-esManejoPacientes.pdf. Acesso em: 10 fev. 2021.

ORIENTAÇÕES para Pacientes Reabilitação após alta hospitalar por COVID-19. A.C. Camargo Cancer Center, [s. l.], 2020. Disponível em: https://accamargo.org.br/sites/default/files/2020-08/cartilha-pacientes-orientacoes-reabilitacao-apos-alta-hospitalar-covid-19.pdf. Acesso em: 10 fev. 2021.

PROGRAMA de Telereabilitação para o paciente pós-alta da Covid-19. Sociedade Beneficente Israelita Brasileira, [s. l.], 2020. Disponível em: https://www.einstein.br/estrutura/reabilitacao/programas/reabilitacao-pos-alta-covid19. Acesso em: 9 fev. 2021.

SOUZA, Marcio Costa de et al. Integralidade na atenção à saúde: um olhar da Equipe de Saúde da Família sobre a fisioterapia: Integral health assistance: a look to physiotherapy from the point of view of the Family Health Team. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 36, ed. 3, p. 452-460, 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/integralidade_antecao_saude_olhar_equipe.pdf. Acesso em: 10 fev. 2021.

VILANOVA, Roberta. Governo atua na reabilitação de pacientes pós Covid-19. Secretária de Saúde Pública Governo do Pará, [s. l.], 13 out. 2020. Disponível em: http://www.saude.pa.gov.br/governo-atua-na-reabilitacao-de-pacientes-pos-covid-19/. Acesso em: 11 fev. 2021.

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.