Coronavírus

Reação alérgica após dose da vacina da Pfizer-BioNTech nos EUA

Reação alérgica após dose da vacina da Pfizer-BioNTech nos EUA

Compartilhar

Sanar Medicina

4 minhá 68 dias

Hoje discutiremos um pouco a reação alérgica após administração da vacina da Pfizer-BioNTech contra a COVID-19. A vacina recebeu autorização para uso emergencial nos EUA em Dezembro de 2020. O esquema consiste em 2 aplicações, separadas por um intervalo de 21 dias. 

O objetivo do post será trazer as características clínicas e epidemiológicas dos casos reportados.

Apesar do evento ter ocorrido fora do nosso País, é importante aprender com a experiência relatada, já que reações como estas podem ocorrer com qualquer vacina.

Registro de reações alérgicas após vacinação

Até o dia 23 de Dezembro, 1.893.360 doses da vacina já haviam sido administradas. Dentre os vacinados, 4.393 (0,2%) apresentaram efeitos adversos, registrados pelo sistema de reportação de efeitos adversos de vacinas. 

Após análise mais completa dos dados, 175 casos foram investigados de forma mais detalhada, sendo considerados casos possíveis de reação alérgica grave, incluindo anafilaxia. 

A anafilaxia é a ocorrência de reação alérgica grave ameaçadora da vida. Ainda que de forma rara, pode ocorrer após a vacinação, e o início dos sintomas acontece geralmente dentro de minutos a horas após administração da dose da vacina.

Características dos pacientes com reação anafilática

Dentre os 175 casos analisados, 21 foram considerados casos de anafilaxia, o que determina uma razão de 11,1 caso a cada milhão de doses administradas. 

Destes 21 casos, 17 já possuíam histórico de alergias ou reações alérgicas, e 7 deles já haviam apresentado episódio de anafilaxia.

A idade média dos pacientes com reação anafilática foi de 40 anos (27-60 anos), sendo 19 (90%) pertencentes ao sexo feminino.

Porém, o número de mulheres que receberam a vacina foi muito maior que o número de homens. 

O intervalo médio de aparecimento dos sintomas foi de 13 minutos, variando entre 2 até 150 minutos, sendo que 71% apresentaram reação em até 15 minutos após o recebimento da vacina.

Noventa por cento dos casos foram tratados com Epinefrina. Entre os 20 casos com follow-up, todos recuperaram-se e receberam alta.

Nenhuma morte por anafilaxia foi registrada após a vacinação com a vacina da PfizerBioNTech nos EUA até a data do estudo. 

E os demais casos?

Dentre os casos restantes que não foram considerados como casos de anafilaxia, 86 foram classificados como reação alérgica não anafilática, e 61 deles como reação não alérgica. Sete casos ainda estão sob investigação. 

Como se preparar para as reações?

Para estar preparado contra reações adversas graves, é necessário rastrear aqueles pacientes com contra-indicações para uso da vacina, tomando as devidas precauções previamente à administração. 

Algumas das recomendações propostas pela Centers for Disease Control and Prevention (CDC) incluem:

  • Equipar locais de aplicação da vacina com suprimentos adequados para manejar reações anafiláticas;
  • Implementar períodos de observação pós vacinação;
  • Tratar imediatamente pacientes com sinais e sintomas de anafilaxia com injeção intramuscular de Epinefrina. 

Além disso, os pacientes que apresentem reação anafilática devem ser transportados para local onde possam receber tratamento adequado.

É igualmente importante orientar os pacientes a procurar o serviço de emergência imediatamente caso apresentem sinais ou sintomas de reação alérgica após deixar o local de vacinação. 

Posts relacionados:

Referências

Allergic Reactions Including Anaphylaxis After Receipt of the First Dose of Pfizer-BioNTech COVID-19 Vaccine — United States, December 14–23, 2020 – CDC

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.