Residência Médica

Residência de pediatria: quais provas fazer e o que estudar para passar?

Residência de pediatria: quais provas fazer e o que estudar para passar?

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Residência Médica

Tudo o que você precisa saber antes de escolher a residência de pediatria!

A residência médica de pediatria é uma das mais concorridas, trazendo diversas possibilidades de atuação para o profissional. O pediatra poderá atuar em consultórios, ambulatórios ou plantões, em instituições públicas e privadas. Além disso, o pediatra, após a residência, poderá se subespecializar em diversas áreas.

Por estar entre as mais procuradas entre as especialidades médicas, é necessário conhecer essa especialidade antes de escolhê-la. Pensando nisso, a Sanar trouxe os melhores lugares para fazer residência e todas as dicas necessárias para você ser aprovado! 

Como funciona a residência de pediatria?

A residência médica de Pediatria tem duração de três anos, com 60 horas de trabalho por semana (40h em atividades de rotina e 20h em plantão). Durante a residência, o médico irá atuar em diversos serviços durante os 3 anos: 

No R1, o médico atua na atenção básica, no cuidado com pacientes internados. Além disso, há uma linha de cuidado na atenção neonatal básica e treinamento em urgência e emergência. Com o R2, o médico inicia o atendimento no ambulatório de pediatria com casos mais graves, além de aprofundar seu atendimento na atenção neonatal. O contato com a terapia intensiva pediátrica é intensificado no R2.

Durante o R3 o profissional atua no atendimento ambulatorial, no cuidado a pacientes portadores de doenças relacionadas ao domínio das áreas de atuação pediátrica e há um treinamento para atendimento de urgência, emergência e trauma. Além disso, no R3 os residentes trabalham com áreas mais especializadas, como:

  • Atendimento a prematuros
  • Síndrome de down 
  • Má formação congênita

Quais as subespecialidades que exigem a pediatria como pré-requisito? 

O médico pediatra, após finalizar o 3 anos de residência, pode se subespecializar áreas como: 

  • Emergência Pediátrica
  •  Medicina do Adolescente
  • Cardiologia Pediátrica
  • Neurologia Pediátrica

Quais as melhores residências de pediatria? 

A escolha da residência médica é uma etapa fundamental e individual na formação do médico. É necessário que o médico procure bem as instituições que oferecem a especialidade escolhida.

Definir quais as melhores residências em pediatria é uma tarefa difícil, uma vez que não há metodologia única que as compare e análise. Desse forma, listamos algumas instituições com boas referências: 

Residência de pediatria na USP

O programa de residência em Pediatria da USP está entre os mais concorridos do país. O residente participa de rodízios nos seguintes hospitais:

  • Hospital Universitário
  • Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina São Paulo
  • Instituto da Criança e do Adolescente (ICR).

Com uma média de 36 vagas, das quais 4 são reservadas para o Exército, a especialização em Pediatria da USP é uma das mais concorridas de São Paulo.

Além disso, o residente terá acesso ao Instituto da Criança e do adolescente. O ICR é considerado Centro de Referência Nacional em Saúde da Criança pelo Ministério da Saúde, dispondo de:

  • Centro Cirúrgico
  • Centro de Tratamento Intensivo Neonatal 1 e 2 (alocado no Instituto Central do Hospital das Clínicas)
  • UTI Pediátrica
  • Ambulatório
  • Unidade de Diálise
  • Pronto-Socorro
  • Centro de Diagnóstico

A prova de residência 

Na prova da USP, os candidatos devem se preparar para estudar conteúdos das cinco grandes áreas da medicina: Cirurgia, Clínica Médica, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Preventiva. Dentre os assuntos que mais caem estão: 

  • Cirurgia: ortopedia, complicações pós-operatórias, tumores e abscessos hepáticos, oncologia, cirurgia do trauma, cirurgia geral e trauma abdominal
  • Clínica Médica: fibrilação atrial, flutter, bradi, taquicardias, IAM, diabetes, hipertensão, síndrome nefrótica, síndrome nefrítica e artrite.
  • Pediatria: doenças exantemáticas, vacinação, icterícia neonatal e sífilis neonatal
  • Ginecologia e Obstetrícia: cardiotocografia, partograma, HPV, câncer de mama, sangramentos de primeiro trimestre, corrimentos vaginais e úlceras
  • Preventiva: hanseníase, doença de Chagas e arboviroses são comuns. Além disso, nessa parte são cobrados todos os assuntos da área, como conselhos e conferências e as demais considerações sobre o SUS e atenção básica.

Questões comentadas da prova de residência

Aproveite para treinar questões de pediatria da última prova de residência médica da USP. Confira nosso gabarito comentado! 

Questão 1:

Pré-escolar, sexo feminino, 4 anos de idade, vitima de atropelamento, foi admitida na sala de emergência em choque hemorrágico. Devido colapso circulatório, não foi possível obtenção de acesso vascular periférico, sendo indicado acesso intraosseo. Na primeira tentativa de canulação óssea, realizada na tibia proximal direita, houve transfixação. Como a paciente apresentava fratura em tibia esquerda, optou-se por realizar a segunda tentativa no local apontado pelo dedo indicador da mão direita na figura A. Após a canulação óssea, a agulha está firme e houve retorno do fluido mostrado na Figura B.Qual é a afirmação correta com relação ao procedimento descrito? (USP, 2022)

  1. O local é apropriado, mas houve acidente de punção e a agulha deve ser retirada.
  2. O local é inapropriado, deve-se optar pela espinha ilíaca anterossuperior.
  3. Acesso obtido é apropriado para cristaloides, mas não para hemocomponentes.
  4. O local é apropriado e o acesso intraósseo parece bem locado.

Comentário da questão:

A punção intraóssea está indicada em emergências, quando o acesso venoso é essencial e outras vias não estão disponíveis. Nesse caso temos uma indicação clara: criança vítima de atropelamento em choque hemorrágico e sem acesso vascular periférico.

Questão 2: 

Durante a consulta de um bebê de 2 meses de idade, nota-se que a mãe, ao trocar a fralda do bebê, fala com ele num linguajar infantilizado (“manhês”). Como esta atitude é considerada?

  1. Desnecessária, pois nesta idade não é possível reconhecer a fala.
  2. Adequada, por denotar um bom vínculo entre a mãe e a criança.
  3. Prejudicial, porque é um estímulo para o desenvolvimento inadequado da fala.
  4. Inadequada, porque a linguagem expressiva se manifesta próximo aos 12 meses.

Comentário da questão:

Questão que aborda um comportamento característico das mães, o uso de uma linguagem própria, inclusive com modulação de voz, para conversar com a criança, chamado por alguns de “mamanhês”. É a partir dessas conversas com a mãe ou cuidador que a criança desenvolve a linguagem e, por volta dos 2 a 3 meses, começa a emitir sons (arrulhos)

Concorrência de pediatria na USP em 2022

A relação candidato/vaga no mesmo processo seletivo foi de10 candidatos para cada vaga.

Residência de pediatria na UNIFESP

O programa de residência da UNIFESP ocorre no Hospital São Paulo (HSP), que é o Hospital Universitário da Universidade Federal de São Paulo. O programa tem como objetivo promover a formação sólida do profissional, tendo como base:

  • Atendimento integral à criança 
  • Compreensão do significado do processo saúde-doença
  • Atuação em todos os níveis de atenção à saúde

Além disso, a instituição busca fazer com que os residentes vivenciem a relação médico-paciente de forma ampla, estabelecendo um vínculo mais humanizado.

A prova de residência

A prova teórica tem questões envolvendo assuntos de Clínica Médica, Cirurgia,  Obstetrícia-Ginecologia, Medicina Preventiva e Pediatria. As questões costumam ser curtas e diretas com um nível de dificuldade mais elevado. 

  • Clínica Médica: raciocínio clínico baseado em evidências, pneumologia, endocrinologia, nefrologia, tuberculose, HIV, ICC, distúrbios hidroeletrolíticos e câncer de tireoide. 
  • Cirurgia: trauma abdominal, procedimentos & ATLS e o atendimento inicial ao politraumatizado.
  • Ginecologia e Obstetrícia: É uma das partes mais complexas da primeira etapa da seleção. É importante saber bem sobre parto, assistência ao pré-natal, síndromes hipertensivas na gestão, vulvovaginites e cervicites, imagenologia mamária, neoplasias de mama e incontinência urinária.
  • Pediatria: puericultura, doenças perinatais da prematuridade, doenças exantemáticas, imunização, aleitamento e síndromes gastrointestinais e desidratação na infância. 
  • Medicina Preventiva: SUS e atenção básica, vigilância epidemiológica, gestão do SUS e leis e diretrizes do SUS. 

Que tal assistir aulas sobre esses conteúdos? Confira as revisões gratuitas para a prova da UNIFESP da Sanar

Questões comentadas da prova de residência

Aproveite para treinar questões de pediatria da última prova de residência médica da UNIFESP. Confira nosso gabarito comentado! 

Questão 1:

Recém-nascido a termo, peso de nascimento de 3 250 g, adequado para a idade gestacional, nascido de parto cesáreo, chega à primeira consulta com dez dias de vida. A mãe é primípara e hígida. Atualmente, a criança está recebendo leite materno em pequena quantidade e fórmula láctea a cada três horas, iniciada há um dia. Ao exame, observa-se fissuras em ambos os mamilos; à tentativa de amamentar, a criança abocanha o mamilo e a mãe apresenta dor intensa. Assinale as medidas que poderiam ter sido adotadas para evitar a situação atual (UNIFESP, 2022):

  1. Observação com correção do posicionamento e da pega desde as primeiras mamadas e continuidade da orientação após a alta.
  2. Suplementação com fórmula apropriada em bico ortodôntico, orientada antes da alta hospitalar e uso de conchas para amamentação.
  3. Aumento do intervalo entre as mamadas, estímulo à sucção com uso de chupeta e uso de sutiã apropriado para lactantes.
  4. Uso de hidratante na região da aréola durante a gestação e introduzir o dedo indicador na boca da criança para interromper a sucção se for necessário.

Comentário da questão: 

Estamos diante uma questão clássica de dificuldade no aleitamento materno, com certeza potencializada pelo fato da mãe ser primípara e não ter recebido as orientações corretas a cerca do aleitamento ainda na maternidade. Atualmente esse recém-nascido de 10 dias de vida está em aleitamento misto, com uso de fórmula láctea a cada 3 horas.

Questão 2: 

Criança, 9 meses de idade, sexo masculino, previamente saudável, é admitido no PS em bom estado geral, com história de choro intenso com períodos de acalmia sugestivos de dor abdominal em cólica e vômitos. Após algumas horas, apresentou distensão abdominal e evacuação com muco sanguinolento. Assinale a alternativa correta.

  1. Solicitar colonoscopia de urgência devido ao sangramento intestinal.
  2. A causa mais frequente é o divertículo de Meckel com mucosa gástrica ectópica.
  3. A ultrassonografia pode ser usada para o diagnóstico e tratamento
  4. Há indicação cirúrgica após exames pré-operatórios e estabilização clínica.

Comentário da questão:

Paciente tem sintomas clínicos típicos de invaginação intestinal (cólica abdominal, vômitos, distensão e fezes mucossanguinolentas – geleia de morango) e está na faixa etária onde essa doença ocorre com mais frequência, o que corrobora a hipótese diagnóstica.

Concorrência de pediatria na UNIFESP em 2022

 A Unifesp contou com 18 vagas no processo seletivo de 2022. A concorrência não foi de 12 candidatos por vaga na especialidade de pediatria.

Sugestão de leitura complementar