Medicina Legal

Resumo de Lesões por projéteis de arma de fogo | Ligas

Resumo de Lesões por projéteis de arma de fogo | Ligas

Compartilhar
Imagem de perfil de LAMLSC

Apesar de ser uma matéria criminalística, é importante para o perito médico reconhecer as lesões por projéteis de arma de fogo. Em vista disso, faz-se necessário o estudo da balística do ferimento (ou dos efeitos, como é chamada por alguns), que será abordada de modo a resumir as principais características resultantes de tiro a longa distância, a curta distância e encostado. 

Segundo o Atlas da Violência, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), em 2018 tivemos 41.179 homicídios por arma de fogo e um aumento do registro de armas de fogo em 120% só em 2020.

Trajeto

No estudo da balística externa, é importante ressaltar dois conceitos: trajetória e trajeto. Entende-se como trajetória, o percurso do projétil desde sua saída da arma até sua parada.

Já o trajeto, é o caminho percorrido pelo projétil após penetrar o corpo. Este último, pode ter traçados em linha reta (ligando o ferimento de entrada e de saída), terminar em fundo cego ou ainda assumir trajetos diversos decorrentes de embates com algum órgão móvel, devido a desvios.

Desse modo, é importante para o perito notar as variabilidades/ângulos, superfícies atingidas, presença de sangue coagulado (sinal de vitalidade), entre outros fatores que podem ser peças fundamentais para a compreensão da dinâmica do evento.

Lesões por projéteis

Para estudar as lesões causadas por projéteis de arma de fogo é necessário levar em consideração o ferimento de entrada, o ferimento de saída e o trajeto. Todavia, antes de adentrar nesse estudo, é necessária elucidação de alguns conceitos:

Orla de escoriação ou de contusão: ocorre em detrimento do arrancamento da epiderme devido ao movimento de rotação do projétil antes de penetrar no corpo. Logo, ao redor do local de impacto na pele, surge uma região escoriada ou desepitelizada. Se o projétil encontrar um obstáculo antes de entrar no corpo, pode ser que sejam perdidos uma parte ou a totalidade do movimento e da rotação, fato que desencoraja a formação da orla de escoriação, nas lesões por projéteis.

Bordas invertidas da ferida: ocorrem devido à ação traumática do projétil de fora para dentro sobre a natureza elástica da pele.

Halo ou zona de tatuagem: é resultado da impregnação dos resíduos de combustão e semicombustão da pólvora, e das partículas sólidas do próprio projétil. Pode adquirir formatos arredondados nos tiros perpendiculares ou forma de crescente no caso de tiros oblíquos. Possui variações de cor, forma, extensão e intensidade conforme a pólvora. Através da análise da zona de tatuagem, a perícia pode estabelecer a distância exata do tiro ao utilizar a mesma arma e a mesma munição em vários tiros de prova.

Zona ou orla de esfumaçamento: é chamada também de zona de falsa tatuagem, já que ao ser lavada ela desaparece. É resultado do depósito deixado pela fuligem que envolve a ferida de entrada, sendo formada pelos resíduos finos e impalpáveis da pólvora combusta.

Zona de queimadura:  é chamada de zona de chama ou zona de chamuscamento. A ação superaquecida dos gases que atingem e queimam o alvo são os agentes responsáveis por essa zona. Em regiões cobertas de pelos, há um verdadeiro chamuscamento mostrando-os crestados, entortilhados e quebradiços.

Aréola equimótica é representada por uma zona superficial e relativamente difusa, próxima às redondezas do ferimento de entrada, de tonalidade violácea, pode estar encoberta por outros elementos. Decorre do extravasamento de sangue oriundo da ruptura de pequenos vasos localizados na periferia do ferimento.

Halo de enxugo: o halo de enxugo é concêntrico nos tiros perpendiculares, já nos oblíquos, em meia lua. Geralmente, a tonalidade é escura, mas pode variar de acordo com as substâncias que o projétil leva consigo ao penetrar no alvo. O halo é decorrente da passagem do projétil através do tecido, atritando e contundido, limpando neles suas impurezas.

Tiro à longa distância:

Geralmente, ferimento de entrada do tiro à longa distância tem diâmetro menor que o do projétil devido à elasticidade e à retratibilidade dos tecidos cutâneos, forma arredondada quando o tiro é perpendicular ou elíptica quando a inclinação do tiro é oblíqua. Presença de orla de escoriação, orla de enxugo, aréola equimótica e bordas invertidas. Não há os efeitos secundários do tiro.

Tiro à curta distância (à queima-roupa)

O tiro à curta distância é aquele em que o projétil é lançado contra o alvo há uma distância capaz de causar o ferimento de entrada e os efeitos secundários, os quais são as lesões decorrentes da ação dos resíduos de combustão e semicombustão da pólvora, e das partículas sólidas do projétil. Não há uma espaço em centímetros que determine o tiro à curta distância, sendo esse determinado pela presença dos efeitos secundários. O ferimento desse tipo de tiro pode ter borda arredondada ou elíptica, orla de escoriação, zona de tatuagem, bordas invertidas, halo de enxugo, zona de esfumaçamento, zona de queimadura, aréola equimótica e zona de compressão de gases.

O tiro à queima-roupa é uma forma de tiro à curta distância que além das zonas de tatuagem e de esfumaçamento, há a queimadura superficial dos pelos, cabelos, pele e zona de compressão de gases.

lesões por projéteis - tiro à queima-roupa
Fonte: imagem cedida pelo Dr Maurício Carlos do Val

Ferimentos de saída nas lesões por projéteis

As lesões de saída além de forma irregular, possuem bordas evertidas, halo equimótico e muitas vezes, fragmentos de tecidos. Ademais, as dimensões são maiores que as de entrada já que, o projétil possui ação mais contundente do que perfurante devido a algumas alterações ao longo do seu trajeto, causando deformidades. Por fim, por conta dessas características, tornam-se mais sangrantes em comparação às lesões de entrada.

Autores, revisores e orientadores:

Autor(a) : Bruna França e Cássia Santos

Autora do Mapa Mental: Marina Valente Ribeiro

Revisor(a): Naiara Santos Bispo

Orientador(a): Dr. Mauricio Carlos do Val

Liga: Liga Acadêmica de Medicina Legal – LAMLSC

Instagram: @laml.sc

Sugestão de leitura complementar

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto.

Gostou da postagem? Quer ter a sua liga postando no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe!

 

Posts relacionados:

Referências:

FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina Legal. 11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017.

Atlas da Violência 2020: https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/download/24/atlas-da-violencia-2020