Dermatologia

Resumo sobre neurofibromatose (completo) – Sanarflix

Resumo sobre neurofibromatose (completo) – Sanarflix

Compartilhar

SanarFlix

8 minhá 155 dias

Definição

A neurofibromatose (NF) é uma denominação genérica para três doenças de origem genética autossômica dominante, a neurofibromatose tipo 1 (NF1), neurofibromatose tipo 2 (NF2) e schwannomatose. Esse conjunto de doenças acometem mais notadamente a pele e o sistema neurológico, mas podem cursar com inúmeras outras apresentações.   

Epidemiologia

Das doenças nomeadas como neurofibromatose, a NF1 é a mais frequente causada pelo defeito em um único gene, comincidência de 1/3.000 nascidos vivos. A NF2 é mais rara, acometendo cerca de 1/25.000 nascidos vivos. Schwannomatose é ainda mais incomum, com uma prevalência de cerca de metade da neurofibromatose tipo 2 (NF2). 

Patogênese

Neurofibromatose tipo 1: A NF1 é uma doença autossômica dominante causada por variantes patogênicas no gene NF1 que codifica a proteína neurofibromina. A penetração é completa, mas a expressão é altamente variável. O NF1 segmentar é causado por mosaicismo somático devido a uma mutação pós-zigótica no gene NF1. 

Neurofibromatose tipo 2: A NF2 é devido a anormalidades no gene NF2 , que produz merlin, uma proteína relacionada à membrana celular que atua como supressor de tumor. 

Schwannomatose: Mutações causadoras de inativação da linha germinativa nos genes supressores de tumor SMARCB1 e LZTR1 estão presentes em aproximadamente 85 por cento das famílias com schwannomatose e até 40 por cento dos casos esporádicos. As manifestações são tumores benignos da bainha de nervos periféricos compostos inteiramente por células de Schwann neoplásicas, originando-se de nervos cranianos, raízes espinhais ou nervos periféricos. Eles estão tipicamente situados excentricamente ao nervo, deslocando as fibras nervosas. 

Sinais e sintomas da neurofibromatose    

Neurofibromatose tipo 1: As marcas da NF1 são as múltiplas máculas café-com-leite e neurofibromas cutâneos associados. Outras características clínicas da NF1 são os neurofibromas dérmicos e plexiformes, as falsas efélides axilares e/ou inguinais e os nódulos de Lisch (hamartomas de íris). Trata-se, no entanto, de uma patologia multissistêmica com possibilidade de comprometimento oftalmológico, osteomuscular, cardiovascular, endócrino, do sistema nervoso central e periférico e da aprendizagem. Outros tumores e complicações neurológicas geralmente começam a aparecer após o primeiro ano de vida, e a hipertensão e a transformação maligna dos tumores podem ocorrer na adolescência e na idade adulta. 

Neurofibromata e máculas café com leite em um paciente com neurofibromatose 1 (NF1)

https://www.uptodate.com/contents/image?imageKey=PEDS%2F69606&topicKey=ALLRG%2F2939&search=neurofibromatosis&rank=1~150&source=see_link

Neurofibromatose tipo 2: Tipicamente, os pacientes desenvolvem múltiplos schwannomas ao longo da coluna e intracranialmente. O schwannoma vestibular bilateral ocorre em 90% dos portadores do gene. Invariavelmente, estes pacientes desenvolverão perda auditiva sensorioneural progressiva caracterizada por uma discriminação ruim. Zumbido e desequilíbrio podem estar presentes. Outros tumores do sistema nervoso comumente observados incluem meningiomas intracranianos, schwannomas de outros nervos cranianos e tumores espinhais. Neuropatias e manifestações oculares e cutâneas também são frequentes. 

Schwannomatose: As características de apresentação mais comuns da schwannomatose são tumores de bainha nervosa sintomático e dor localizada que pode ou não estar associada a uma massa discreta. Os locais mais comuns para tumores em pacientes com schwannomatose são as extremidades e raízes espinhais, tumores internos no tórax, abdômen ou pelve e tumores ao longo dos nervos cranianos também são vistos. 

http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-21222012000400014

Diagnóstico da neurofibromatose 

Neurofibromatose tipo 1: A NF-1 aparece mais frequentemente na infância e o diagnóstico baseia-se na presença dos critérios clínicos desenvolvido pelo National Institutes of Health (NIH) Consensus Development Conference:

  1. Seis ou mais MCCL com diâmetro acima de 5mm em indivíduos pré-púberes ou acima de 15mm, em pós-púberes.
  2. Dois ou mais neurofibromas de qualquer tipo ou um neurofibroma plexiforme, baseado em parâmetros clínicos e histológicos.
  3. Efélides (sardas) em região axilar ou inguinal.
  4. Glioma óptico.
  5. Dois ou mais nódulos de Lisch (hamartomas pigmentados da íris). 
  6. Uma lesão óssea distinta como pseudo-artrose de um osso longo ou displasia da asa do esfenóide. 
  7. Um parente em primeiro grau com NF-1 que preencha os critérios precedentes.

O teste genético não é necessário para fazer o diagnóstico, mas pode ser útil para confirmar o diagnóstico em crianças que não atendem aos critérios diagnósticos ou apenas apresentam máculas café com leite e sardas axilares.

Neurofibromatose tipo 2: Para indivíduos com história familiar positiva que inclui a identificação de uma mutação NF2 , o teste molecular para essa mutação é indicado. O diagnóstico clínico de NF2 é baseado na presença de qualquer um dos seguintes critérios: 

  1. Schwannomas vestibulares bilaterais antes dos 70 anos
  2. Schwannoma vestibular unilateral antes dos 70 anos e parente de primeiro grau (não irmão sozinho) com NF2 
  3. Quaisquer dois dos seguintes: meningioma, schwannoma não vestibular, ependimoma, catarata; e parente de primeiro grau com NF2; ou schwannoma vestibular unilateral e teste LZTR1 negativo (se dois ou mais schwannomas não intradérmicos)
  4. Meningiomas múltiplos e Schwannoma vestibular unilateral ou quaisquer dois dos seguintes: schwanoma não vestibular, ependimoma, catarata
  5. Mutação do gene NF2 patogênico constitucional ou em mosaico do sangue ou pela identificação de uma mutação idêntica de dois tumores separados no mesmo indivíduo. 

Schwannomatose: O diagnóstico de schwannomatose requer uma história clínica e familiar detalhada, revisão da patologia tumoral disponível e imagem de ressonância magnética cerebral de alta resolução. A National Neurofibromatosis Foundation propôs um Consenso para uniformizar critérios diagnósticos, dividindo os casos em “confirmados”, “prováveis” e “segmentares”.

Schwannomatose ”confirmada” pode englobar:

A) idade >30 anos, >2 schwannomas não-intradérmicos confirmados histologicamente, sem evidência de tumor vestibular por RM de alta resolução, e sem mutações em NF2, ou

 B) um schwannoma não-vestibular com confirmação histológica e um parente directo que preencha o primeiro critério. 

Schwannomatose “provável” compreende: 

A) idade <30 anos, >2 schwannomas não intradérmicos, pelo menos um com confirmação histológica, sem evidência de tumor vestibular em RM de alta definição e sem mutações em NF2; ou 

B) idade >45 anos, >2 schwannomas não intradérmicos, pelo menos um com confirmação histológica, sem sintomas de disfunção vestibulococlear, sem mutações em NF2 ou evidência radiográfica de schwannoma não-vestibular e com um parente directo que preencha o primeiro critério para schwannomatose confirmada. 

Schwannomatose ”segmentar” ou “em mosaico” limita-se a um membro ou a <5 segmentos vertebrais contíguos.

Tratamento da neurofibromatose  

Neurofibromatose tipo 1:Ainda não há um tratamento médico eficaz para prevenir ou reverter as lesões características da NF-1, exceto a detecção precoce de complicações tratáveis e o aconselhamento genético. Também não existe tratamento médico específico para neurofibromas. O tratamento cirúrgico e o controle da dor de neurofibromas plexiformes (NPs) podem ser desafiadores. A ressecção cirúrgica geralmente é limitada à citorredução de uma área específica de uma grande lesão. 

Neurofibromatose tipo 2: Embora o manejo das várias manifestações da NF2 seja semelhante ao dos tumores esporádicos do mesmo tipo, o manejo da equipe multidisciplinar é necessário para minimizar as incapacidades e evitar a morbidade potencial causada pelo tratamento. 

O tratamento dos schwannomas vestibulares em indivíduos com NF2 é a preservação da função e manutenção da qualidade de vida. O tratamento geralmente é indicado quando há risco de compressão do tronco cerebral, deterioração da audição ou disfunção do nervo facial. Schwannomas vestibulares geralmente são tratados cirurgicamente se o tratamento for indicado, embora o bevacizumabe de primeira linha desempenhe um papel em casos selecionados. A cirurgia em pacientes com NF2 pode ser mais complexa do que em pacientes com tumores esporádicos, uma vez que os tumores de NF2 são frequentemente multifocais. 

Schwannomatose: O manejo de pacientes com schwannomatose é principalmente sintomático, com foco no manejo da dor crônica em muitos pacientes. As indicações para ressecção cirúrgica de schwannomas incluem dor local refratária, compressão da medula espinhal ou choque de outros órgãos.

Posts relacionados:

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.