Neurologia

Resumo sobre Transtorno de Personalidade Narcisista segundo o DSM-V | Ligas

Resumo sobre Transtorno de Personalidade Narcisista segundo o DSM-V | Ligas

Compartilhar
Imagem de perfil de LIASME

Definição

É uma condição mental em que a pessoa tem um senso inflado de sua própria importância, sente-se merecedora de privilégios, possui falta de empatia pelos outros e uma profunda necessidade de atenção e admiração excessivas. Mas por trás dessa máscara de extrema confiança está uma frágil autoestima que é vulnerável à menor crítica.

Epidemiologia

Estimativas indicam que a prevalência nas amostras das comunidades é variável, indo de 0 até 6,2%. Além disso, constata-se que cerca de 50 a 75% dos diagnosticados pertence ao sexo masculino.

Considerações Gerais

  • Durante a adolescência é comum encontrarmos traços narcisistas, mas não significa que o adolescente desenvolverá o transtorno.
  • Narcisistas possuem dificuldade em lidar com envelhecimento e suas consequências, principalmente limitações físicas e profissionais originadas desse processo natural do ciclo de vida.

Critérios Para Diagnóstico

Há um padrão de grandiosidade fantasiosa ou comportamental difusa, demanda por ser admirado, ausência de empatia com surgimento no início da fase adulta e se mantendo em diversas situações. Tais situações, devem ser 5 ou mais das seguintes listadas:

  1. Tem impressão de que é uma pessoa grandiosamente importante (exemplo: aumenta seus talentos e conquistas, quer ser validado como superior sem motivos para isto)
  •  Se preocupa com fantasias como: poder, brilho, beleza, amor ideal e sucesso sem limites
  • Crê ser um ser único e “especial”, do qual só pessoas ou instituições especiais ou com condições elevadas conseguem compreendê-lo ou estarem associadas a ele
  • Possui necessidade exagerada de admiração
  • Acreditar ter direitos (exemplo: espera irracionalmente que os outros o tratem de forma especial e/ou que ajam e concordem sempre com suas expectativas)
  • Falta empatia: resiste em legitimar ou se identificar com as necessidades e os sentimentos das outras pessoas
  • Exploram em suas relações interpessoais (exemplo: tirar vantagens de outras pessoas para conseguir seus objetivos)
  • Sente inveja dos outros com frequência ou crê que os outros sentem inveja dele
  • Apresentam comportamentos ou ações insolentes e/ou arrogantes

Características para o Diagnóstico

  • Como dito anteriormente, há um padrão de grandiosidade difusa, demanda por ser admirado, ausência de empatia com surgimento no início da fase adulta que continua se mantendo em diversas situações (critério 1). Os narcisistas rotineiramente exageram suas vitórias e capacidades, pressupõem que outras pessoas dão o mesmo valor ao seu esforço e, às vezes, são pegos de surpresa por não serem vistos e/ou elogiados como gostariam ou julgam merecer. Geralmente está oculto no exagero fantasioso de suas próprias conquistas a desvalorização da colaboração dos outros e comumente são pretensiosos e arrogantes.
  •  Eles se preocupam com fantasias como: poder, beleza, amor ideal e sucesso sem limites (critério 2). Podem remoer pensamentos de “privilégios” e admirações que julgam lhes ser “devidos há muito tempo”, se comparam positivamente a pessoas privilegiadas ou famosas, acreditam que são únicas, superiores e especiais e esperam que outras pessoas também percebam isso (critério 3).
  • Podem crer que só são compreendidas por pessoas especiais ou com condições elevadas, as quais só devem se relacionar com elas, lhes qualificando como “perfeitas”, “únicas” e “abastadas”. A idealização do valor que ele acha que às pessoas com as quais se relaciona tem são um espelho da sua própria autoestima, e acaba realçando-a. Elas querem ser atendidas por profissionais “top” e/ou se associarem às instituições mais qualificadas no mercado. Podem desqualificar pessoas que os desapontem, mesmo que sejam as melhores.
  • Estes indivíduos constantemente necessitam de atenção e admiração em excesso (critério 4). Possuem autoestima muito frágil, se preocupam muito com o que os outros pensam sobre ele, e se eles estão se saindo bem.  Esperam que sua chegada seja comemorada. Procuram elogios com frequência e é comum tentarem seduzir.
  • É perceptível que eles possuem a impressão de terem direitos através de seus desejos irracionais de serem tratados de forma favoravelmente especiais (critério 5). Esperam que as pessoas os sirvam e ficam indignados quando isso não ocorre.  Podem crer que suas prioridades são demasiadamente importantes a tal ponto que os outros o tratarão de forma diferenciada, podendo crer que não precisam esperar em filas, e perdem a paciência quando as pessoas não lhes ajudam em suas tarefas “tão importantes”.
  • A ausência de empatia e de sensibilidade perante as vontades e necessidades dos outros indivíduos, somadas a esse sentimento de que possui mais direitos do que os outros, pode acabar se tornando um abuso inconsciente ou consciente das demais pessoas (critério 6). Desejam receber qualquer coisa que eles queiram ou necessitem, mesmo que isso desagrade, irrite ou magoe os outros. Esperam, por exemplo, demasiada dedicação dos outros, podendo explorá-los sem se importar com o mal que fará a tais indivíduos. Tendem a manter relacionamentos amorosos e amigáveis apenas com pessoas que lhes pareçam favorecer os seus propósitos ou que aumentem sua autoestima. Comumente se apropriam de benefícios, privilégios e recursos exorbitantes que acreditam merecer por serem pessoas muito especiais.
  • Nos indivíduos narcisistas, é comum haver a falta de empatia, além da dificuldade em identificar e legitimar os sentimentos e as vontades e vivências das outras pessoas (critério 7). Eles creem que todos se preocupam plenamente com a sua satisfação e bem-estar, podem falar sobre suas preocupações detalhadamente por um longo tempo. Porém, perde a paciência e desdenha de quem fala sobre suas próprias preocupações. Às vezes, não percebem que seus comentários ferem as pessoas. Quando reconhece os sentimentos, as necessidades e ou vontades de outras pessoas, trata-os como vulnerabilidade ou fraqueza.  Quem se relaciona com narcisista comumente encontra frieza emocional e falta de reciprocidade.
  • Eles sentem inveja dos outros com frequência e/ou creem que os outros sentem inveja dele (critério 8). E ficam espantados quando os outros não o invejam. Sentem que são os reais merecedores dos privilégios e das conquistas dos outros. Desvalorizam grosseiramente a participação de outras pessoas, principalmente se elas foram reconhecidas e/ou elogiadas pelo que fizeram.
  • Apresentam comportamentos ou ações insolentes e/ou arrogantes, desdenham das pessoas e são frequentemente esnobes (critério 9). Por exemplo, podem reclamar da “estupidez” de um garçom estabanado.

Características Associadas que Contribuem para o Diagnóstico

A fragilidade da autoestima dos narcisistas os torna sensíveis a fracassos e críticas. Críticas os fazem se sentir humilhados, embora eles tentem disfarçar isso. Eles podem reagir furiosamente, ou com desprezo, ou desafiando os outros. Suas experiências negativas frequentemente causam introversão ou falsa imagem de ser uma pessoa humilde, podendo encobrir e resguardar sua “grandiosidade””. Suas relações interpessoais são abaladas por sua falta de empatia, por sua convicção de que merece privilégios e por sua necessidade de ser admirado. Podem ter baixo desempenho no trabalho devido ao baixo interesse em situações competitivas, visto que possuem intolerância ao fracasso.

Transtorno depressivo persistente (distimia) ou transtorno depressivo maior, humor deprimido e introversão, podem estar atreladas a autocrítica, humilhação e constrangimento.

Humor hipomaníaco pode estar atrelado a fases longas de grandiosidade.

O transtorno de personalidade narcisista pode estar atrelado a transtornos por uso de substâncias (principalmente cocaína), transtorno de personalidade borderline, histriônica, paranoide, antissocial e casos de anorexia nervosa.

Diagnóstico Diferencial

Outros transtornos e traços de personalidade.

Vários transtornos de personalidade possuem algumas características em comum com o transtorno de personalidade narcisista, podendo causar confusão para o adequado diagnóstico do quadro clínico. Por isso, se faz importante diferenciar os transtornos. No entanto, se o paciente atende a critérios de um ou mais transtornos de personalidades, além do transtorno de personalidade narcisista, todos esses podem ser diagnosticáveis.

A grandiosidade é a característica mais válida para diferenciar o transtorno de personalidade narcisista dos transtornos de personalidade borderline, antissocial, histriônica, visto que suas principais interações são carência, insensibilidade e sedução, respectivamente.

O transtorno de personalidade borderline possui autodestrutividade, preocupação com abandono e impulsividade, diferentemente do transtorno de personalidade narcisista, que possui alguma estabilidade em relação à própria imagem.

Diferente do transtorno de personalidade histriônica, o narcisista possui falta de empatia, orgulho exagerado de suas conquistas, desprezo e relativa falta de reciprocidade com os sentimentos dos outros.

Indivíduos com os transtornos de personalidade borderline e histriônica podem necessitar de muita atenção, mas os narcisistas precisam da atenção para se sentirem admirados.

Indivíduos com transtorno de personalidade antissocial e narcisista geralmente são persistentes, superficiais, desenvoltos, exploradores e não têm empatia para com os demais. No entanto, nem sempre os narcisistas agem sonsamente, agressivamente e impulsivamente. E os indivíduos com transtornos antissociais nem sempre necessitam da inveja e admiração das outras pessoas. Além disso, narcisistas geralmente não possuem histórico de transtornos e mudanças de conduta na infância ou crimes na fase adulta.

Assim como no transtorno de personalidade obsessiva-compulsiva, o narcisista pode ser perfeccionista e crer que só ele faz as coisas corretamente, achando que alcançaram a perfeição. Já indivíduos com TOC são muito autocríticos.

Já a retração social e desconfiança das outras pessoas ajudam a diferenciar os pacientes com transtorno de personalidade esquizotípica e paranoide dos pacientes com transtorno de personalidade narcisista. Se os narcisistas possuírem tais características, elas estão relacionadas ao medo de que saibam de suas imperfeições e fracassos.

Pessoas bem-sucedidas podem exibir traços de personalidade narcisistas, mas só se pode diagnosticar como transtorno de personalidade narcisista quando tais traços são inflexíveis, persistentes e causam significativos sofrimentos funcionais ou subjetivos.

Mania ou Hipomania: a grandiosidade pode fazer parte de períodos de mania e hipomania, porém, se estiver atrelado a perdas/sofrimentos funcionais e/ou mudanças de humor, auxilia a diferenciar do transtorno de personalidade narcisista.

Transtorno por Uso de Substância: deve-se diferenciar o transtorno de personalidade narcisista de sintomas por uso contínuo de substâncias.

Autor: Marcelo Pontes P. Bastos @marcelopontespb

Revisor(a): Antônio Victor de Sousa Lopes @avilopes

Orientador(a): Dra Fátima Vasconcellos

Liga: Liga Acadêmica de Saúde Mental – LIASME

Instagram: @liasmeunesaju

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION – APA. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais: DSM-5. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto.