Anatomia de órgãos e sistemas

Caso Clínico: Colelitíase | Ligas

Caso Clínico: Colelitíase | Ligas

Compartilhar

Apresentação do caso clínico

Paciente do sexo feminino, 51 anos, parda, doméstica, procedente e residente de Belo Horizonte, Minas Gerais, procura ambulatório de clínica médica com queixa de dor forte no quadrante superior direito que acontece após as refeições, mas que vem se intensificando há alguns dias. Paciente nega outros sintomas. Relata uso de Clofibrato para hipertrigliceridemia. Nega outras doenças prévias. Relata ainda que possui alimentação gordurosa e é sedentária.

Ao exame físico apresenta-se em estado geral regular com fácies de dor, hidratada, corada, acianótica, anictérica, orientada no tempo e espaço. IMC de 31,5. Taquipneica (frequência respiratória: 26 irpm), taquicárdica (frequência cardíaca: 110 bpm) e normotensa (PA: 120×80 mmHg). Aparelho respiratório com murmúrios vesiculares respiratórios sem ruídos adventícios e aparelho cardiovascular com ritmo cardíaco regular em 2 tempos. Abdome globoso, ruídos hidroaéreos presentes, dor à palpação superficial no quadrante superior direito, sem visceromegalias.

Foi prescrito para a paciente analgésicos e solicitado hemograma, testes séricos da função hepática, lipase e amilase séricas e ultrassonografia abdominal. Após alguns dias a paciente retorna à consulta com os resultados que apontam: hemograma, testes séricos da função hepática e lipase a amilase séricas sem alterações. Já na ultrassonografia foi notado a presença de cálculos na vesícula biliar.

Ultrassonografia de vesícula biliar demonstrando colelitíase com sombra acústica posterior

Disponível em: https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/873/investigations

Após os resultados dos exames a paciente foi encaminhada para o cirurgião para realização de colecistectomia laparoscópica.

Questões para orientar a discussão    

1. Qual a relação anatômica da vesícula biliar?

2.Quais os principais fatores de risco para colelitíase?

3.Em qual caso o hemograma estaria alterado?

4.Em qual caso o exame de avaliação da função hepática estaria alterado?

5.Em qual caso o exame de lipase e amilase séricas estaria alterado?

Respostas

1.Na parede inferior do fígado, abaixo do lobo direito e acima da porção descendente do duodeno

2.Sexo feminino, idade maior que 40 anos, obesidade, gestação, história familiar positiva, medicamentos (exemplo: estrogênio exógeno, octreotida, clofibrato, ceftriaxona)

3.Nos casos de complicação da colelitíase, como colecistite, colangite e pancreatite, poderia ocorrer uma inflamação que levaria ao aumento de leucócitos.

4.No caso de coledocolitíase a fosfatase alcalina e a bilirrubina estariam elevadas, uma vez que indicam obstrução do ducto cístico ou biliar.

5.Na pancreatite aguda estes valores estariam elevados, em média 3 vezes o limite superior do normal.

Compartilhe com seus amigos: