Geriatria

Sarcopenia em idosos frágeis: como identificar e tratar

Sarcopenia em idosos frágeis: como identificar e tratar

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação

A sarcopenia caracteriza-se pela perda generalizada e progressiva da força e massa muscular esquelética com o envelhecimento. Com o aumento da população idosa em ritmo acelerado em todo o mundo, torna-se mais evidente a relação da perda de funcionalidade com a sarcopenia em idosos.

A incapacidade de desenvolver a potência muscular adequada que a sarcopenia causa é uma das causas da fragilidade. Uma pessoa com fragilidade pode ser considerado como tendo uma condição geral tão limítrofe que qualquer estressor a levará a um desfecho ruim, como hospitalização, invalidez ou morte.

As características da fragilidade são fadiga, incapacidade de subir um
lance de escadas, incapacidade de andar um quarteirão, mais de cinco doenças e perda de peso.

Epidemiologia

Numerosos estudos epidemiológicos usando diferentes métodos de medida e pontos de corte tentaram estabelecer a prevalência de sarcopenia. Em geral, parece que 5-13% das pessoas com idade 60-70 anos e 11-50% das pessoas na faixa dos 80 anos tem sarcopenia.

Estima-se que existam 3,6 milhões de pessoas nos EUA com sarcopenia. A sarcopenia está associada a um alto valor preditivo para deficiência. Existe uma associação ainda maior de incapacidade em pessoas com sarcopenia obesa. Enquanto algumas autoridades consideram a perda muscular na sarcopenia do câncer, em quase todos os casos, é melhor classificado como
caquexia ou miopenia.

Causas

Existem inúmeras causas de sarcopenia. No geral, a causa mais proeminente de sarcopenia é inatividade. O exercício (contração muscular) causa a liberação de fatores de crescimento muscular para ativar células satélites e síntese de proteínas. Isso leva a regeneração do músculo. Todos esses processos são menos ativos com envelhecimento.

A ingestão adequada de nutrientes é essencial para manter massa muscular. Assim, o declínio da ingestão alimentar com o envelhecimento desempenha um papel no desenvolvimento da sarcopenia. Em particular, a manutenção da massa muscular requer ingestão adequada de proteínas.

Postula-se que para manter massa muscular, os idosos necessitam de pelo menos 1,2 g/kg de proteína por dia. Uma série de estudos têm mostrado que
mistura enriquecida com leucina de aminoácidos essenciais aumenta síntese de proteínas em maior extensão do que outras formas de proteína.

Manifestações clínicas

A perda de massa muscular leva a uma diminuição da força e potência muscular, estas manifestações estão associadas a maior mortalidade. A incapacidade de desenvolver uma adequada potência muscular é uma das causas da síndrome da fragilidade. Um idoso frágil é um indivíduo com maior risco de quedas, fraturas, incapacidade, dependência, hospitalização recorrente, e mortalidade.

As principais queixas são:

  • autorrelato de fadiga,
  • incapacidade de subir um lance de escadas,
  • incapacidade de andar um quarteirão,
  • coexistência de mais de cinco patologias,
  • perda de peso recente não intencional.

Diagnóstico

Com envelhecimento, há alterações na composição corporal como: redução do teor corporal de água, aumento da gordura e declínio da massa muscular esquelética. Vários métodos são utilizados para avaliar esse processo, como bioimpedância, ultrassonografia (US), tomografia computadorizada (TC), e ressonância magnética (RNM).

Estima se que a partir dos 40 anos ocorre perda de 5% da massa muscular a cada década, com declínio mais rápido após os 65 anos, particularmente nos membros inferiores. Estudos em cadáveres utilizando US, TC, ou RNM, demonstraram que ocorre redução de 40% da área seccional transversa de vários grupos musculares (quadríceps, bíceps e tríceps) com idade.

O meio mais utilizado para diagnóstico de sarcopenia é a densitometria de corpo total para avaliação da composição corporal (massa óssea, massa magra e massa adiposa), que apresenta baixo custo, rápida realização e expõe o paciente a pouca radiação ionizante. O uso da bioimpedância tem se tornado um método prático, acessível, e com boa reprodutibilidade.

Tratamento

O tratamento primário para a sarcopenia é o exercício, especificamente treinamento de resistência ou treinamento de força. Essas atividades aumentam a força e a resistência muscular usando pesos ou faixas de resistência.

O treinamento de resistência pode ajudar seu sistema neuromuscular, hormônios. Também pode melhorar a capacidade de um adulto mais velho de converter proteína em energia em menos de duas semanas.

O número, a intensidade e a frequência adequados do exercício de resistência são importantes para obter o máximo benefício com o menor risco de lesão. Você deve trabalhar com um fisioterapeuta ou treinador experiente para desenvolver um plano de exercícios.

Embora a medicação não seja o tratamento preferido para a sarcopenia, alguns estão sendo estudados. Eles incluem:

  • Urocortina II. Isso pode prevenir a atrofia muscular que pode acontecer quando você está engessado ou tomando certos medicamentos. Seu uso para a construção de massa muscular em humanos não foi estudado e não é recomendado.
  • Suplementos de testosterona
  • Suplementos de hormônio do crescimento
  • Medicação para o tratamento da síndrome metabólica (incluindo resistência à insulina, obesidade e hipertensão)

Saiba mais sobre Geriatria!

Quer aprender mais sobre o mundo da Geriatria? A Sanar tem a proposta perfeita para você!

Perguntas Frequentes

  1. Qual a causa mais comum?

No geral, a causa mais proeminente de sarcopenia é inatividade.

2. Como é diagnosticado?

O meio mais utilizado para diagnóstico de sarcopenia é a densitometria de corpo total.

3. Como é tratado?

O tratamento primário para a sarcopenia é o exercício.