Colunistas

Sarna humana, covid e Ivermectina | Colunistas

Sarna humana, covid e Ivermectina | Colunistas

Compartilhar

1.Correlação entre surto de sarna em Pernambuco e uso indiscriminado de Ivermectina.

No último mês de Novembro, a  Saúde Pública da Secretaria Estadual de Saúde emitiu uma nota para notificação , em até 24 horas,do estado de Pernambuco ,sobre os casos de pessoas com escoriações cutâneas por causa de intenso prurido que se assemelham com a escabiose, sarna humana. Esse surto está sendo associado à escabiose, a sarna humana. A hipótese levantada é que os casos estejam associados ao uso indiscriminado de ivermectina, medicamento que se popularizou no Brasil com o chamado “kit covid”.

A ivermectina é um fármaco antiparasitário de amplo espectro  utilizado em medicina humana e veterinária. É o medicamento de escolha para tratamento da oncocercose, além de ser aprovada para o tratamento de filariose linfática, estrongiloidíase, ascaridíase, escabiose e pediculose. 

A universidade federal de Alagoas , junto a professores e alunos pesquisadores, através do artigo “Aumento do consumo de ivermectina no Brasil e o risco de surto de escabiose” esclarecem de que a ivermectina usada em larga escala pelo através kit covid está causando uma certa resistência no ácaro da Sarcoptes sacabiae .E assim justificam a endemia de pele que houve em Pernambuco esse mês, com mais de 400 casos notificados .

O artigo publicado em agosto deste ano .Pelos pesquisadores responsáveis do Instituto de Ciências Farmacêuticas (ICF), Alfredo Oliveira-Filho e Sabrina Neves, e os estudantes Lucas Bezerra e Natália Alves, a partir da observação de casos de resistência à ivermectina já relatados, surtos isolados e os dados de aumento de consumo do medicamento por causa da pandemia de Covid-19.

Abaixo há algumas declarações dos autores sobre o caso :

“O nosso artigo lança a hipótese de que poderíamos ter problemas com surtos de escabiose resistente, por conta do uso irracional da ivermectina. O surto está configurado, pois está havendo um aumento rápido de casos de lesões de pele com coceira e outros sintomas”, contextualiza Sabrina, mas ressalta: “Ainda não há diagnóstico da doença que está causando o surto. Algumas hipóteses da etiologia [origem] estão sendo testadas, entre elas está a escabiose levantada pelo artigo”.

A pesquisadora explica que ainda são necessários alguns testes e o descarte de outras hipóteses para então confirmar as questões levantadas no artigo.A docente também está acompanhando de perto e, caso confirmado, prevê futuras complicações de saúde pública: “A hipótese do artigo é que é possível que o Sarcoptes scabiei, ácaro causador da escabiose pode ter desenvolvido resistência à ivermectina. Se essa hipótese se confirma, temos um problema enorme, pois a doença poderia atingir qualquer população, e o que é pior, com dificuldade de tratamento”.

 O consumo desse antiparasitário aumentou em dez vezes no Brasil , pelo uso indiscriminado no “kit Covid”. Mesmo com as recomendações de que não há embasamento científico suficientes pelo Ministério da Saúde e da indústria farmacêutica,  a prescrição e automedicação baseada neste medicamento continuaram a acontecer.

“O uso irracional de medicamentos é um problema de saúde pública, porém, no caso de antibióticos, antiparasitários e antifúngicos, esse problema ganha proporções maiores. Quando utilizamos de forma irracional/incorreta medicamentos, como a ivermectina, corremos o risco de induzir a resistência do parasita ao medicamento que deveria tratar a doença causada por ele”, reforça a professora Sabrina.

2.Sarna

Sarna ou escabiose é um ácaro que causa uma parasitose humana através de tunés cavados na epiderme , pelo Sarcoptes scabiei variedade hominis.O contágio não é através de animais como ,cachorro e gatos e sim somente entre humanos, pelo contato direto com pessoa ou roupas e outros objetos contaminados. O contato deve ser prolongado para que ocorra a contaminação.

É na superfície da pele que ocorre a fecundação do ácaro: o microrganismo escava túneis sob a pele, onde a fêmea deposita seus ovos, que eclodirão em cerca de 7 a 10 dias — dando origem a novos parasitas.Logo após o macho morrer, a fêmea penetra na pele humana, cavando um túnel, por um período aproximado de 30 dias. Depois, deposita seus ovos. Quando eles eclodem, liberam as larvas que retornam à superfície da pele para completar seu ciclo evolutivo. Este processo de maturação é de 21 dias. Importante: animais como gato e cachorro não transmitem a sarna humana.

a.Manifestações Clínicas

 As manifestações clínicas se dão pela movimentação do ácaro nos túneis causados por ele pela ação direta,na pele.Causando também, em grande parte pela hipersensibilidade desenvolvida pelo paciente contaminado.

 O principal sintoma da escabiose é o prurido, que é sentido principalmente à noite. As principais lesões na pele são os túneis e, nas suas extremidades, pequenas pápulas e vesículas. Estas lesões aparecem principalmente entre os dedos das mãos, nas axilas, na parte do punho que segue a palma da mão, auréolas e genitais, principalmente em locais onde há maior temperatura . A cabeça sempre é poupada. Escoriações na pele são frequentes, por causa da coceira intensa.

b.Diagnóstico

O diagnóstico é geralmente clínico, pelo achado dos túneis e pelas áreas características do aparecimento das lesões de escabiose. Pacientes idosos, ou já tratados com corticoides, podem ser difíceis de ser diagnosticados. Neste caso é preciso fazer uma pesquisa do parasita na pele, coletando o material nas lesões dos sulcos.

Referências:

Estudo: Oliveira-Filho et al. (2021) Aumento do consumo de ivermectina no Brasil e o risco de surtos de escabiose. Research, Society and Development, DOI:10.33448/rsd-v10i10.18991

Excesso de ivermectina pode causar surtos de sarna resistente [Internet]. [place unknown]; 2021 Nov 28. Excesso de ivermectina pode causar surtos de sarna resistente; [revised 2021 Nov 28; cited 2021 Dec 20]; Available from: Excesso de ivermectina pode causar surtos de sarna resistente

Compartilhe com seus amigos: