Ciclos da Medicina

ScanCOVID-19: uma ferramenta segura contra a desinformação no contexto da pandemia. | Colunistas

ScanCOVID-19: uma ferramenta segura contra a desinformação no contexto da pandemia. | Colunistas

Compartilhar

Débora santiago

6 minhá 8 dias

 A atual pandemia de COVID-19 abriu as portas para inúmeros precedentes e, sem dúvidas, o notável volume informativo relacionado à saúde que alcança instantaneamente a população é um deles. Tal imersão de conteúdos demonstra os grandes esforços científicos na busca por instrumentos de combate ao SARS-CoV-2, o que otimiza a produção de diretrizes. Porém, isso também fortalece as más práticas, como o compartilhamento de Fake news¹, de modo a atingir o pensamento coletivo acerca da doença e gerar posicionamentos negativos diante das normas de segurança, como o descumprimento da constante higienização pessoal graças à desinformação.

Nesse cenário, surge o ScanCOVID-19 ², uma ferramenta segura de busca que rastreia fontes científicas sobre a COVID-19 diariamente. Sendo aberta ao público, o mecanismo democratiza a informação e promove a construção ágil de um meio comunicativo confiável para a população e a esfera científica.

Painel tecnológico com o tema COVID-19.
FONTE: GOOGLE IMAGENS

Como a plataforma funciona e sua relevância

O scanCOVID-19 iniciou seu trabalho com base no acompanhamento da produção informativa sobre COVID-19 em três partes: fast track estruturada nos preprints (produções online, de acesso aberto e ainda sem revisão por pares), na categoria revisada por pares disponibilizada de forma aberta e baseada em fontes de confiança, e no caráter de Ensaios Clínicos (Clinical Trials) dentro das plataformas internacionais de destaque³.  A organização e monitoramento dos dados são realizadas por meio das linguagens Python e R para processo de scrapper (captura automática de dados a partir de hipertextos), gravando as informações em série histórica, de forma a oferecer aos visitantes um sumário ilustrativo acerca dos principais temas4. A plataforma é atualizada regularmente dentro de um tempo habitual de 8 horas, mas cada categoria possui ritmo distinto, sendo uma constância diária para Ensaios Clínicos, pesquisas com seres humanos, preprints, artigos revisados por pares, semanal para CONEP e Retratações, finalizando com círculos Mensais para Vacinas e análise de dados que ainda não foram estruturados, a exemplo dos estudos de fontes de conhecimento.

                   Vale ressaltar também que os elaboradores do scanCOVID-19,  o Laboratório de Informação Científica e Tecnológica em Saúde (LICTS) do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict) e o Programa  de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde (PPGICS) vinculado à Fiocruz, possuem honroso histórico no manejo da mesma corrente tecnológica informativa com e-Monitor, que monitorou a gripe aviária e realiza trabalhos com a dengue5.

Com isso, a necessidade de fontes confiáveis e dados de interesse dentro do campo nebuloso e caótico que se tem posto na esfera do conhecimento científico, principalmente dentro da internet, encontra no scanCOVID-19 um norte, de maneira a refletir na divulgação de materiais informativos consistentes e no fortalecimento da conscientização social no trato da SARS-CoV-2.

                    Imagem de instalações da Fiocruz. Fonte: Google imagens

Empecilhos encontrados pelo ScanCOVID-19

Apesar da notória funcionalidade tecnológica proposta pelo ScanCOVID-19, a enorme massa de notícias tendenciosas e Fake news acabam por retardar o processo de elaboração de respostas mais eficazes ao Coronavírus,  uma vez que os esforços materiais e a disponibilidade de tempo empregados no trato de conteúdos com déficits de confiabilidade acaba por prejudicar o direcionamento total dos recursos à construção de bases promovedoras de resoluções contra a COVID-19.

         Ademais, a carência do acesso à internet faz-se uma barreira para que o ScanCOVID-19 cumpra seu papel de dinamizar o conhecimento a respeito da COVID-19, em foco, para as populações mais carentes, que estão hoje entre as principais vítimas da doença6, causando, dessa maneira, a continuidade da enfermidade no contexto social.

       Profissionais de saúde trabalhando na linha de frente.
    Fonte: google imagens

Conclusão

         O ScanCOVID-19 coloca-se na vanguarda das tecnologias de informação voltadas à saúde ao lado de plataformas internacionalmente reconhecidas como a GISAID, um esforço de inúmeras entidades  para a alimentação de conteúdos relativos à saúde em tempo real. Essa atividade evidencia o comprometimento e os esforços da ciência brasileira com o compartilhamento democrático e seguro dos dados sobre a COVID-19. Logo, fica claro, que o ScanCOVID-19 ergue o ideal da ciência baseada em pilares seguros, nunca antes tão em questionamento, para fortalecer a luta contra COVID-19.

Autora: Débora Santiago

Instagram: @debora.sgm

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Referências:

1- Fake news: entenda a pandemia de dados – Fake news: entenda a pandemia de dados – Educação – Estadão (estadao.com.br).

2- Fiocruz lança scanCOVID-19 para rastrear a informação científica sobre o novo coronavírus – Fiocruz lança scanCOVID-19 para rastrear a informação científica sobre o novo coronavírus.

3-sobre o ScanCOVID-19- https://scancovid19.icict.fiocruz.br/

4- Sobre o scanCOVID-19 Sobre o scanCovid19 – Scancovid-19 (fiocruz.br)

5- Fiocruz lança scanCOVID-19 para rastrear a informação científica mundial-Fiocruz lança scanCOVID-19 para rastrear a informação científica mundial

6-Pobres e homens são maiores vítimas do novo coronavírus-Pobres e homens são maiores vítimas do novo coronavírus | Coronavírus – Notícias – Jornal Extra de Alagoas (novoextra.com.br) visitado em 19/04/2021

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.