Endocrinologia

Simplificando a síndrome metabólica

Simplificando a síndrome metabólica

Compartilhar

Sanar Pós Graduação

6 min há 160 dias

Conceito 

A Síndrome Metabólica (SM) é um transtorno complexo representado por um conjunto de fatores de risco cardiovascular usualmente relacionados à deposição central de gordura e à resistência à insulina. 

Diagnóstico

Segundo o National Cholesterol Education Program’s Adult Treatment Panel III (NCEP-ATP III), a SM representa a combinação de pelo menos três componentes dos apresentados no Quadro 1.

Fonte: I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica.

Apesar de não fazerem parte dos critérios diagnósticos da síndrome metabólica, várias condições clínicas e fisiopatológicas estão frequentemente associadas, tais como: síndrome de ovários policísticos, acanthosis nigricans. 

O que é Acantose Nigricans, Tratamento, Sintomas e Mais
Fonte: Organização Panamericana de Saúde

Investigação

São objetivos da investigação clínica e laboratorial: confirmar o diagnóstico da síndrome metabólica (SM) e identificar fatores de risco cardiovascular associados.

História clínica 

Na anamnese vamos colher dados relevantes como: idade, tabagismo, prática de atividade física, história de doenças crônicas, uso de medicamentos hiperglicemiantes (corticosteróides, betabloqueadores, diuréticos). 

Exame físico

•Medida da circunferência abdominal  

•Níveis de pressão arterial. 

•IMC. 

•Exame da pele para pesquisa de acantose nigricans. 

•Exame cardiovascular. 

Exames laboratoriais

. • Glicemia de jejum 

  • Dosagem do HDL-colesterol e dos triglicerídeos 

Leia também sobre Acromegalia. Não deixe esse diagnóstico passar despercebido no seu atendimento!

Tratamento 

Tratamento não-medicamentoso

A dieta elegível para a síndrome metabólica deve estar direcionada para a perda de peso e da gordura visceral. A dieta do tipo Mediterrâneo mostrou-se capaz de reduzir eventos cardiovasculares e a dieta DASH mostrou-se eficaz na redução da pressão arterial.

O médico atendente deve ser enfático quanto ao estimulo à prática de atividades físicas. A prática de exercícios moderados, 30 a 40 minutos por dia, está associada ao benefício cardiovascular. Atividades físicas mais intensas são em geral necessárias para induzir maior perda de peso.

Recomenda-se limitar a ingestão de bebidas alcoólicas a 30ml/dia de etanol para homens e a metade para mulher.

Tratamento medicamentoso

O tratamento medicamentoso na síndrome metabólica estará sempre indicado quando não se conseguir resultado com as medidas de mudanças do estilo de vida.

Hipertensão 

É necessário a redução da pressão arterial para cifras inferiores a 130 mmHg/85 mmHg.

Diabetes

Grande parte dos pacientes com hiperglicemia não responde ou deixa de responder adequadamente ao tratamento não-medicamentoso, e nesses casos, devem ser iniciados um ou mais agentes hipoglicemiantes.

Dislipidemia 

Estatinas são os medicamentos de escolha para reduzir o LDL-C em adultos. Os fibratos demonstraram benefício na redução de eventos cardiovasculares em indivíduos com HDL-C abaixo de 40mg/d. A terapêutica combinada de estatinas com fibratos ou com o ácido nicotínico pode ser uma opção atrativa nos indivíduos com síndrome metabólica que apresentem elevação do LDL-colesterol e dos triglicerídeos e redução do HDL-colesterol. 

Obesidade 

Caso as medidas não-medicamentosas recomendadas não consigam induzir à perda de pelo menos 1% do peso inicial por mês, após um a três meses, deve-se considerar a introdução de drogas adjuvantes da dieta para os indivíduos com IMC ≥30kg/m2 ou ainda, naqueles com IMC entre 25 kg/m2 e 30kg/m2 desde que acompanhado de comorbidades. As drogas mais indicadas são a sibutramina e o orlistat.

Tratamento cirúrgico 

As cirurgias bariátricas são o método mais eficaz e duradouro para a perda de peso, com melhora nítida dos componentes da síndrome metabólica. O sucesso e a efetividade da cirurgia bariátrica é definido por um IMC <35kg/m2 ou por uma perda maior que 50% do excesso de peso pré-operatório. 

Existem três tipos básicos de cirurgias bariátricas: restritivas, mistas e disabsortivas. As cirurgias que apenas diminuem o tamanho do estômago são chamadas do tipo restritivo (Banda Gástrica Ajustável, Gastroplastia Vertical com Bandagem ou Cirurgia de Mason e a Gastroplastia Vertical em “Sleeve”). Existem também as cirurgias mistas, nas quais há a redução do tamanho do estômago e um desvio do trânsito intestinal. As cirurgias mistas podem ser predominantemente restritivas (derivação Gástrica com e sem anel) e predominantemente disabsortivas (derivações biliopancreáticas).

REFERÊNCIAS:

  1. 10 Coisas que Você Precisa Saber sobre Cirurgia Bariátrica. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Disponível <10 Coisas que Você Precisa Saber sobre Cirurgia Bariátrica (endocrino.org.br> Acesso  em: 03/05/2021
  2. I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica. Arq. Bras. Cardiol.,  São Paulo ,  v. 84, supl. 1, p. 3-28,  Apr.  2005 .   Available from . access on  03  May  2021.  https://doi.org/10.1590/S0066-782X2005000700001.
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.