Clínica Médica

Resumo: Síndrome Ictericia

Resumo: Síndrome Ictericia

Compartilhar
  1. Introdução

As síndromes ictéricas são caracterizadas por aumento da bilirrubina no organismo devido à diminuição ou interrupção da excreção de bile por obstrução do fluxo através da árvore biliar intra ou extra-hepática ou por alteração funcional do hepatócito. Clinicamente caracteriza-se pela tríade icterícia, colúria e acolia fecal. Existem inúmeras doenças que cursam com esse quadro, sendo necessário uma avaliação clínica minuciosa para chegar ao diagnóstico correto.

2. Icterícia

A icterícia é proveniente do acúmulo de bilirrubinas no organismo que se depositam principalmente em escleróticas e embaixo da língua. Para investigação adequada devemos lembrar as etapas da formação da bilirrubina no organismo:

  • Captação: a bilirrubina formada a partir da degradação do grupo heme das hemácias é captada pelos hepatócitos. Essa bilirrubina é ligada à albumina para ser transportada pelo sangue, já que é insolúvel, sendo denominada BILIRRUBINA INDIRETA (não conjugada).
  • Conjugação: dentro do hepatócito a bilirrubina é convertida em um composto solúvel pela enzima glucoroniltransferase, sendo denominada BILIRRUBINA DIRETA (conjugada).
  • Excreção: a bilirrubina é excretada no lúmen intestinal e é metabolizada por bactérias formando o urobilinogênio. Uma parte desse composto é reabsorvida e excretada na urina e o restante é excretado nas fezes dando a coloração característica.
Resultado de imagem para bilirrubina
https://www.sanarmed.com/mapa-mental-de-gastroenterologia-metabolismo-da-bilirrubina

3. Etiologias

As diversas etiologias da icterícia podem ser classificadas de acordo com a bilirrubina predominante, ou seja, as que causam hiperbilirrubinemia direta e as que causam hiperbilirrubinemia indireta.

3.1 Hiperbilirrubinemia indireta

A bilirrubina indireta pode estar aumentada nas seguintes situações:

  • Aumento da produção: hemólise (já que aumenta o substrato para produção de bilirrubina).
  • Diminuição da captação: medicamentos, infecções, desnutrição, etc.
  • Diminuição da conjugação: síndrome de Gilbert e Crigler-Najar; neonatal (fisiológica).

3.2 Hiperbilirrubinemia direta

A bilirrubina direta já passou pelas fases de captação e conjugação, então nos casos de hiperbilirrubinemia à custas de direta o problema está na excreção que pode ser devido a:

  • Lesão dos hepatócitos dificultando a excreção adequada da bile: hepatites virais, alcóol, drogas, Doença de Wilson, febre amarela, etc.
  • Obstrução dos canalículos biliares impedindo o fluxo da bile: coledocolitíase, pancreatite crônica, colangiocarcinoma, câncer de cabeça de pâncreas, câncer de vesícula biliar, etc.

4. Quadro clínico

Os sinais e sintomas podem variar de acordo com a etiologia, porém o quadro clínico mais clássico que indica colestase é caracterizado por:

  • Colúria: ocorre devido a presença de bilirrubina direta na urina. Somente a direta pode causar colúria já que é solúvel e não é ligada à albumina como a bilirrubina indireta.
  • Acolia fecal: é causada pela colestase da bile impedindo que a bilirrubina direta chegue até o intestino para ser convertida em estercobilina.

5. Investigação clínica

Os exames laboratoriais e de imagem devem ser solicitados de acordo com a suspeita a partir da história clínica.

  • Coledocolitíase: em geral esses pacientes apresentam dor abdominal de forte intensidade em hipocôndrio direito associado à náuseas e vômitos. Há aumento de bilirrubinas às custas de direta e das enzimas canaliculares (fosfatase alcalina e GGT). Nesses pacientes a USG de abdome pode demonstrar dilatação de vias biliares ou espessamento ao redor da vesícula.
  • Hepatites virais: trata-se de um quadro agudo associado à fadiga, febre e perda de peso. Em caso de suspeita, as sorologias devem ser solicitadas para investigação: AgHbs, anti-HBc, anti-HCV, anti-HAV. As enzimas hepáticas (AST/ALT) ficam bastante elevadas (> 1.000).
  • Câncer de cabeça de pâncreas: pacientes idosos, com icterícia flutuante*, perda ponderal importante e/ou história familiar devem ser investigados, já que trata-se de uma causa de icterícia com alta letalidade.
  • Síndrome de Gilbert: distúrbio genético em que há deficiência parcial da glucoroniltransferase gerando uma icterícia leve que é evidenciada durante a adolescência na maioria dos casos.

6. Referências

MARTINELLI ALC. Icterícia. Medicina, Ribeirão Preto, 37: 246-252, jul./dez. 2004.

Clínica Médica – HCUSP – Vol.4 – Doenças do Aparelho Digestivo / Nutrição / Doenças Nutricionais. – 2ª Ed (2016)

Confira o vídeo:

Compartilhe com seus amigos: