Colunistas

Souvenaid, um auxílio no tratamento da Doença de Alzheimer? | Colunistas

Souvenaid, um auxílio no tratamento da Doença de Alzheimer? | Colunistas

Compartilhar
Imagem de perfil de Rebeca Riff

Introdução

A doença de Alzheimer (DA) é uma enfermidade neurodegenerativa associada à idade, sendo a causa de demência mais frequente além de possuir uma alta taxa de mortalidade. Possui um grave comprometimento do sistema nervoso central (SNC), provocando perda neuronal por meio de depósitos de proteína Tau e beta amilóide, localizados em áreas específicas do cérebro. Os principais sintomas estão associados a distúrbios no comportamento, memória e disfunções na cognição.

Com o comprometimento do SNC citado, a DA está associada à perda maciça de sinapses e atrofia cerebral e acredita-se que o estresse e o isolamento social podem favorecer o surgimento da mesma. Os pacientes podem progredir com um grave declínio motor e cognitivo causado por alterações estruturais e bioquímicos no cérebro, impossibilitando a transmissão sináptica devido a neurodegeneração. Os enfermos tornam-se com o tempo dependentes de cuidadores e sua expectativa de vida pode diminuir para aproximadamente 12 anos.

A prevalência da doença atinge cerca de 18 a 25 milhões de pessoa, a nível mundial. É considerada a principal causa de demência, com cerca de 50 a 56% dos casos. Atinge, em maior frequência, os indivíduos acima de 85 anos, apresentando 30% dos casos, e 5% dos acima de 65 anos.

Como a patologia é irreversível, o tratamento acaba sendo paliativo aos sintomas existentes, visando melhorar a qualidade de vida. 

Existem alguns fatores modificáveis da DA, que são: idade, estilo de vida, ocupação e doenças adquiridas, que contribuem com o aparecimento da patologia, como hipertensão arterial, obesidade, desnutrição, diabetes, depressão e deficiência de vitaminas, principalmente B12. Existem estudos que citam o colesterol alto como fator que aumenta a produção de beta amilóide, assim como a magreza excessiva associada a deficiência de vitaminas B3, B9 e B12 associadas a efeitos secundários da doença. Fatores ambientais / social como tabagismo, isolamento social, baixa escolaridade, estresse possuem um grande efeito no funcionamento neuropsicológico.

Um fator muito importante que se tem relacionado com a DA é a dieta, pois existem nutrientes que auxiliam no funcionamento cerebral, como por exemplo as vitaminas B6 e B12 que atuam na síntese de neurotransmissores, a vitamina C que atua como neuromodulador nas terminações nervosas. Uma dieta adequada é capaz de equilibrar o funcionamento do corpo e de diminuir o estresse oxidativo natural do organismo, por isso é importante o consumo de alimentos antioxidantes como peixe e grãos, vegetais, baixo consumo de carne vermelha. Uma dieta equilibrada associada a prática regular de atividade física e de estímulos cognitivos auxiliam na prevenção da DA e melhoram o quadro clínico na fase inicial da doença, por meio da estimulação da neurogênese. 

Estudos realizados verificaram que as dietas mais adequadas que correlacionam alimentação e nutrição e a DA, as mais eficazes com o papel protetor de uma dieta saudável sobre a saúde cerebral são as MedDiet, Dash e MIND. Algumas vitaminas e minerais foram relacionados ao funcionamento e manutenção cerebral/neuronal, a exemplo das vitaminas do complexo B, selênio, ácidos graxos ômega 3, EPA, DHA e vitaminas antioxidantes como A, C, e E.

Uma boa nutrição com o intuito de prevenção de doenças localizadas e sistêmicas, tem que ser iniciada na juventude.

Neste sentido, a publicação NUTRIÇÃO E DOENÇA DE ALZHEIMER NO IDOSO: UMA REVISÃO datado de 26/07/2018, expande o assunto da seguinte forma:

Segundo os pesquisadores Mi et al. (2013) pessoas idosas com Alzheimer apresentaram níveis plasmáticos significativamente menores de vitaminas A, C, E, B9 e B12 quando comparado com indivíduos sem a doença. Segundo Moritz (2007), a suplementação combinada de antioxidantes como a vitamina C e vitamina E, pode desempenhar papel protetor sobre o desenvolvimento da doença. Além disso, Segundo Sampaio e Sabry (2007), é capaz de reduzir a progressão da doença.

A alimentação/nutrição desempenha papel essencial na prevenção e retardo da progressão da DA, visto que é capaz de evitar que os acometidos fiquem ainda mais vulneráveis. Segundo Silva, Paloro e Hamasaki (2016), a boa nutrição pode retardar os sintomas e a progressividade da doença, entretanto, sabe-se que há divergências nas literaturas, no que diz respeito da suplementação de nutrientes sintéticos versus fontes alimentares, doses, tempo de suplementação, entre outras questões. Segundo Shah (2013), suplementos vitamínicos do complexo B foram, em sua maioria, inconsistentes, assim como a suplementação sintética com ácidos graxos ômega-3 sobre a progressão da DA. Destacamos ainda que déficits nutricionais das vitaminas lipossolúveis (A, E, D, K), além da vitamina C, vitaminas do complexo B (ácido fólico, B12, B6) e minerais como selênio e ácidos gordos ômega 3 são frequentes nos indivíduos com Alzheimer, entretanto, o que ainda parece não estar devidamenteelucidado é o papel dos nutrientes de origem sintética sobre a progressão e desenvolvimento da doença devido controvérsias nas literaturas, e quando elucidada tal questão, não se sabe o quanto são seguras e eficazes.

Tendo consciência das deficiências que as pessoas portadoras de DA possuem em micronutrientes, foi formulado um composto com a finalidade de suplementação alimentar para o auxílio no tratamento em casos leves, em estágio inicial, chamado de Souvenaid.

O que é

Souvenaid é um suplemento alimentar para nutrição oral ou enteral. Composto por macro e micronutrientes com acréscimos de uridina monofosfato, colina (vitamina B8), fosfolipídios, ômega 3: ácido docosahexanoico (DHA) e ácido eicosapentaenóico (EPA), vitamina E, vitamina C, selênio, vitamina B12, vitamina B6 e ácido fólico (vitamina B9). 

Indicações

A indicação proposta pelo fabricante é para a melhora da memória em pacientes com Doença de Alzheimer na fase Leve.

A posologia e a forma de administração dever ser de forma diária de um frasco de 125ml por três a seis meses, com possibilidade de extensão por até um ano ou mais, enquanto os benefícios forem notados.

Mecanismo de ação apresentado pelo demandante

 A formulação do Souvenaid®, com seus nutrientes realiza a neutralização da perda sináptica, estimulando a formação das membranas dos neurônios, reduzindo, desta forma, o processo patológico de desestruturação e perda de membranas neuronais relacionados à Doença de Alzheimer. Precursores nutricionais e cofatores agem em conjunto para apoiar a formação da membrana neuronal, mantendo, assim, sua função.

Tecnologia de produção

É registrado como Fortasyn® Connect, porém possui nome comercial de Souvenaid®.

Seu fabricante é a Nutricia NV.

Consumo

CUSTO: o pack vem com 4 unidades, variando aproximadamente de R$59,90 a R$77,99 por pesquisa realizada pela internet.

FREQUÊNCIA do CONSUMO: Ingestão diária de um frasco de 125ml, por 3 a 6 meses, podendo estender o consumo até um ano ou mais. 

RESULTADO pós consumo: os benefícios observados relatados foram ‘ganho de qualidade de vida’, ‘melhora do escore no teste mini mental’, maior atenção por parte do paciente nas atividades realizadas, mais independência na realização das atividades de vida diária, incremento na cognição, maior disposição física, melhora na apatia e isolamento social. 

TEMPO RECOMENDADO para o consumo para início dos resultados: 24 a 48 semanas .

Conclusão

A CONITEC (comissão nacional de incorporação de tecnologia no SUS) avaliou os três ensaios clínicos randomizados controlados por placebo, que foram realizados pelo fabricante para avaliar a eficácia da utilização do Souvenaid na melhora da memória no tratamento da DA em fase leve.

Em 2014 a CONITEC publicou: ‘As evidências de eficácia são fracas ou inexistentes e de questionável relevância clínica. Adicionalmente, não há estimativas precisas de custos e utilidades. O alimento não possui indicação de uso e propriedade aprovada para Doença de Alzheimer na ANVISA.”

Apesar da publicação citada acima, em um dos estudos realizados pelo fabricante, foram observados uma melhora da memória em relação a recordação verbal tardia em 40% do grupo tratado, também foi observado melhora na recordação verbal imediata. No teste ADAS-cog, considerado o padrão ouro, não apresentou diferença estatisticamente significativa. 

Segundo Relatório de Recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS, emitido pelo CONITEC, denominado SOUVENAID® PARA MELHORA DE MEMÓRIA EM PACIENTES COM DOENÇA DE ALZHEIMER NA FASE LEVE, observou-se o seguinte:

 Apesar dos estudos realizados pelo fabricante, considerada um estudo fraco, terem sido por um curto tempo e com poucos pacientes, pôde-se observar uma melhora considerável em pacientes com doença de Alzheimer em estágios leves. Os pacientes avaliados, para a classificação da DA, seguiram as orientações recomendadas por (National Institute of Neurologic and Communicative Disorders and Stroke and the Alzheimer Disease and Related Disorders Association (NINCDS-ADRDA)).

Foram recebidas 26 (81%) contribuições de profissionais de saúde, pacientes, familiares ou amigos de pacientes relatando a melhora observada com o uso do Souvenaid em pacientes com DA leve, mas que o alto custo do produto, associado às demais despesas para o manejo da doença, dificultam seu uso diário. Os benefícios observados foram “ganho de qualidade de vida”, “melhora do escore do mini mental”, “menos estressante para o portador e para as famílias”, “mais atenção”, “independência na realização das atividades de vida diária”, “melhora na cognição”, “benefícios de memória”, “melhor disposição física”, “boa aceitação”, “melhora da apatia e isolamento social”. 

Tendo por base as deficiências nutricionais de micronutrientes nos pacientes portadores de DA e o que é fornecido pelo suplemento nutricional do Souvenaid e mesmo não possuindo estudos fortes sobre a atuação do produto em questão na enfermidade discorrida, pode-se utilizar o souvenaid como um complemento ao tratamento convencional da doença de Alzheimer na fase leve, de forma contínua. Vale a pena lembrar que não existe ainda nenhum tratamento de cura, o que existe é um tratamento que retarda a progressão da mesma, então, tudo o que tenha base científica que auxilie no tratamento, vale a pena levar em consideração.

Referências

Site oficial Souvenaid: http://souvenaid.danonenutricao.com.br/

CONITEC – Souvenaid® para melhora de memória em pacientes com Doença de Alzheimer na fase Leve: http://conitec.gov.br/images/Incorporados/Souvenaid-final.pdf

Artigo: ‘Nutrição e doença de Alzheimer no idoso: Uma revisão’: https://core.ac.uk/download/pdf/327050881.pdf

Artigo FIOCRUZ: ‘DOENÇA DE ALZHEIMER: Abordagem Sobre a Fisiopatologia’ – Rev. Episteme Transversalis, Volta Redonda-RJ, v.12, n.2, p.356-381, 2021.: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/49903/2/AndrezaJB_silva_etal_IOC_2021.pdf

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto.