COVID-19, Li Wenliang e o que sabemos sobre o novo Coronavírus | Colunistas

Quadro geral do CoVid-19 O CoVid-19 é, sem dúvidas, a maior manchete internacional nos últimos meses. O assunto pode ser abordado em diferentes focos, que vão desde o número de contaminados, passando por riscos para a comunidade internacional até os impactos econômicos sentidos na China e no mundo. Independentemente de qual seja o foco das notícias que você acompanha, compreender o essencial do tema se tornou indispensável. A eficiência da China Os níveis de eficiência e organização do país asiático se mostraram admiráveis. Lograram um isolamento completo, verdadeiro lockdown, de 9 milhões de pessoas na cidade de Wuhan com rapidez que dificilmente outras nações conseguiriam igualar, nem mesmo os EUA ou países da Europa. Além disso entregaram um hospital monumental em apenas 10 dias, contando com 4 mil trabalhadores e mais de cem máquinas ao mesmo tempo no canteiro de obras, a construção do Hospital Huoshenshan para 1000 leitos foi ato transmitido ao mundo todo.        Contudo, tais façanhas ocorreram a um custo individual muito grande. Desde dezembro de 2019, antes de qualquer morte ser registrada, o oftalmologista Li Wenliang tentou alertar colegas de trabalho sobre uma doença parecida com a SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave). O médico recebeu das autoridades chinesas em 3 de janeiro uma carta acusando-o de estar “perturbando seriamente a ordem social” e foi forçado a assinar comprometendo-se a “não seguir com atividade ilegal”, caso contrário seria indiciado criminalmente. Após o anúncio da morte do médico em 7 de Fevereiro, publicações de freedom of speech e temas associados à falta de liberdades em geral foram utilizadas

Guilherme Socoowski

7 min223 days ago

Darolutamida: novo medicamento é aprovado para câncer de próstata

A Anvisa publicou no Diário Oficial da União (D.O.U.) desta segunda-feira (23/12) o registro do Nubeqa (darolutamida), novo medicamento indicado para o tratamento de câncer de próstata não metastático resistente à castração (nonmetastatic castration-resistant prostate cancer – nmCRPC), um tipo raro de neoplasia. O registro foi concedido à empresa Bayer S.A. Com isso, a Anvisa é a segunda agência no mundo a aprovar o registro desse medicamento, apenas cinco meses após a aprovação do produto pela autoridade reguladora norte-americana (Food and Drug Administration– FDA). O câncer de próstata é o quarto mais comum em todo o mundo, afetando 7,1% da população. Para o sexo masculino, é a segunda neoplasia mais frequente, atingindo 15% dos homens mundialmente. Especificamente no Brasil, é o segundo tipo de câncer mais comum no sexo masculino. Essa neoplasia é caracterizada pelo crescimento da glândula prostática, que é parte do sistema genital masculino. A doença acomete primariamente a população idosa, correspondendo a 95% de todos os tumores de origem prostática classificados como adenocarcinoma (originário nas células glandulares). Confira aqui a publicação do registro do NUBEQA (darolutamida). Fonte: Anvisa Quer se aprofundar mais em Medicina de Emergência? A Medicina de Emergência está presente em todas as fases da carreira médica! CONHEÇA A PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA DE EMERGÊNCIA DA SANAR

SanarMed Pós Graduação

1 min273 days ago

Como se comunicar com seu paciente? | Colunistas

A definição de comunicação, de forma simples, é a ação de transmitir uma mensagem e receber outra, em troca. Nesse processo, há a presença de dois agentes, o emissor e o receptor. No entanto, o modelo de comunicabilidade não se limita apenas a fala, uma vez que nossos ancestrais, o homem das cavernas, tinham a sua própria forma, que se fundamentava em gestos e grunhidos. Diante a evolução, foram criadas as primeiras pinturas rupestres, com a utilização de tintas naturais. Hoje temos diversas formas de se comunicar, através de linguagens verbais e não verbais, utilizando a fala, os escritos, mensagens em redes sociais e mensageiros instantâneos.             Na medicina, buscar uma boa forma de se comunicar é muito importante. Uma fração importante dos cuidados e dos tratamentos está ligada ao formato de como essa comunicação acontece. A habilidade de se transmitir uma informação de forma clara pode ser uma das maiores qualidades de um médico e a ausência dela, um grande problema. Quando é realizada de forma correta, auxilia a melhorar os diagnósticos, evita erros e fornece maior confiança no tratamento, aumentando o vínculo com o paciente.             O médico, ao atender um doente, deve conversar de modo a conhecer a sua história. Essa forma de comunicação se chama anamnese. Nela, o médico deve realizar a escuta ativa, para perceber a real necessidade daquela pessoa que buscou auxílio em seus conhecimentos. Segundo Carl Rogers, psicólogo estadunidense, ‘’a relação terapêutica é apenas uma forma de relação interpessoal em geral, e que as mesmas leis regem todas as relações desse tipo’’. (Rogers, 1999, p.36).             Condutas como não manter a atenção no que o doente informa, demonstrar pressa, realizar somente questões objetivas, sem possibilidade de

Marcel Aureo

4 min278 days ago

Relevância clínica da hipnose no tratamento da dor crônica | Colunistas

Já dizia Augustus Waters, personagem da produção cinematográfica de A culpa é das estrelas: “o ruim da dor é que ela tem que ser sentida”. É evidente que sentir dor é algo indesejável para a maioria das pessoas e praticamente não se encontra nada de bom nela, ainda que exista aquela pequena parcela que tenta, mesmo que mentalmente, encará-la como algo prazeroso, não à toa a dor é entendida como algo particular, exclusiva de quem a sente. Tecnicamente falando, segundo a International Association for the Study of Pain (IASP) a dor é uma sensação ou experiência emocional desagradável, associada com dano tecidual real ou potencial¹. É um achado semiológico muito relevante na prática clínica e também o ponto de partida para que se realize uma busca mais profunda de acometimentos patológicos no individuo, pois trata-se de uma manifestação sintomática, subjetiva, um sinal de alerta que indica que algo não está normal e que possivelmente há alguma agressão sobre o organismo do paciente. Talvez nesse sentido possamos extrair o lado positivo da dor, se é que existe, o de sinalização. Durante a anamnese não se deve deixar de dar importância a ela, o ideal é identificar características como seu início, tipo, intensidade, localização, irradiação, manifestações associadas e tempo de evolução. Nesse ultimo caso, podemos utilizar esse dado para classificar o quadro álgico em agudo ou crônico. A dor aguda é aquela que dura por no máximo 30 dias, diferente da dor crônica que, mesmo sem um consenso médico, considera-se aquela que persiste por mais de um mês, para alguns por mais de três ou até seis meses¹,²,³. O processo de envelhecimento é apontado como um dos principais responsáveis pela dor crônica, entretanto ela tem também grande representatividade em pacientes oncológicos e íntima relação com algumas enfermidades de

Rafael Vidal

4 min293 days ago

Perspectivas tecnológicas na medicina: o futuro já começou | Colunistas

Introdução O Futurismo foi um movimento artístico-literário que surgiu em 1909 e se caracterizou pela exaltação à ciência e ao progresso tecnológico. Felippo Marinetti, idealizador do movimento, se vivo hoje fosse, ficaria abismado com a estreita relação entre as novas tecnologias e as várias áreas do conhecimento, entre as quais está a Medicina. Talvez nem nos seus pensamentos mais futuristas ele fosse capaz de imaginar a realidade que está sendo projetada para as ciências médicas no século XXI. Nesse sentido, quais são os rumos tecnológicos da medicina? A seguir você encontrará algumas tendências para a medicina do futuro. Inovações tecnológicas na Medicina Inteligência Artificial (IA) Por meio da montagem de bancos de dados dos pacientes, a inteligência artificial pode ser usada na projeção de dispositivos que ‘’aprendam’’ a cuidar desses indivíduos. Quanto a isso, já existem aplicativos que monitoram dietas e horários de tomar medicamentos. A expectativa é a criação de ferramentas úteis, inclusive, no diagnóstico preciso de doenças complexas. Em 2016, por exemplo, estudiosos da Universidade de Stanford elaboraram um algoritmo capaz de detectar câncer de pele e de sinalizar a presença de tumores com a mesma precisão de médicos dermatologistas. Tecnologias wearables Trata-se de dispositivos vestíveis, de modo a promover contato direto entre o produto e   corpo dos usuários. Tais ferramentas são capazes de coletar informações em tempo real dos pacientes, como frequência cardíaca e pressão arterial, o que não só ajuda a equipe médica, mas também dá ao indivíduo um maior protagonismo na monitorização de sua saúde. Essa tecnologia deve ser difundida com maior ênfase nos próximos anos, auxiliando em diagnósticos complexos. Medicamentos personalizados O crescente desenvolvimento da farmacogenômica auxiliará

Wallyson Pablo de Oliveira Souza

3 min318 days ago

Nova droga é aprovada para tratamento da síndrome do intestino irritável com constipação | Colunistas

A síndrome do intestino irritável (SII) é caracterizada por um desconforto ou dor abdominal recorrente relacionada com a evacuação e alterações na frequência de evacuação ou na consistência das fezes. Esta patologia possui uma grande relevância clínica, atingindo aproximadamente 15% da população brasileira entre 15 e 65 anos, sendo mais comum em mulheres. A etiologia da doença não está complemente elucidada, porém os estudos apontam para uma correlação entre distúrbios emocionais, em pacientes com histórico de traumas, abusos, transtornos de ansiedade, depressão e o estresse crônico. Os fatores emocionais podem promover uma desregulação no equilíbrio de agentes que controlam a motilidade e as secreções gastrintestinais, levando ao quadro clínico apresentado na SII. Apesar de existir uma relação cérebro-intestino, a ingestão de certos alimentos, alterações inflamatórias e modificações sobre o processo de absorção de elementos no sistema gastrintestinal também estão diretamente ligados ao desenvolvimento da SII. Como sintomas, dentre outros, o paciente apresenta uma aceleração ou lentificação do trânsito intestinal. A constipação é um quadro apresentado por parte dos pacientes que sofrem com a SII e o tratamento farmacológico, até então, é realizado com drogas que afetam o sistema de receptores muscarínicos no intestino, modificando a função colinérgica e a motilidade gastrintestinal. Outros fármacos que atuam sobre receptores de serotonina também são úteis para acelerar o trânsito intestinal. Apesar de demonstrarem eficácia, estes fármacos promovem efeitos adversos relevantes, os quais podem reduzir a adesão ao tratamento dos pacientes. O Tenapanor se destaca como uma nova opção terapêutica, atuando de forma específica sobre o trocador de sódio / hidrogênio intestinal 3 (NHE3), afetando diretamente a absorção de sódio e, por ser minimamente absorvido, sistemicamente, os seus efeitos se restringem ao sistema intestinal. Em consequência da inibição intestinal de NHE3, ocorre

Juarez de Souza

2 min323 days ago
Filtrar conteúdos
Filtrar conteúdos
Áreas
Ciclos da medicina
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.