Exame obrigatório para exercer medicina: 85% da população no Brasil apoia, diz CFM | Especialistas

85% da população apoia exame obrigatório para exercer medicina no Brasil, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM). O Instituto Datafolha indica que 88% dos entrevistados entendem que alunos reprovados em um exame de ­fim de curso, além de não receber o diploma, deveriam ser orientados a participar de aulas e outras atividades de reforço, permitindo-lhes se submeter às provas até que vençam essa etapa. “No Brasil, o total de escolas médicas quase triplicou em 18 anos. Esse número pulou de 126 estabelecimentos, em 2002, para os atuais 342. Isso trouxe um cenário preocupante para o processo de formação de futuros profissionais. A falta de infraestrutura, de professores qualificados e, em alguns casos, de um projeto acadêmico sólido tem comprometido o desempenho dos jovens médicos. A população tem percebido esses impactos, até mesmo porque assumiu uma posição de maior autonomia no relacionamento com os médicos que a assistem: ela sente dificuldades em estabelecer elos de confiança, do ponto de vista técnico e clínico, com a nova geração de pro­fissionais.” Diz o editorial do jornal do conselho federal de medicina. Não é nova a discussão que fala sobre ter um exame obrigatório para exercer medicina no país (uma espécie de exame de OAB dos médicos). Alguns conselhos regionais já tem o exame, inclusive com índices de “aprovação” baixos. O Cremesp pioneiro no tema teve em 2018 índice de 61%. Outros conselhos como CREMGO e CEMERO tem também avançado  no tema. porém sem repercussão sobre o exercício da medicina. O tema é complexo pois mexe com questões como: “De quem é a responsabilidade em formar bons médicos? Do estudante ou da faculdade?” “O

Caio Nunes

2 min há 339 dias

Conheça detalhes da prova de Residência Médica USP

A prova da Residência Médica USP é o primeiro obstáculo que todo candidato precisa ultrapassar para realizar o sonho de obter um título da melhor universidade do Brasil. São 54 programas de treinamento em áreas médicas reconhecidas com vagas disponíveis. Segundo dados da própria instituição, a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) credencia 883 vagas para o 1º ano de residência, distribuídas em especialidades básicas de acesso direto, vagas com pré-requisitos e anos adicionais/área de atuação. A residência pode ser cumprida no Hospital Universitário da USP, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP ou ainda em Unidades Básicas de Saúde. Para chegar à intensa rotina de médico residente, com 60 horas semanais de trabalho, é preciso vencer as provas escrita, discursiva e prática. A exceção, até então, é o edital para 2021, lançado em meio à pandemia do novo coronavírus, no qual foi mantida apenas a prova escrita objetiva.  Prova escrita A prova escrita da Residência Médica USP é prova objetiva de múltipla escolha, com quatro alternativas de respostas das quais apenas uma é a correta. Com peso 9, as 100 questões podem valer de 0 a 75 pontos. No edital 2021, por outro lado, a pontuação passou a ser 0 a 100, com 120 questões.  As provas para especialidades de acesso direto são sobre Cirurgia Geral, Clínica Médica, Obstetrícia e Ginecologia, Medicina Preventiva e Social e Pediatria. As questões são distribuídas em igual número para cada área.  No caso das especialidades clínicas, a prova é toda sobre Clínica Médica, a especialidade de pré-requisito. Já nas especialidades cirúrgicas, a prova escrita é sobre Clínica Geral, também por ser especialidade de pré-requisito. 

Sanar Residência Médica

3 min há 354 dias

Banca Cespe na residência médica: tudo que você precisa saber!

Como diria o ditado, o costume das questões múltipla escolha deixa todo mundo em desespero diante do método da banca Cespe! O modelo certo ou errado, característico dessa instituição, deixa a mais inteligente e o mais crânio dos médicos apreensivos! Isso não é à toa. O método da banca Cespe exige uma estratégia de resposta diferente das demais bancas, avalia seus conhecimentos de maneira aprofundada e integrada, e ainda elimina cada ponto pela proficiência que você ainda não possuir.  Se nos editais de outras bancas você responde a uma prova com 50 questões de múltipla escolha sabendo que apenas uma é verdadeira, na banca Cespe você precisa avaliar todos os itens de cada uma dessas questões. É outra dinâmica!  Histórico da banca Cespe Antes de detalharmos um pouco mais esse método, é preciso conhecer a história dessa banca tão temida. O Cespe (Centro de Seleção e de Promoção de Eventos) é um órgão da Universidade de Brasília (UnB) que realizava concursos até delegar essa função ao Cebraspe (Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos).  Em 2013, o Cebraspe foi qualificado como Organização Social e passou a funcionar como tal no país, após contrato de gestão com o Ministério da Educação e as instituições intervenientes, neste caso, a Fundação Universidade de Brasília (FUB) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Com isso, o Cebraspe se tornou banca examinadora e absorveu o método Cespe de avaliar – esse modelo certo/errado.  A ansiedade em relação à banca Cespe/Cebraspe é justamente porque uma ganhou a reputação da outra ao absorver o método de elaboração das provas. Entre os candidatos, o certo/errado passou a

Sanar Residência Médica

3 min há 359 dias

Grupos de Telegram e WhatsApp de Residência Médica 2021

Está se preparando para as provas de Residência Médica em todo o Brasil? Então, a Sanar tem grupos no Telegram e WhatsApp que vão te ajudar. Você terá contato com conteúdos selecionados e focados e poderá se conectar com outras pessoas que estão estudando para as mesmas provas que você. Se quiser trazer seu grupo para a nossa rede, pode conversar com os moderadores.  Grupos de WhatsApp de residência médica 2021 Fale com a gente que vamos incluir você em algum dos nossos grupos: https://wa.me/message/U7HN5CLIJVFBG1 Grupos Telegram de residência médica 2021 Preparação para as provas  Residência Médica – Estudos https://t.me/joinchat/Ow7frBMW3IMqJUEp4tU0vw Provas de Residência Médica HC-FMUSP-2021 https://t.me/usp2021 UNICAMP-2021 https://t.me/runicamp2021 SUS BA 2021 # 1 https://t.me/susba2021# 2 https://t.me/resmedsusba2021 SUS-SP 2021 https://t.me/sussp2021 USP-RP 2021 https://t.me/usprp2021 SCMSP – 2021 https://t.me/scmsp2021 UNIFESP-2021 https://t.me/unifesp2021 PSU-MG-2021 https://t.me/psumg2021 HIAE – 2021 https://t.me/hiae2021 AMRIGS-2021 https://t.me/amrigs2021 Especialidades Pediatria https://t.me/pedprova2021 Cirurgia https://t.me/cirprova2021 Clínica Médica https://t.me/clmprova2021 Ginecologia https://t.me/goprova2021 Notícias em geral https://t.me/sanarmedicina Posts relacionados: 7 dicas para uma rotina de estudos que te leve a aprovação na residência5 dramas

Sanar Residência Médica

1 min há 367 dias

Cirurgia de cabeça e pescoço: residência, áreas de atuação, rotina e mais!

A Cirurgia de Cabeça e Pescoço é a especialidade médica que trata das doenças e tumores que acometem a região da face, fossas nasais, seios paranasais, boca, faringe, laringe, tireoide, paratireoides, glândulas salivares, dos tecidos moles do pescoço e couro cabeludo. A especialidade, no entanto, não abrange os tumores ou doenças do cérebro e outras áreas do sistema nervoso e nem da coluna cervical. Esses procedimentos são realizados pelo neurocirurgião. No Brasil, existem 1072 cirurgiões de cabeça e pescoço, segundo dados do Conselho Federal de Medicina (CFM). Mais de 55% dos especialistas estão na região sudeste e 21%, no nordeste do país.  Se você pensa em fazer residência médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço e quer saber mais sobre a especialidade, continue lendo este artigo. Aqui, falaremos sobre a rotina da profissão, o mercado de trabalho e a dinâmica do residente.  O especialista e sua rotina O cirurgião de cabeça e pescoço deve ser perfeccionista e ter conhecimento oncológico e da anatomia tipográfica, além de habilidades cirúrgicas. Dentre as operações rotineiras desse profissional, o esvaziamento cervical representa de maneira mais completa os elementos da especialidade — exprime a precisão, delicadeza e conhecimentos necessários para o tratamento do paciente com câncer de cabeça e pescoço.  Essas são as cirurgias mais comuns na rotina desse cirurgião: cirurgias da glândula tireóide e paratireóides;glândulas salivares;cistos branquiais e do ducto tireoglosso;malformações cervicofaciais;tumores de pele;tumores malignos do trato aerodigestivo alto (boca, orofaringe, laringe, hipofaringe);tumores dos seios nasais;tumores da base do crânio.  Rotina ambulatorial A Cirurgia de Cabeça e Pescoço é uma especialidade essencialmente cirúrgica, com ênfase em oncologia. Por isso, no consultório

Sanar Residência Médica

5 min há 530 dias

Cirurgia Cardiovascular: residência, áreas de atuação, rotina e mais!

As especialidades médicas de cirurgia cardiovascular, cardíaca e cardiotorácica podem ser confundidas uma com a outra, já que todas atuam no coração e nos grandes vasos — artérias aorta, pulmonar, carótidas e veias cavas e pulmonares. A diferença entre elas está no tipo de formação, que respeita as regras de cada país. No Brasil, a formação de um cirurgião cardiovascular acontece em quatro anos e pode ser via acesso direto, em centros credenciados à Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV), ou após a residência em Cirurgia Geral, em instituições que seguem o modelo do Ministério da Educação (MEC).  No Brasil, a cirurgia torácica é considerada uma especialidade diferente. Nesse contexto, alguns procedimentos como endarterectomia de carótidas, aneurismas de aorta descendente e tumores de mediastino são realizados por mais de uma especialidade. Se você está escolhendo a sua Residência Médica e pensa em se especializar em cirurgia cardiovascular, continue a leitura e saiba mais sobre as áreas de atuação, formação e conjuntura do mercado de trabalho! Áreas de atuação em cirurgia cardiovascular As patologias tratadas pelo cirurgião cardiovascular podem ser congênitas ou adquiridas. Saiba mais sobre cada uma das classificações! Patologias congênitas Algumas vezes, a cirurgia cardíaca congênita é chamada erroneamente de pediátrica — afinal, adultos também podem ter patologias congênitas. Essa especialidade cuida das patologias cianogênicas (TGA, tetralogia de Fallot, truncus arteriosus, estenose da artéria pulmonar, entre outras) e das patologias acianogênicas (comunicação interarterial, interventricular, drenagem anômala das veias pulmonares, anomalia de Ebstein, entre outras).  Esses procedimentos podem ser paliativos ou definitivos. No primeiro caso, não se corrige o defeito, mas se cria outro para haver compensação temporária. Já

Sanar Residência Médica

4 min há 530 dias
Filtrar conteúdos
Filtrar conteúdos
Áreas
Ciclos da medicina
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.