Atividades Extra Curriculares

Telemedicina se manterá com diminuição dos casos de COVID? | Colunistas

Telemedicina se manterá com diminuição dos casos de COVID? | Colunistas

Compartilhar
Imagem de perfil de Natália Paniágua Andrade

Para conter o avanço do coronavírus, recursos digitais, como a telemedicina, tiveram de ser adotados por operadoras de saúde, serviços públicos e médicos particulares, deixando de lado um padrão de ver com certa desconfiança o atendimento a distância. Tal recurso se manterá com os menores casos de COVID?

Uma breve história da telemedicina

A Telemedicina está relacionada com a evolução dos computadores e redes.

Computadores

  • 1834 – Construído o primeiro computador mecânico programável, na Inglaterra, por Charles Babage.
  • 1941 – Konrad Zuse (alemão) – Primeiro computador eletrônico controlado por programa (Z3).

Redes

Tim Berners Lee, inglês que trabalhava no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares na Suíça, inventou a Internet, a partir de ideias da ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network).

Com o surgimento do computador e da Internet, surge a Telemedicina propriamente dita. Duas áreas dão grande impulso à Telemedicina: exploração espacial (NASA) e todos os ministérios de defesa (áreas militares do mundo). As décadas de 60 e 70 são os marcos de progresso da Telemedicina.

Segundo experiência de Harvard

Em 1967, o Hospital Geral de Massachusetts foi ligado ao aeroporto da cidade de Boston, com o objetivo de atender qualquer emergência que ocorresse no aeroporto a partir do Hospital. Por outro lado, o Hospital receberia informações básicas de um indivíduo que tivesse um problema grave no aeroporto e precisasse ser levado de ambulância. Esse é um marco importante na história da Telemedicina. A partir desse fato, ocorreram outras experiências isoladas.

A Telemedicina foi a especialidade médica que mais cresceu no mundo. Embora a Telemedicina tenha raízes profundas, a sua realidade tem pouco mais de 20 anos e está modificando o cotidiano de profissionais da saúde e de pacientes.

No Brasil: 

Telemedicina: saiba o que é, como funciona e os benefícios que ela traz -  Sami Saúde
Figura 1: Marcos da telemedicina no Brasil
https://bityli.com/QXRBN

Modalidades da telemedicina

A telemedicina é uma nova modalidade que promove assistência a pacientes de forma online e está disposto pela resolução CFM nº 2.227/2018, a qual é conceituada no artigo 1º da resolução:

Art. 1º Definir a telemedicina como o exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde. 

Dito isto, a telemedicina se divide em várias modalidades, como segue:

1- Teleconsulta: trata-se de uma consulta realizada online, ou seja, o paciente e o médico não se encontram fisicamente, mas através de videoconferência, utilizando computadores, tablets ou celulares. 

2- Teleinterconsulta: é um método em que médicos trocam informações e opiniões para o auxílio diagnóstico e terapêutico, clínico ou cirúrgico. É importante ressaltar que essa troca de informações e opiniões pode ser feita com ou sem a presença do paciente.

3- Telediagnóstico: o telediagnóstico utiliza de tecnologia moderna para a transmissão de gráficos, de imagens e pareceres médicos, a fim de agilizar a emissão de um laudo médico.

4- Telecirurgia: trata-se de um procedimento que tem como objetivo a realização de procedimento cirúrgico à distância, através de equipamentos robóticos guiado pelo médico executor, em espaços físicos diferentes, devendo a cirurgia ser acompanhada por outro cirurgião local.

5- Teletriagem médica: é um procedimento à distância que visa avaliar os sintomas apresentados pelo paciente para que o mesmo seja direcionado a uma assistência ou especialista adequado.

6- Telemonitoramento: trata-se de um monitoramento realizado à distância por meio de imagens, sinais e dados transmitidos de equipamentos implantados em pacientes que estão internados em hospital ou em seu próprio domicílio. Esse tipo de monitoramento é muito utilizado em idosos ou no translado de pacientes em percurso para um estabelecimento de saúde.

7- Teleorientação: é o ato médico à distância para preenchimento de declaração de saúde e/ou para adesão a plano privado de saúde.

8- Teleconsultoria: é um ato realizado de consultoria realizado entre médicos e gestores, profissionais e trabalhadores de saúde a fim de esclarecimento de dúvidas relacionadas a ações de saúde e questões de processo de trabalho.

O cenário da telemedicina na pandemia e seu futuro no Brasil

Segundo entrevista à CNN, o economista norte-americano Greg Caressi e vice-presidente da Frost & Sullivan, uma das cinco mais importantes consultorias em saúde do mundo, diz que a tecnologia se popularizou e deve ser aprimorada de acordo com as necessidades e condições de saúde.

Também frisou que a Covid-19 criou uma enorme demanda por telemedicina, interações de telessaúde de vários tipos, consultas virtuais, usando vídeo, telefone ou bots de bate-papo para ajudar a determinar sintomas, fazer triagem, rastrear pacientes com Covid-19 e com doenças crônicas. Houve uma grande expansão de soluções de telemedicina e de telessaúde. Provavelmente, o mercado avançou algo em torno de dois a cinco anos a mais do que esperávamos.

Além do mais, ainda citou os diversos recursos do teleatendimento: “Criou oportunidades para pacientes que viviam em locais remotos, que tinham dificuldade de acesso aos serviços de cuidados básicos de saúde. Mas, certamente, a telemedicina também foi eficaz no acesso a médicos e serviços de saúde avançados ou especializados.

Fazer consultas por teleatendimento passou a ser muito mais conveniente, permitindo que pais tivessem mais capacidade de acessar serviços médicos para seus filhos de forma mais rápida, por exemplo. Esse fator de conveniência tem sido positivo para a experiência do usuário.”

Conclusão

É notório que a tecnologia aliada à saúde trouxe inúmeros benefícios para o cenário médico e, em especial na realidade da pandemia, auxiliando médicos e pacientes. Portando, como disse Greg Caressi, que esse recurso teve um avanço em torno de dois a cinco anos a mais que o esperado, é esperançoso o futuro da telemedicina mesmo após a diminuição dos casos de COVID, para isso, é necessário que o Governo e investidores auxiliem nesse processo.

Autora: Natália Paniágua de Andrade

Instagram: @natipaniagua_

Referências

História da Telemedicina. https://telemedicina.fm.usp.br/portal/historia-da-telemedicina/

Especialista afirma: telemedicina veio para ficar e é o mínimo necessário. https://brasiltelemedicina.com.br/artigo/telemedicina-veio-para-ficar-e-e-o-minimo-necessario/

Telemedicina, regulamentada durante a pandemia da Covid-19, pode ampliar acesso à saúde. http://informe.ensp.fiocruz.br/noticias/50973#:~:text=Em%20mar%C3%A7o%20de%202020%2C%20o,incentivar%20a%20pesquisa%20em%20sa%C3%BAde.

Modalidades da Telemedicina:Teleconsulta, Teleinterconsulta, Telediagnóstico, Telecirurgia, Teletriagem médica, Telemonitoramento, Teleorientação, Teleconsultoria. http://direitodasaudemedico.com.br/modalidades-da-telemedicina/#page-content

Telemedicina continuará a se expandir após a pandemia, diz especialista americano. https://www.cnnbrasil.com.br/saude/telemedicina-continuara-a-se-expandir-apos-a-pandemia-diz-especialista-americano/ 

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto.