Psiquiatria

Saiba tudo sobre os Transtornos de Ansiedade

Saiba tudo sobre os Transtornos de Ansiedade

Compartilhar

SanarFlix

5 min há 821 dias

Neste resumo, você entenderá tudo sobre os transtornos de ansiedade, os seus principais sintomas, como é realizado o diagnóstico e tratamento da doença.

Boa leitura!

Transtornos Psiquiátricos

Os transtornos psiquiátricos se tornaram extremamente comuns na sociedade contemporânea e causam profundo impacto na qualidade de vida e bem-estar dos indivíduos afetados.

Os transtornos psiquiátricos são definidos como as condições que interferem nos pensamentos, sentimentos e/ou comportamentos, efeitos que costumam causar sensação de angústia ou deficiência nas suas funções normais, como nas atividades diárias e relações interpessoais.

Essas condições são fortemente associadas a alterações neurológicas, doenças sistêmicas ou drogas que interferem no funcionamento do cérebro.

Vale ressaltar que os transtornos psiquiátricos são diferentes das condições de demência e delírio, que na verdade são transtornos neurocognitivos, caracterizados pelo prejuízo na atenção, memória, linguagem e outras funções do cérebro.

A patogênese dos transtornos psiquiátricos ainda não é completamente esclarecida, e com isso a classificação dos diferentes transtornos é baseada nas manifestações clínicas, que podem apresentar variações relacionadas com o perfil genético do indivíduo. Com isso, alguns transtornos são descritos, como os transtornos de ansiedade, depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia, entre outros.

Definição Transtornos de Ansiedade

Os transtornos de ansiedade são definidos como um grupo de condições caracterizadas pela ansiedade idiopática, acompanhada de sintomas psicológicos, como alterações de pensamento, e somáticos, que envolvem sudorese, taquicardia, entre outros.

A ansiedade está presente em muitas desordens psiquiátricas, porém a ansiedade primária, cujo o material terá como foco, não envolvem déficits neurocognitivos, sintomas depressivos ou maníacos, psicose nem outros distúrbios.

A ansiedade patológica e a ansiedade “normal” podem ser diferenciadas pelo grau de interferência ou não desse estado nas atividades habituais, visto que a ansiedade patológica pode impedir a realização das tarefas cotidianas.

Transtornos relacionados a Ansiedade

Os transtornos relacionados a ansiedade incluem a síndrome do pânico, transtorno de ansiedade generalizada (TAG), fobias, distúrbio obsessivo-compulsivo (TOC), distúrbio de estresse agudo e distúrbio de estresse pós-traumático (DEPT).

No entanto, a quinta edição do Manual de Diagnóstico e Estatística das Doenças Mentais (DSM-5) criou uma nova categoria de “Distúrbios Obsessivo-compulsivos e Distúrbios relacionados”, visto que esses transtornos apresentam uma patogênese distinta dos outros distúrbios de ansiedade.

Antes de descrever essas condições, é importante relembrar o funcionamento básico das sinapses.

Funcionamento das Sinapses – Neurotransmissores

De maneira geral, as sinapses são mediadas pelos neurotransmissores. Diferentes efeitos são gerados a partir da ligação de neurotransmissores a seus diferentes receptores. Com isso, um mesmo neurotransmissor possui vários tipos de receptores em distintas áreas do cérebro.

Os neurotransmissores podem ter caráter excitatório ou inibitório, regulando assim a velocidade das sinapses. Além disso, os neurotransmissores podem agir até certa distância de seu local de liberação, exercendo efeitos de curta ou longa duração, que podem incluir síntese de transmissores ou expressão de determinados neurorreceptores.

A maioria dessas sinapses provocam a abertura rápida e transitória de canais iônicos na membrana do neurônio pós-sináptico. Essa abertura de canais iônicos provoca despolarização ou hiperpolarização, a depender de qual íon está se movendo e em qual direção.

Assim, a ativação das vias excitatórias resulta em despolarização da membrana pós-sináptica, enquanto a ativação das vias inibitórias provoca hiperpolarização dessa membrana. A hiperpolarização, por sua vez, impede que ocorra nova despolarização, ou seja, impede a excitação da célula.

O conhecimento dos neurotransmissores é importante não apenas para entendimento dos transtornos psiquiátricos que as envolvem como também para desenvolvimento de fármacos que auxiliem no tratamento dos transtornos psiquiátricos.

Dessa forma, descrevemos na tabela a seguir os principais neurotransmissores:

  Inibitório/Excitatório/Funções Receptores
Glutamato Excitatório NMDA, AMPA, cainato e metabotrópicos
Glicina Inibitório NMDA2
GABA Inibitório GABAA e GABAB
Noradrenalina

Controle da pressão sanguínea

Alerta

Despertar

Receptores adrenérgicos exceto β3-adrenérgico (não expresso no SNC)
Serotonina

Excitatório/inibitório

Termorregulação

Regulação endócrina

Associação com humor, função cognitiva e sono

5-HT5-7
Dopamina

Coordenação motora

Vias: nigroestriada, mesolímbicas, mesocorticais e túbero-hipofisário

D1, D2, D3 D4
Acetilcolina

Controle motor

Aprendizado

Memória

Despertar

Mucarínicos (M1, M3 e M5)

Nicotínicos (α2-7 e β2-4)

Histamina

Despertar3

Alerta

H1-3

Conclusão

O estado de ansiedade corresponde ao acionamento inadequado do sistema de resposta ao estresse (luta ou fuga) associado com uma variedade de respostas dos sistemas cognitivo, motor, neuroendócrino e autonômico, envolvendo assim não apenas o sistema simpático.

Com isso, a ansiedade é caracterizada por emoções negativas, reflexos autônomos, comportamentos defensivos, vigilância e secreção de mineralocorticoides sem que haja estímulo externo.

Em outras palavras, o indivíduo que sofre com os transtornos de ansiedade se sente como um indivíduo normal (não ansioso) se sente em situações de risco, a diferença é que o indivíduo com ansiedade em crise não está em situação de risco.

Posts relacionados

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.