Colunistas

Vacina janssen: cinturão sanitário em região de fronteira | Colunistas

Vacina janssen: cinturão sanitário em região de fronteira | Colunistas

Compartilhar

Merlyken Glenda

7 min há 14 dias

Introdução

O Mato Grosso do Sul, um dos estados brasileiros que faz fronteira com dois países da América Latina, Paraguai e Bolívia, iniciou um estudo epidemiológico conhecido como VEBRA Covid-19 (do inglês Vaccine Effectiveness in Brazil Against Covid -19). O infectologista Júlio Crodda está sendo responsável por capitanear essa pesquisa, reunindo também pesquisadores de instituições tanto nacionais quanto internacionais, juntamente com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

O estado recebeu 150 mil doses da vacina da Janssen, fabricada pela empresa farmacêutica Johnson & Johnson, para a realização do estudo em 13 municípios do Mato Grosso do Sul que fazem fronteira com outros países.  A pesquisa quer verificar o impacto da vacinação em massa na região da fronteira, promovendo um cinturão sanitário.

Vacina Janssen

A vacina Janssen é feita por um vetor viral não replicante, ou seja, é realizada a modificação de um adenovírus que normalmente causa resfriados em humanos, para que ele não consiga mais se multiplicar, e incluem nele um trecho do material genético do Sars-CoV-2. Quando entra em contato com as células, o vetor viral apresenta essa parte do coronavírus para o sistema imune, que monta uma resposta específica para ele.

Um grande fator positivo apresentado pela vacina Janssen é a aplicação de uma única dose para atingir os efeitos necessários, sem a precisão de um reforço. Além disso, ela pode ser armazenada em refrigeradores comuns, que estejam com a temperatura entre 2 ºC e 8 ºC, facilitando a sua distribuição em todo território brasileiro.

Segundo estudos realizados, essa vacina apresenta 85% de eficácia na prevenção de formas severas do Covid-19, 28 dias após a aplicação e com o período de 14 dias após a sua aplicação já é possível observar uma eficácia de 52%.

Ela tem autorização para uso emergencial no Brasil, que foi concebido pela Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a imunização ativa e prevenção da Covid-19 causada pela síndrome respiratória aguda grave em indivíduos a partir de 18 anos de idade. Assim como as outras vacinas já produzidas e que estão sendo aplicadas, a Janssen pode apresentar efeitos colaterais como dor, rubor na pele e edema no local da aplicação. Além desses, é possível apresentar dor de cabeça, febre, náuseas, dores musculares e sensação de cansaço. Caso esses sintomas permaneçam por um período maior de tempo é preciso que procure um posto de saúde ou um hospital para uma maior informação. Logo após a aplicação, os profissionais de saúde orientam ao vacinado caso haja algum efeito adverso.

Cidades vacinadas

Os treze municípios, do Mato Grosso do Sul, que receberam as doses da vacina Janssen são Antônio João; Aral Moreira; Caracol; Corumbá; Bela Vista; Coronel Sapucaia; Japorã; Ladário; Mundo Novo; Paranhos; Ponta Porã; Porto Murtinho e Sete Quedas.

Doses

Foram encaminhadas 150 mil doses da vacina da Janssen para os municípios citados anteriormente. A vacinação em massa começou no dia 02 de junho de 2021, e cerca de 54.873 pessoas foram imunizadas em três dias da campanha de imunização. O secretário de saúde Geraldo Resende afirmou que os 13 municípios da fronteira de MS conseguiram imunizar 90% da população alvo.

Pré-requisitos

Todas as pessoas que residem nas 13 cidades apresentadas anteriormente foram vacinadas, desde que cumprisse com os critérios dispostos pela secretaria de saúde com idade entre 18 a 50 anos.

Mulheres que estão amamentando, gestantes puérperas, pessoas que tiveram contágio com o vírus a menos de 30 dias e pessoas que já estavam vacinadas com outra vacina não receberam a vacina Janssen. É importante ressaltar que outras vacinas já estavam sendo aplicadas em pessoas que residem nesses municípios, as pessoas que não se encaixaram nos critérios da vacina Janssen serão vacinadas com outras vacinas.

Evolução da ocupação de leitos hospitalares no Mato Grosso do Sul

Analisando os gráficos a seguir é possível observar uma diminuição na ocupação de leitos hospitalares tanto do setor publico quanto do setor privado. Como o avanço na aplicação de doses de vacinas o número de internnações diminuiu. O Mato Grosso do Sul é um dos estados brasileiros que mais aplicou vacinas desde que elas foram liberadas para a aplicação no Brasil. E com isso é possivel observar um pouco da evolução positiva que está acontecendo nesse estado. É esperado que com essa campanha de vacinação em massa o número de contágio, óbitos, intenações e complicações diminúa ainda mais.

Conclusão

O objetivo visa pesquisar a efetividade e o impacto da vacinação em massa na região de fronteira, avaliando a eficácia do imunizante Janssen – produzido pela empresa farmacêutica Johnson & Johnson que consta com uma dose única – e o seu impacto na redução tanto do número de casos quanto no número de mortes causados pela pandemia. Porém, ainda não é possível informar como se procederá essa pesquisa, pois ela ainda está acontecendo e não chegou ao seu período final. Após 14 dias, da vacinação em massa, será possível observar esses números com uma melhor certeza.

Autora: Merlyken Glenda Ferreira Brito.

Instagram: @brito_mell

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Referencias bibliográficas:

Vacina contra a covid-19 da Janssen – https://janssenprolatam.com/pt-br/vaccines/covid-19-vaccine

Janssen entrega ao Brasil 1,5 milhão de doses de sua vacina de dose única contra a COVID-19 – https://www.janssen.com/brasil/Vacina-COVID-19-Janssen-no-Brasil

Mato Grosso do Sul vai receber 150 mil doses da vacina da Janssen para estudo de vacinação em massa de 13 municípios de fronteira – https://www.saude.ms.gov.br/mato-grosso-do-sul-vai-receber-150-mil-doses-da-vacina-da-janssen-para-estudo-de-vacinacao-em-massa-de-13-municipios-de-fronteira/

Em três dias, mais de 54 mil pessoas foram imunizadas na fronteira com a vacina da Janssen – http://www.ms.gov.br/em-tres-dias-mais-de-54-mil-pessoas-foram-imunizadas-na-fronteira-com-a-vacina-da-janssen/

Moradores de MS participam de estudo de imunização contra a covid – https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-06/moradores-de-ms-participam-de-estudo-de-imunizacao-contra-covid

Vacina da Janssen contra a Covid-19: o que sabemos sobre ela –https://saude.abril.com.br/medicina/vacina-da-janssen-contra-a-covid-19-o-que-sabemos-sobre-ela/

Antônio João é o primeiro dos 13 municípios a dar início a vacinação de pessoas de 18 a 65 anos como parte de Estudo da Fiocruz na região de fronteira – https://www.antoniojoao.ms.gov.br/noticia/antonio-joao-e-o-primeiro-dos-13-municipios-a-dar-inicio-a-vacinacao-de-pessoas-de-18-a-65-anos-como-parte-de-estudo-da-fiocruz-na-regiao-de-fronteira

Vacinação na fronteira será referência para outros Estados, afirma secretário de saúde – http://www.ms.gov.br/estudo-de-vacinacao-na-fronteira-sera-referencia-para-outros-estados-afirma-secretario-de-saude/

Boletim epidemiológico 09 de julho de 2021 – http://www.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/150/2021/07/Boletim-Epidemiol%C3%B3gico-COVID-19-2021.07.09.pdf

Estudo vai avaliar efetividade da vacina em 13 municípios de fronteira em Mato Grosso do Sul – https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus/estudo-vai-avaliar-efetividade-da-vacina-em-13-municipios-de-fronteira-em-mato-grosso-do-sul,b11326502d17f7209f084e3e336e3a6c22mwp9tz.html

Boletim epidemiológico 11 de julho de 2021 – https://www.vs.saude.ms.gov.br/wp-content/uploads/2021/07/Boletim-Epidemiologico-COVID-19-2021.07.11.pdf

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.