Colunistas

Variante Brasileira do coronavírus | Colunistas

Variante Brasileira do coronavírus | Colunistas

Compartilhar

Bruna Moreto

6 minhá 61 dias

A nova variante brasileira (P.1) do vírus SARS-CoV-2, identificada pela primeira vez no país, no estado do Amazonas, foi confirmada através de análise laboratorial realizada pelo Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz) também no estado do Rio de Janeiro. No mundo, já foram identificadas mais de 4 mil variantes desse agente infeccioso.

   A nova cepa do coronavírus foi identificada pela primeira vez em Manaus, mas no último mês já foram confirmados casos de infecção por essa, em pelo menos 12 estados brasileiros. Dos casos confirmados, grande parte não possui vínculo epidemiológico com o Amazonas, ou seja, muitos doentes não realizaram viagens para o estado e não tiveram contato com pessoas que passaram por lá. Apesar do surgimento dessas novas linhagens, ainda prevalece no país as mais comuns, B.1.1.28 e B.1.1.33.

    A variante P.1, surgida devido às inúmeras replicações virais, apresenta mutações na  proteína spike, estrutura do vírus responsável por conectá-lo às células dos seres humanos. Essas mudanças ocorrem de maneira aleatória com o material genético do vírus, podendo propiciar a entrada deste na célula humana. A proteína spike é uma fonte importante para estudar a melhor forma de imunização e a taxa de transmissibilidade.

                                      Figura 1- Composição do vírus COVID-19.
Fonte: https://www.sbac.org.br/blog/2020/03/30/diagnostico-laboratorial-do-coronavirus-sars-cov-2-causador-da-covid-19/

       Muitos se preocupam e indagam sobre as consequências que possam vir a ocorrer após a descoberta de novas cepas do SARS-CoV-2, principalmente quanto às vacinas que já foram descobertas e desenvolvidas para imunizar a população contra as variantes mais antigas do coronavírus. Estudos publicados no “New Journal of Medicine” sugerem que a vacina fabricada pela Pfizer-Biontech pode sim proteger as pessoas de novas variantes do coronavírus; o estudo se respalda no fato dos pesquisadores terem feito modificações genéticas no vírus para propiciar melhor estudo da vacina. Os resultados evidenciaram menor quantidade de anticorpos para novas cepas, porém ainda suficiente para levar a imunização, mesmo assim, os estudos ainda estão acontecendo para que se encontre comprovações científicas mais exatas.

   Um fato que contraria as informações acima é o caso de um homem italiano, que já havia tomado a vacina da Pfizer e foi contaminado pela nova variante. Por enquanto, especialistas acreditam que a vacina tenha protegido o rapaz contra sintomas mais agravantes da doença, porém continuam a realizar estudos.

   Ao mesmo tempo, pesquisadores comentam sobre a vacina coronavac, que ao ser desenvolvida utilizando o vírus inativado, faz com que o organismo produza anticorpos contra diferentes partes deste agente. Esse fato pode ser crucial para que a vacina tenha eficácia contra qualquer variação do vírus.

   Ainda é muito cedo para se afirmar que a variante P.1 possui ou não maior risco de causar sintomatologias agravantes, mas depreende-se que ela possua maior transmissibilidade. Além disso, estudos indicam que há grandes respaldos que evidenciam que essas novas cepas não podem ser barradas pelos anticorpos produzidos por quem já foi infectado pelo vírus da covid-19. Dessa forma, realizou-se estudos com pacientes que se infectaram pela segunda vez e confirmaram que o vírus causador era da linhagem P.1.

    Até o atual momento, foi confirmada apenas uma morte de um homem infectado pela nova cepa. Portanto, fica a cargo do Ministério da Saúde e das Secretarias de Saúde realizar maiores investigações epidemiológicas a respeito da P.1.

    Contudo, a melhor medida para se evitar que surjam mais mutações e variabilidades do SARS-CoV-2, seria aumentando as medidas de proteção contra a contaminação pelo vírus, já que quando o vírus não consegue infectar pessoas ele não se multiplica e consequentemente não há mutações provocadas pela sua replicação. Especialistas pensam na hipótese de que essa cepa possa ser mais transmissível que as demais e reforçam os pedidos à população de que mantenham o isolamento social e as demais medidas de segurança e proteção contra o vírus da covid-19.

   Em suma, há diversas mutações que ocorrem nos mais diferentes vírus todos os dias. Porém, em meio à pandemia, a sociedade se encontra bastante preocupada com as novas cepas do coronavírus que vêm surgindo e se afligem com as possíveis consequências. A variante P.1 se assemelha com a variante encontrada na África do Sul e estudos já estão sendo realizados para verificar o grau de transmissão do vírus e da eficácia das vacinas contra essas mutações. Dessa forma, deve-se aguardar informações concretas e com embasamento científico para que alterações vacinais ou outras sejam feitas. Ainda não há relatos de pacientes graves infectados por essa cepa, apesar de já ter confirmado uma morte no Brasil, no estado do Rio de Janeiro e também não há confirmação de que a tal seja mais transmissível que as demais.

                  Figura 2. Profissional da Saúde em Manaus (AM), região de onde vem a variante.        Fonte: www.ncstotal.com.br

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Referências:


– Fiocruz confirma caso da variante brasileira do coronavírus no Rio – https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-02/fiocruz-confirma-caso-da-variante-brasileira-do-coronavirus-no-rio

– Covid-19: Variante de Manaus já está em pelo menos 12 estados brasileiros – https://www.cnnbrasil.com.br/saude/2021/02/16/covid-19-variante-de-manaus-ja-esta-em-pelo-menos-12-estados-brasileiros

-Nova variante do coronavírus já foi identificada em ao menos 10 estados do Brasil – https://www.nsctotal.com.br/noticias/nova-variante-do-coronavirus-ja-foi-identificada-em-ao-menos-10-estados-do-brasil

-Infectado com variante do coronavírus no RJ, morre- https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2021/02/17/rj-confirma-mais-um-caso-de-variante-da-covid-19.ghtml

– Coronavírus: variante achada no Brasil poderia ‘driblar’ anticorpos e reinfectar quem já teve covid-19, diz pesquisador – https://www.bbc.com/portuguese/geral-55725181

– Vacinas da Pfizer e Moderna protegem contra variantes do coronavírus, diz estudo – https://www.cnnbrasil.com.br/saude/2021/02/18/vacinas-da-pfizer-e-moderna-protegem-contra-variantes-do-coronavirus-diz-estudo

– Modificações nas vacinas para conter variantes do coronavírus: o que saber- https://saude.abril.com.br/medicina/modificacoes-nas-vacinas-para-conter-variantes-do-coronavirus-o-que-saber/

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.