Atividades Extra Curriculares

Venezuela e COVID19: O que realmente ocorre? | Colunistas

Venezuela e COVID19: O que realmente ocorre? | Colunistas

Compartilhar
Imagem de perfil de Annelise Oliveira

Ao pesquisar sobre os números da pandemia de COVID-19 na Venezuela, os primeiros artigos que a ferramenta de pesquisa retorna são comparações quase que surreais sobre como o Brasil deixou a desejar em comparação ao seu vizinho. Num esforço de desmerecer a política brasileira, que também deixou a desejar, e dar louros a política venezuelana. Lembrando que a Venezuela foi o último país da América do Sul a ter casos de COVID-19.

Pacaraima versus Bolívar: Um retrato das suas nações?

Agosto de 2020 foi um respiro quando se fala de pandemia. Esperava-se que com a baixa de casos e o desafogamento das UTIs o Brasil estivesse vendo a luz no fim do túnel. Mas o que ocorreu foi apenas uma lâmpada incandescente, débil e enganosa antes de vários outros picos de problemas. Mas a essa época as comparações de Pacaraima, cidade de Roraima que faz fronteira com a Venezuela. 

Na época de um desses artigos (agosto de 2020) a cidade contava com 7% de contaminados, contra 0,0011% de contaminados no estado de Bolívar, região da Venezuela que faz fronteira com o Brasil. E isso é associado a rápida resposta à pandemia por parte do presidente venezuelano Nicolás Maduro. 

Points scored
Points scored

Mas esses números são confiáveis?

Sabidamente a Venezuela vem enfrentando crises das mais variadas esferas há bastante tempo. A política ditatorial aliada a falta de dados confiáveis faz com que esse panorama descrito como resultado de ações efetivas contra o vírus da COVID-19 seja, no mínimo, questionável.

O país passa por falta de testes confiáveis e transparência de informações quase ausente com a perseguição de quaisquer agentes que tentem relatar a questão. A crise sanitária prévia a pandemia, que faz com que haja falta de insumos e até mesmo de água em instituições de saúde da Venezuela, apenas agrava toda a cena pandêmica nesse país. Previamente a COVID-19 já ocorria um aumento do número de casos de doenças infectocontagiosas preveníveis por vacinas, dando um panorama da vacinação do país. A falência dos sistemas de saúde com o novo vírus pode causar fuga de cidadãos para outros países a procura de cuidados, o que por sua vez faz com que os números desse país se tornem ainda mais longe da realidade vivida por sua população

Há ainda a hiperinflação que faz com que produtos básicos de higiene se tornem cada vez mais difíceis de serem comprados pelos cidadãos venezuelanos, fato que dificulta a luta contra o vírus, a sobrevivência da população e a própria prática médica na Venezuela.

Em maio de 2020 previa-se que haveria uma taxa de mortalidade maior que a média mundial, ou mesmo da América Latina, na Venezuela visto a falta de equipamentos médicos com raio-x, laboratórios, unidades de terapia intensiva e outros sistemas necessários para o cuidado com o paciente com Coronavírus.

É importante salientar também que o governo venezuelano não publica dados epidemiológicos desde 2017, momento no qual foi a tona o aumento de 65% da mortalidade materna e de 30% da mortalidade infantil no ano anterior.

As ações de Maduro contra a pandemia

Treze de março de 2020, tempo em que as ações contra a pandemia no Brasil engatinhavam em direção ao futuro lockdown, Maduro decretou estado de emergência. Quatro dias depois estava imposto na Venezuela o lockdown, fiscalizado por polícia, forças armadas, forças de ações especiais e cidadãos armados pró-Maduro. A Venezuela solicitou empréstimo ao Fundo Monetário Internacional, que foi negado.

Para a população foram ofertados pagamentos dos salários do setor público e de pequenas e médias empresas pelo governo por 6 meses, congelamento do preço de alimentos, aumento do salário mínimo, toque de recolher em algumas cidades, distribuição de alimentos a domicílio (em cidades como Caracas).

E os hospitais venezuelanos?

No deflagrar da pandemia em março de 2020, 53% dos hospitais não tinham máscaras para os profissionais de saúde, 92% não tinham protocolos de conduta com infectados nem áreas de isolamento respiratório.

Ômicron e vacinas na Venezuela:

Os 7 primeiros casos da variante mais preocupante até o momento foram registrados na Venezuela no dia 22 de dezembro de 2021. Com a chegada da variante surge a preocupação da vacinação da população venezuelana, que segundo dados oficiais 87% seria a porcentagem de venezuelanos imunizados. Dado não corroborado pela Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), que afirma que apenas 36% da população estaria com as duas doses da vacina contra COVID-19. A discrepância dos dados se deve ao fato que o governo venezuelano não diferencia a população que recebeu uma dose da população que recebeu esquema completo de imunização.

Por fim,

A subnotificação continua sendo um problema do país, resultado da falta de transparência e da falta de testagem que a Venezuela se encontra, desde o início da pandemia. Em 10 de janeiro de 2022, segundo dados oficiais da Venezuela 446.841 venezuelanos contraíram a COVID-19 e 5.352 vieram a falecer pela doença. Os dados desse país se encontram sempre na cauda das menores estatísticas da COVID-19. Sendo essencial que se saiba que a Venezuela tem 28.067.000 de habitantes, pouco mais de 10% da população do Brasil e pouco mais de 0,019% dos casos da nação tupiniquim.

Transparência em tempos de pandemia é essencial para que o país e o mundo possam tomar ações para o cuidado necessário com a população. O Brasil deixa muito a desejar na transparência dos dados, mas existem países que mesmo 2 anos dentro da pandemia ainda deixam mais a desejar, como é o caso da Venezuela.

Autora: Annelise Oliveira

@anniemnese

Referências:

  1. Números mostram como a Venezuela acertou no combate à covid e o Brasil errou – https://www.brasildefato.com.br/2020/08/25/numeros-mostram-como-a-venezuela-acertou-no-combate-a-covid-e-o-brasil-errou
  2. Números oficiais do Coronavírus na Venezuela são “absurdos”, dis organização – https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/coronavirus-venezuela-numeros-nao-confiaveis/
  3. Venezuela – Eventos de 2020 https://www.hrw.org/pt/world-report/2021/country-chapters/377387
  4. A Venezuela está preparada para combater o coronavírus? – https://www.bbc.com/portuguese/internacional-51891467
  5. COVID-19 e o fluxo venezuelano: necessidades de refugiados e migrantes aumentam e medidas de ajuda são essenciais – https://www.acnur.org/portugues/2020/04/01/refugiados-e-migrantes-da-venezuela-na-crise-da-covid-19/
  6. Venezuela registra primeiros sete casos da variante ômicron – https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2021/12/22/interna_internacional,1333219/venezuela-registra-primeiros-sete-casos-da-variante-omicron.shtml
  7. Maduro diz que 87% da população da Venezuela recebeu vacina contra covid-19. –  https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2021/12/28/maduro-diz-que-87-da-populacao-da-venezuela-recebeu-vacina-contra-covid-19.htm?cmpid=copiaecola
  8. Estadísticas Venezuela – https://covid19.patria.org.ve/estadisticas-venezuela/
  9. Brasil: últimas contagens mundiais – –https://graphics.reuters.com/world-coronavirus-tracker-and-maps/pt/countries-and-territories/brazil/
  10. Venezuela – últimas contagens mundiais – https://graphics.reuters.com/world-coronavirus-tracker-and-maps/pt/countries-and-territories/venezuela/